Sun Storage 7000 da Oracle

 Sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000 da Oracle dispõe de recursos abrangentes de proteção de dados que permitem a captura de snapshot, clonagem, reversão e replicação remota. Esses recursos podem facilitar as tarefas de proteção e manutenção do banco de dados para os administradores de sistemas e de bancos de dados. Este documento apresenta metodologias que podem ser usadas para a realização de operações de backup e recuperação em bancos de dados Oracle, usando os recursos de snapshot, clonagem e reversão. Ele se destina a administradores de bancos de dados Oracle, a administradores de sistema e a qualquer pessoa que deseje compreender ou implantar bancos de dados Oracle com esses recursos. Os tópicos abordados neste artigo incluem:• Cópia de backup pontual consistente a frio usando o recurso de snapshot• Cópia de backup pontual a quente usando o recurso de snapshot• Uso do recurso de clonagem para backup, teste e verificação de dados• Uso do recurso de reversão para restaurar os arquivos do banco de dadosObservação: os produtos da família de produtos de sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000 da Oracle oferecem a mesma interface gráfica do usuário com base na Web, portanto, este documento se aplica a toda a família. A versão deste é a do quarto trimestre de 2008.Detalhes de configuraçãoAs seções a seguir e a Figura 1 apresentam detalhes sobre a configuração usada nos exemplos deste artigo.Configurações testadas• Versão do banco de dados:• Oracle9i Database Release 2 (9.2), Oracle Database 10g Release 2 (10.2), Oracle Database 11g Release 1 (11.1.6)• Sistema operacional:• Oracle Solaris 10 5/08 para plataformas SPARC e x64• Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 5.2 (x64) NFS versão 3Detalhes dos projetos e sistemas de arquivos• Sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000: isv-USS• ID de usuário Oracle dos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000: oracle• Detalhes do banco de dados de produção:• Projeto Oracle: oracle_project• Compartilhamento do banco de dados Oracle: oradata, oralog, oraarchive• Arquivos de controle: armazenados no compartilhamento oralog• Ponto de montagem dos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000: /export/oracle_project/• Ponto de montagem do cliente: /oradata/data, /oradata/logs, /oradata/archive• Cliente (servidor do banco de dados): isv-6300b• Detalhes do banco de dados clonado:• Projeto clonado Oracle: oracle_clone_project• Compartilhamento do banco de dados clonado Oracle: oradata, oralog, oraarchive• Ponto de montagem clonado do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000: /export/oracle_clone_project/• Ponto de montagem clonado do cliente diferente: /oradata/data, /oradata/logs, /oradata/archive• Cliente (servidor do banco de dados): isv-6300cPré-requisitosA seguir são apresentados os pré-requisitos da configuração usada nos exemplos discutidos neste artigo:• A instância do banco de dados Oracle já está sendo executada no servidor de banco de dados (cliente) com acesso aos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000 do banco de dados usando o protocolo NFS (Network File System).• O usuário, as funções, o projeto e o SSH (Secure Shell) são configurados conforme descrito nos artigos BigAdmin a seguir sobre os sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000:• “Implantação de bancos de dados Oracle usando NFS nos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000” http://www.sun.com/bigadmin/features/articles/7000_oracle_deploy.jsp• “Implantação de ASM Oracle usando iSCSI nos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000” http://www.sun.com/bigadmin/features/articles/7000_oracle_iscsi_asm.jspObservação: o clone é acessado por um cliente alternativo (isv-6300c) e o servidor do banco de dados (isv 6300b) acessa o oracle_project.LCM INFORMÁTICA Figura 1. Esta figura exibe os detalhes de configuração do uso do recurso de snapshot dos sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000Uso do recurso de snapshot com bancos de dados OracleOs produtos do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000 proporcionam uma forma conveniente de capturar um instantâneo pontual do compartilhamento ou do projeto que contém os arquivos do banco de dados.Visão geral do recurso de snapshotOs snapshots são cópias do tipo somente leitura. Em um instantâneo em nível do projeto, todos os compartilhamentos possuem sua própria cópia do instantâneo, todas com o mesmo nome. O instantâneo usa um método copy-on-write e, dessa forma, não ocupa espaço no início. Quando os novos dados são gravados no compartilhamento, a cópia antiga é gravada no instantâneo.Os produtos do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000 podem suportar um número ilimitado de snapshots. O snapshot depende do compartilhamento pai.LCM INFORMÁTICA 02 Figura 2. Os produtos do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000 podem suportar um número ilimitado de snapshots.Tipos de snapshotOs produtos do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000 podem suportar os seguintes tipos de snapshots:• Snapshots manuais. Os snapshots manuais são capturados por demanda. O usuário pode iniciar um instantâneo a qualquer momento, no nível do projeto ou no nível do compartilhamento.• Snapshots programados. Snapshots são capturados automaticamente em um intervalo pré-determinado definido pelo usuário (minuto, hora, dia, semana, mês), sem interação com o usuário. Com esse método, os usuários podem especificar o número de snapshots mantidos.Backup a frio para bancos de dados OracleO backup a frio é o tipo de backup utilizado quando o banco de dados está desativado (ou está em estado não montado). Se o banco de dados estiver sendo executado no modo de log não arquivado, esse modo de backup é o único possível. O tempo de backup depende do tamanho do banco de dados e da velocidade com que a cópia é feita. Com o recurso de snapshot, o tempo de inatividade do banco de dados pode ser significativamente reduzido, pois ele precisa ser desativado somente por alguns segundos durante a captura do instantâneo.LCM INFORMÁTICA03 Figura 3. Esta figura ilustra um instantâneo do banco de dados ou backup a frio.Para capturar um instantâneo consistente do banco de dados Oracle:1. Desative o banco de dados.SQL> shutdown immediate;2. Capture o instantâneo do compartilhamento. Na interface gráfica, selecione Shares (Compartilhamentos) -> Projects (Projetos) -> [projeto oracle_db] -> Snapshots (Snapshots).3. Clique em + para adicionar um instantâneo manual e forneça um nome como oracle_snap.4. Como alternativa, as etapas 2 e 3 podem ser executadas na interface de linha de comando (CLI). No cliente (isv-6300b), execute: # ssh -l oracled isv-USS -T # cat create_snap.akscript EOFrun(‘shares select oracle_db’);run(‘snapshots snapshot oracle_snap’);run(‘commit’);EOF5. Reinicie o banco de dados.SQL> STARTUP PFILE=;Estes são os scripts de backup a frio (executados como usuário Oracle):• cold_backup.shLCM04FIGURA05 Backup a quente para bancos de dados OracleNesse modo, o backup é efetuado enquanto o banco de dados está em execução. Com esse método de backup, o banco de dados deve ser executado no modo archivelog. O tempo de backup depende do tamanho do banco de dados e da velocidade com que a cópia é feita. Com o recurso de snapshot, o tempo que o banco de dados deve estar no modo de “backup a quente” é significativamente reduzido.Para capturar um instantâneo do banco de dados Oracle no modo de backup a quente:1. Coloque os tablespaces (Oracle9i Database) ou o banco de dados (Oracle Database 10g, Oracle Database 11g) no modo de backup a quente. SQL> alter database begin backup;ouSQL> alter tablespace <tablespace_name> begin backup;(Repita a etapa 1 para todos os tablespaces.)2. Capture o instantâneo do compartilhamento. Na interface gráfica, selecione Shares (Compartilhamentos) -> Projects (projetos) -> [ projeto oracle_db] -> Snapshots (Snapshots).3. Clique em + para adicionar um instantâneo manual e forneça um nome como oracle_snap. É capturado um instantâneo de todo o projeto com todos os compartilhamentos.4. Como alternativa, as etapas 2 e 3 podem ser executadas na CLI. No cliente, execute: # ssh -l oracled isv-USS -T # cat create_snap.akscript EOFrun(‘shares select oracle_db’);run(‘snapshots snapshot oracle_snap’);run(‘commit’);EOF5. Cancele o modo de backup a quente do banco de dados.SQL> alter database end backup;ouSQL> alter tablespace <tablespace_name> end backup;(Repita a etapa 5 para todos os tablespaces.)Todo o processo de backup a quente pode ser automatizado com o seguinte script:

hot_backup.sh

06 begin_hot_backup.sql

007Acesso aos snapshots, uso do processo de clonagemClonagem é o processo de criação de uma exibição de leitura/gravação do instantâneo.Visão geral de clonagemA clonagem pode ser realizada somente no nível do compartilhamento. É possível haver mais de um clone de um instantâneo e cada um deles pode ter seu próprio ponto de montagem, dados de destino iSCSI etc. É possível capturar snapshots de clones enquanto eles são usados para fins de leitura/gravação. Por ser uma exibição de leitura/gravação do instantâneo, um clone depende de seu

instantâneo pai. Se o instantâneo ou o compartilhamento pai/número de unidade lógica (LUN) for excluído, todos os snapshots filhos, seus clones e snapshots clones serão excluídos. Clonagem do instantâneo A seguir é apresentado o procedimento para clonar um instantâneo: 1. Se os clones forem agrupados em um projeto diferente, crie o projeto: oracle_clone_project Atualize o ponto de montagem padrão para: /export/oracle_clone_project 2. Na interface gráfica, vá para Shares (Compartilhamentos) -> Projects (Projetos) -> [oracle_project] -> Shares (Compartilhamentos) -> [ícone de lápis do compartilhamento oradata que contém o banco de dados Oracle] -> Snapshots (Snapshots). 3. Clique em + no instantâneo oracle_snap. 4. Na lista Project (Projeto), escolha o nome do clone, conforme é mostrado na Figura 4.

008Figura 4. Esta figura apresenta a interface do usuário para clonagem de um instantâneo.5. Repita as etapas 1 a 3 para os compartilhamentos oralog e oraarchive.6. Como alternativa, as etapas 2 a 5 podem ser executadas na CLI. No cliente, execute: # ssh -l oracled isv-USS -T # cat create_clone.akscript EOFrun(‘shares select oracle_project’);run(‘select oradata’);run(‘snapshots select oracle_snap’);run(‘clone oracle_clone_project oradata’);run(‘commit’);run(‘shares select oracle_project’);run(‘select oralog’);run(‘snapshots select oracle_snap’);

run(‘clone oracle_clone_project oralog’); run(‘commit’); run(‘shares select oracle_project’); run(‘select oraarchive’); run(‘snapshots select oracle_snap’); run(‘clone oracle_clone_project oraarchive’); run(‘commit’); EOF 7. Se o projeto original for selecionado, todas as características do projeto serão herdadas. O ponto de montagem será /export/oracle_clone_project/. Acesso ao clone para backup As seções a seguir descrevem os processos de acesso ao clone para backup. Acesso ao clone Execute as etapas a seguir para acessar o clone: 1. Em um cliente diferente, monte os compartilhamentos clones como compartilhamentos normais: # mkdir -p /oradata/data # mkdir -p /oradata/logs # mkdir -p /oradata/archive # chown -fR oracle:dba /oradata # mount -F nfs isv-USS:/export/oracle_clone_project/oradata /oradata/data # mount -F nfs isv-USS:/export/oracle_clone_project/oradata /oradata/data # mount -F nfs isv-USS:/export/oracle_clone_project/oradata /oradata/data 2. Se o instantâneo original foi capturado com o método de backup a frio, o banco de dados pode ser aberto para leitura/gravação diretamente, sem precisar ser recuperado. SQL> startup ; 3. Se o instantâneo foi capturado no modo de backup a quente, o banco de dados deve ser recuperado. SQL> startup mount; SQL> recover automatic database; SQL> alter database open; 4. Realize uma cópia física do backup ou use um software de backup de terceiros para fazer backup do banco de dados.

Restauração e recuperação do banco de dados Oracle A seguir são descritos os procedimentos de restauração e recuperação do banco de dados Oracle. Visão geral da reversão Os produtos do sistema de armazenamento unificado Sun Storage 7000 proporcionam uma forma conveniente de restaurar o sistema de arquivos ou o LUN mais rapidamente pelo instantâneo. É importante observar que a reversão ocorre no nível do compartilhamento e não com arquivos individuais no compartilhamento. Em outras palavras, todo o compartilhamento é revertido. Restauração total do banco de dados com o recurso de reversão Neste cenário, é feito backup de todo o projeto. A seguir é apresentado o processo de reversão do banco de dados até o ponto em que o oracle_snap foi capturado. Esse processo anula todas as modificações realizadas no banco de dados após a captura do oracle_snap.

09

Figura 5. Esta figura ilustra a restauração de todo o banco de dados ou a reversão total do banco de dados com backup a frio. 1. Desative o banco de dados. 2. Na interface gráfica, selecione Shares (Compartilhamentos) -> Projects (Projetos) -> [oracle_project] -> Shares (Compartilhamentos) -> [oradata] -> Snapshots (Snapshots). 3. Clique no ícone de reversão, na linha que mostra oracle_snap, como na Figura 6.

10

Figura 6. Esta figura apresenta a interface do usuário para reversão e, especificamente, o ícone de reversão de dados. 4. Repita as etapas 2 e 3 para oralog e oraarchive. 5. Você pode executar as etapas 2 a 4 executando o script pelo cliente: # ssh isv-USS -T # cat rollback_snap.ak script EOF run(‘shares select oracle_project’); run(‘select oradata’); run(‘snapshots select oracle_snap’); run(‘rollback’); run(‘commit’); run(‘shares select oracle_project’); run(‘select oralog’); run(‘snapshots select oracle_snap’); run(‘rollback’); run(‘commit’); run(‘select oraarchive’); run(‘snapshots select oracle_snap’); run(‘rollback’); run(‘commit’); EOF 6. Após a conclusão da reversão, inicie o banco de dados e verifique o conteúdo. SQL> startup ; Os scripts a seguir podem ser usados para realizar a restauração completa do banco de dados:

full_db_restore.sh

11 12

Restauração e recuperação dos arquivos de dados usando o recurso de reversão Nesse modo, somente os arquivos de dados serão restaurados. Os arquivos de controle, de logs de recuperação on-line e logs arquivados atuais são necessários para realizar a recuperação dos arquivos de dados. Portanto, somente o compartilhamento oradata deverá ser revertido. Se esse compartilhamento contiver uma cópia do arquivo de controle, copie o arquivo de controle atual para oradata após a reversão antes de tentar realizar a recuperação.

13

Figura 7. Esta figura ilustra o processo de recuperação dos arquivos de dados ou a reversão dos arquivos de dados usando backup a quente/recuperação necessária. 1. Desative o banco de dados. 2. Na interface gráfica, selecione Shares (Compartilhamentos) -> Projects (Projetos) -> [oracle_project] -> Shares (Compartilhamentos) -> [oradata] -> Snapshots (Snapshots). 3. Clique no ícone de recuperação na linha que mostra oracle_snap. 4. Como alternativa, você pode executar as etapas 2 e 3 com a CLI executando esse script pelo cliente: # ssh isv-USS -T # cat rollback_snap.ak script EOF run(‘shares select oracle_project’); run(‘select oradata’); run(‘snapshots select oracle_snap’); run(‘rollback’); run(‘commit’); EOF 5. Após a conclusão da reversão, monte o banco de dados, execute a recuperação e abra o banco de dados. SQL>startup mount ; SQL>recover automatic database; SQL>alter database open; Agora o banco de dados está totalmente recuperado. Os scripts a seguir podem ser usados para realizar o processo de recuperação:

14

15Restauração somente de arquivos de dados selecionadosCaso seja necessário restaurar somente determinados arquivos de dados, o processo será manual.1. Desative o banco de dados (se necessário). Caso seja necessário restaurar somente um arquivo de dados não relacionado ao sistema, você pode desativar somente esse arquivo.2. Execute o processo definido para criar um clone do instantâneo de oradata.3. Monte o clone no cliente.4. Copie os arquivos específicos do clone para o compartilhamento original.5. Recupere o arquivo de dados ou todo o banco de dados, dependendo dos arquivos restaurados.6. Abra o banco de dados.7. Caso o clone não seja mais necessário, elimine-o.

Recomendações Se o banco de dados contiver muitos tablespaces e arquivos de dados, os arquivos podem ser distribuídos em diferentes compartilhamentos do mesmo projeto para permitir uma recuperação/restauração eficiente. Por exemplo, os dados e o índice dos usuários da folha de pagamento podem estar em um compartilhamento oradata_payroll e oradata_system pode conter os tablespaces SYSTEMS e SYSAUX etc. • Realize a manutenção periódica dos clones e snapshots. • Os snapshots e clones são cópias dependentes. Os arquivos devem ser copiados para o local remoto em fita ou em unidades físicas diferentes para criar cópias físicas independentes. • Capture um instantâneo do banco de dados (ou mesmo um backup) antes de realizar uma operação de reversão. Após a conclusão da reversão, o processo é irreversível. Conclusão A família de produtos de sistemas de armazenamento unificado Sun Storage 7000 da Oracle oferece recursos abrangentes de proteção de dados que facilitam as tarefas de proteção e manutenção para administradores de sistemas e administradores de bancos de dados. A captura de snapshots, a clonagem, a reversão e a replicação remota são métodos que podem ser usados para realizar operações de backup e recuperação do banco de dados Oracle. A compreensão e o uso desses recursos aprimorarão a segurança dos seus dados de missão crítica.

BOM SE GOSTOU DEIXE UM COMENTÁRIO

Oracle WebLogic Suite

Oracle SOA

Suite

Muitas organizações estão adotando a arquitetura orientada a serviços (SOA) para melhorar a agilidade do negócio e simplificar a complexidade dos ambientes de TI. SOA representa uma transição fundamental na maneira como as aplicações comerciais são projetadas, desenvolvidas e implantadas como serviços de negócios modulares que podem ser facilmente integrados e reutilizados.
Em um ambiente de SOA, as funções de software são fracamente acopladas com o sistema operacional e as linguagens de programação fundamentais às aplicações. Isso permite que os desenvolvedores separem as funções em unidades diferentes — geralmente chamadas de serviços —que podem ser distribuídas em uma rede, facilmente combinadas e reutilizadas para criar aplicações de negócios. Esses serviços se comunicam passando dados de um para outro ou coordenando uma atividade entre dois ou mais serviços. Tudo isso se soma a uma maior eficiência e produtividade da equipe de TI e ao processamento mais rápido dos negócios.
Clientes em todos os setores comprovam que a Arquitetura Orientada a Serviços melhora a flexibilidade por meio do uso de componentes de software discretos, que podem ser implantados para atender a necessidades comerciais específicas. Mas como criar esses componentes rapidamente e uni-los de uma maneira que garanta a confiabilidade, o desempenho, a escalabilidade e a reutilização? SOA introduz seu próprio conjunto de desafios a uma infraestrutura de middleware. Por exemplo, um dos princípios básicos da SOA é o desacoplamento das aplicações e dos serviços. Conforme a infraestrutura evolui para dar suporte a requisitos de negócio novos ou em expansão, as aplicações de SOA geralmente requerem mais hardware, mais software de infraestrutura e administração mais intensa. Como automatizar esses exercícios de provisionamento e desprovisionamento?
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
2
As empresas precisam de ferramentas de gerenciamento e de monitoramento de desenvolvimento de SOA que deem suporte a alterações rápidas nas aplicações, aloquem recursos de maneira dinâmica e maximizem a utilização da infraestrutura de TI. Este artigo explicará como uma suíte integrada de middleware ajuda os clientes a criar e gerenciar ambientes de SOA eficazes. Ele discutirá porque a aquisição de uma suíte integrada de middleware faz sentido e o que os clientes ganham com a implementação desses produtos integrados de middleware.
Ainda que muitos componentes da família Oracle Fusion Middleware pertençam a esse debate, o foco desse artigo será o Oracle WebLogic Suite 11g e o Oracle SOA Suite 11g e a relação deles com a grande família de aplicações, ferramentas de desenvolvimento e de gerenciamento da Oracle. O Oracle WebLogic Suite 11g fornece a base para integrar e executar aplicações orientadas a serviços. O Oracle SOA Suite 11g aproveita essa base, consolidando os ativos de software de tempo de execução em um backbone modular. Juntos, essas suítes de produtos permitem que as organizações criem e coordenem processos de negócios fáceis de atualizar, monitorar e gerenciar.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
3
Uma base sólida de middleware: Oracle WebLogic Suite
Os servidores de aplicações modernos precisam de elementos de suporte chave na área de gerenciamento, previsibilidade do tempo de execução e escalabilidade linear. O Oracle WebLogic Server 11g — o componente fundamental do Oracle WebLogic Suite — fornece uma base sólida para ajudar as empresas a desenvolver e implantar aplicações comerciais em uma arquitetura de grade de aplicações. Ele inclui ferramentas essenciais para o desenvolvimento de aplicações e o gerenciamento de ambientes de SOA.
Também oferece o mecanismo de execução para aplicações de SOA e de middleware de missão crítica. A suíte combina produtos maduros da família Oracle Fusion Middleware para ajudar as empresas a implantar aplicações de SOA que ofereçam suporte a transações extremas, conformidade de SLA garantida e gerenciamento dinâmico do software de aplicações e de infraestrutura, tudo em um hardware padrão de baixo custo. Por trás dela está o Oracle WebLogic Server 11g, o servidor de aplicações Java EE mais confiável e com melhor desempenho em todo o mundo. O Oracle WebLogic Suite 11g também inclui o Oracle Coherence, o Oracle JRockit, o Oracle JDeveloper e o Oracle Enterprise Manager. Juntos, esses produtos criam uma infraestrutura de SOA que simplifica a definição, a implantação e o gerenciamento de aplicações de vários nós.
O Oracle WebLogic Suite é integrado sem esforço ao Oracle Database e a outros produtos Oracle. Essa integração fornece a base para a infraestrutura de SOA e de grade de aplicações usada pelo restante do portfólio de produtos Oracle. Ter uma base tecnológica consistente permite que os clientes desenvolvam e gerenciem serviços de maneira rápida e eficaz.
CoherenceJRockit Real TimeWebLogic ServerJava EE: Reliability, Availability, Scalability & PerformanceHigh Performance, Reliable, Scale Out for Java, C++ and .NETHigh Performance JVM with Extreme Low LatencyWebLogic SuiteEnterprise ManagerAdmin and OperationsDevelopment ToolsJdeveloper/EclipseSOASuiteWebCenterSuite

ContentManagementSuiteIdentityManagementSuiteBusiness

IntelligenceSuiteWebLogic Suite and Fusion MiddlewareRuntime Foundation for Fusion Middleware PortfolioFusion Middleware Infrastructure (ADF, Security, FMW Config Wizard…)Proven toOutperformLowest Operational CostBest for OraclePortfoliio
O Oracle WebLogic Suite fornece uma base sólida para o desenvolvimento e a implantação de aplicações em uma arquitetura de grade de aplicações.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
4
Uma estrutura de implantação adaptável: Oracle SOA Suite
As implementações de SOA são comuns atualmente, especialmente em grandes departamentos de TI. Conforme as organizações dependem com mais intensidade da SOA para operações de negócios fundamentais, elas precisam de ambientes de SOA coesos, que simplifiquem o desenvolvimento e a manutenção. O Oracle SOA Suite 11g ajuda os clientes a atingir essas metas, fornecendo uma infraestrutura completa para coordenar, criar e gerenciar serviços. A suíte inclui ferramentas para o desenvolvimento de aplicações orientadas a serviços, integrando essas aplicações a sistemas de informação existentes e coordenando serviços de negócios on-line com atividades de fluxo de trabalho humanas. Cada componente da suíte pode ser implantado e gerenciado de maneira semelhante, com segurança de ponta a ponta e metadados unificados.
O Oracle SOA Suite simplifica o desenvolvimento de SOA ao mesmo tempo em que aumenta o desempenho do tempo de execução e simplifica as tarefas de gerenciamento. Como uma infraestrutura baseada em padrões e de fácil conexão, ele opera de maneira integrada e fácil com os ambientes de TI existentes, o que contribui para a redução dos custos de implementação. O Oracle SOA Suite 11g fornece uma infraestrutura completa para coordenar, criar e gerenciar serviços.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
5
Um exemplo: provedor de armazenamento e gerenciamento de dados computacionais
Situação:
 Uma empresa de tecnologia global que oferece um portfólio amplo de produtos de retenção e de segurança de dados.
Problema:
 Diversas tecnologias de integração ponto a ponto não padronizadas, conectadas aos sistemas de informação dessa empresa.
 Essa solução de middleware diversificada era cara, complexa, rígida e com alto custo de manutenção.
Solução:
 O Oracle SOA Suite executado no Oracle WebLogic Suite agora permite integração com base em padrões, inclusive JMS e serviços Web.
 O clustering permitiu desempenho e escalabilidade.
 A consolidação de interfaces de aplicações em uma única plataforma Oracle Fusion Middleware simplifica o desenvolvimento e reduz a manutenção.
Uma infraestrutura flexível: grade de aplicações
Um grid de aplicações não é um produto, uma plataforma ou um padrão. É uma arquitetura e um conjunto de práticas recomendadas para desenvolver e implantar aplicações compostas. Ainda que as principais tecnologias, como os servidores de aplicações e as máquinas virtuais Java, forneçam a base para um grid de aplicações, é a maneira como você organiza e usa essas tecnologias que confere os benefícios do grid de aplicações: maior eficiência, melhor desempenho, melhor qualidade do serviço e resposta mais rápida às necessidades de negócios em transição.
As aplicações compostas, em geral, experimentam picos imprevistos de demanda por recursos de back-end a partir dos servidores de computadores e dos dispositivos de armazenamento de dados. Em resposta, o grid de aplicações se adapta automaticamente e move recursos de áreas com menor necessidade para aquelas com maior demanda. Um grid de aplicações agrupa, compartilha e ajusta dinamicamente os recursos de TI.
Com foco em aplicações compostas e em reutilização, SOA está aumentando a demanda por grade de aplicações. Como as aplicações de SOA são compostas de componentes de serviços que têm origens distintas, os clientes devem considerar as ramificações de desempenho de enviar dados de um serviço para outro. Um grid de aplicações equilibra os requisitos de armazenamento em memória de cada instância de serviço entre os servidores disponíveis, criando um pool de memória compartilhado e distribuído que pode ser escalonado linearmente em uma grade de máquinas heterogênea.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
6
Esses conceitos de grid de aplicações agora são a base sobre a qual o Oracle Fusion Middleware é desenvolvido. A tecnologia de grid de dados em memória, como o Oracle Coherence, impulsiona a camada de SOA, armazenando os resultados de chamada de serviços em cache e aplicando a memória compartilhada à arquitetura SOA. O Coherence torna todos os objetos do grid de dados disponíveis e acessíveis automaticamente por todas as demais aplicações e os demais serviços do grid. Essa técnica melhora o desempenho, a escalabilidade e a continuidade dos negócios. Nenhum dado é perdido no caso de falha de um dos servidores, pois várias cópias de cada dado são mantidas no grid.
Muitos departamentos de TI já agrupam e compartilham recursos no nível do hardware com a ajuda de softwares de virtualização como o Oracle Virtual Machine (VM). O grid de aplicações aplica esses mesmos conceitos ao middleware. O Oracle WebLogic Suite automatiza e simplifica o processo, reunindo tecnologias líderes no setor que funcionam em conjunto de maneira coesa: Oracle WebLogic Server 11g for Java EE, Tuxedo for C/C++/COBOL, grid de dados em memória Coherence, soluções de tempo de execução em Java JRockit e Enterprise Manager para gerenciamento automatizado. Esses elementos básicos de middleware trazem velocidade, escalabilidade e capacidade de gerenciamento às implantações de SOA.
O que é um grid de aplicações?
Um grid de aplicações é uma camada de infraestrutura abaixo da camada de aplicações que agrupa e provisiona de maneira dinâmica os recursos para um determinado conjunto de aplicações, realocando dinamicamente os recursos entre as aplicações servidas à medida que as necessidades evoluem. Em vez de servidores e armazenamento dedicados para cada aplicação, a grid computing permite que diversas aplicações compartilhem a infraestrutura de computação, resultando em muito mais flexibilidade, baixo custo, baixo consumo de energia, desempenho, escalabilidade e disponibilidade. Os administradores de sistemas podem alocar, de maneira flexível, a infraestrutura de tempo de execução que dá suporte a aplicações comerciais, como servidores de aplicações Java e sistemas de processamento de transações.
Automação do ciclo de vida SOA: do desenvolvimento à implantação e à manutenção
A SOA facilita iniciativas de TI críticas voltadas para a integração de aplicações comerciais (EAI), o desenvolvimento de aplicações compostas e a modernização de legados. Os benefícios incluem a criação rápida de aplicações corporativas, a facilidade de manutenção e a melhor visibilidade do negócio. As instalações de SOA são comprovadamente mais rápidas na resposta, mais econômicas e mais capazes de atender às necessidades do negócio.
Como vimos, a abordagem de grid de aplicações à infraestrutura de middleware permite que um conjunto de aplicações atenda a picos de demanda e melhore o desempenho geral por meio do compartilhamento de recursos. Ela também permite a implantação rápida de aplicações e ajustes dinâmicos automatizados, conferindo maior eficiência, competitividade e simplificação ao seu ambiente de TI. Por exemplo, um componente projetado para calcular os impostos sobre vendas
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
7
pode ser compartilhado por muitas aplicações diferentes. Se ele for implantando em uma infraestrutura flexível de grade de aplicações, os administradores poderão dedicar facilmente recursos adicionais a esse componente para que ele lide com picos de atividade.
Ter esse tipo de infraestrutura de serviços integrados facilita o desenvolvimento de aplicações de negócios coesas. Isso também simplifica tarefas comerciais, como a instalação, o clustering e a configuração.
Começo com aplicações
A Oracle simplifica os projetos de SOA fornecendo middleware pronto para aplicações e para empresas. As aplicações são fundamentais para a SOA porque elas fornecem os serviços básicos e ajudam a estruturar os processos de negócios de que os clientes precisam.
O Oracle Fusion Middleware fornece o fundamento para a SOA, com suporte à extensa família de aplicações da Oracle.
Iniciando pelas aplicações corporativas, os departamentos de TI podem construir arquiteturas orientadas a serviços enquanto se concentram em projetos tangíveis que possam conceder benefícios imediatos ao negócio. Como a Oracle desenvolve suas aplicações no Fusion Middleware, os clientes da Oracle podem alcançar todos os benefícios prometidos pela SOA, mantendo apenas uma única infraestrutura de SOA e conhecimentos para desenvolver aplicações de negócios orientadas a serviços completas.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
8
Opções de desenvolvimento abrangentes
O ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) Oracle JDeveloper ajuda os clientes a desenvolver componentes de SOA de maneira padronizada e reutilizável. Os desenvolvedores usam esse ambiente Java EE para criar rapidamente aplicações e serviços SOA e implantá-los em um ou mais servidores de aplicações. O JDeveloper também facilita outros tipos de desenvolvimento do Fusion Middleware, inclusive gerenciamento de processos de negócio (BPM), portais, business intelligence, entre outros. Esse ambiente de desenvolvimento sofisticado “do princípio ao fim” cobre toda a família de middleware, gerando consistência em toda o conjunto de aplicações.
Em organizações nas quais o Eclipse é o ambiente de desenvolvimento preferido, os desenvolvedores podem aproveitar o Oracle Enterprise Pack for Eclipse por meio dos plug-ins padrão gratuitos do Oracle Fusion Middleware. O Oracle Enterprise Pack for Eclipse é uma boa opção para desenvolvedores Java EE que preferem usar um ambiente de código aberto para desenvolvimento, implantação e depuração de aplicações Java SE, Java EE, Spring, ORM e serviço Web para o Oracle WebLogic Server e o Oracle Database.
O amplo suporte da Oracle aos padrões de web services (WS) simplifica o processo de desenvolvimento de SOA, agilizando as tarefas de integração e garantindo a interoperabilidade com ambientes que não sejam Oracle. Com milhares de padrões em evolução no espaço de serviços da Web, a Oracle ajuda os desenvolvedores a criar uma abordagem padrão que pode ser reproduzida para criar e conectar os componentes de SOA.
Por exemplo, a estrutura de portabilidade do Oracle Fusion Middleware simplifica as conexões nos níveis de protocolo e de políticas. O Oracle WebLogic Suite dá suporte a uma série de padrões de SOA, inclusive JAX-WS 2.1, a Java API para serviços da Web baseados em XML, junto com os padrões OASIS WS-TX 1.2 mais recentes para Web Services Coordination, Web Services Atomic Transactions e Web Services Business Activity. O Oracle WebLogic Suite também dá suporte ao Java SE 6 e aos principais padrões de segurança, inclusive SAML 2.0, WS-Security 1.1 e WS-SecurityPolicy 1.2.
Três camadasversus n-camadas
Além do desenvolvimento de aplicações SOA em n-camadas abordado neste artigo, a Oracle dá suporte a arquiteturas de aplicações de 3 camadas, compostas por apresentação, de lógica de negócios e de acesso a dados. Construídas com Java EE, essas três camadas geralmente são desenvolvidas da seguinte maneira:
• Apresentação com Java Server Pages (JSP)/servlets
• Lógica de negócio com Enterprise Java Beans (EJB)
• Lógica de acesso a dados com Java Persistence API (JPA)
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
9
Como nas aplicações SOA, essas aplicações de três camadas monolíticas podem ser distribuídas entre vários processadores para aumentar o desempenho e a escalabilidade. No entanto, as arquiteturas de três camadas não possuem a capacidade de reutilização das arquiteturas orientadas a serviços, já que a SOA foca no encapsulamento de funcionalidades discretas nos serviços.
Um exemplo: SquareTwo Financial
Situação:
 Uma das líderes em prestação de serviços de gerenciamento de ativos, especializada na aquisição, recuperação e revenda de contas devedoras
 Construir aplicações de internet sofisticadas para uma rede de clientes franqueados que gerenciem o processo de recuperação no setor de compra de dívidas e de cobranças
Desafio:
 Crescimento rápido do negócio por meio da busca por novos mercados
 Não era possível prever o custo, o tempo ou os recursos necessários para concluir projetos futuros
 Precisava de uma infraestrutura ágil baseada em SOA para lidar de maneira eficiente com mudanças e melhorar a eficiência
Solução:
 Oracle SOA Suite, Oracle WebLogic Server, Oracle JDeveloper e Oracle Application Development Framework 11g com recursos de integração prontos para o uso
 Tempo reduzido de desenvolvimento para centenas de aplicações e serviços com fluxo de trabalho automatizado e humano
 Taxas de liquidação maximizadas, custos minimizados, entrega de projetos de TI acelerada em 30%
“O Oracle Fusion Middleware gerou economias significativas em desenvolvimento com seus recursos de integração prontos para o uso e suas ferramentas de desenvolvimento. O ambiente rápido de desenvolvimento permitiu que nós diminuíssemos os custos gerais de desenvolvimento e continuássemos ágeis à medida que as necessidades do negócio mudavam.” Jennifer Briscoe, diretora executiva de tecnologia e vice-presidente, SquareTwo Financial (antiga Collect America).
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
10
Implantação e monitoramento pronto para uso
Os problemas de disponibilidade e de desempenho geralmente surgem a partir de problemas que ocorrem no conjunto de tecnologias utilizadas. O monitoramento proativo da infraestrutura de TI é crucial. O Oracle WebLogic Suite inclui um conjunto abrangente de ferramentas para simplificar o gerenciamento e a administração, inclusive a implantação e a aplicação de patches mais rápidas, a melhor conformidade com os contratos de serviço e a habilidade de descobrir rapidamente a causa raiz dos problemas. Ainda que uma discussão completa desse ambiente esteja fora do escopo deste artigo, as principais tecnologias são resumidas aqui.
O Oracle WebLogic Server fornece um ambiente de tempo de execução para aplicações personalizadas criadas em linguagens de programação populares, como Java, C, C++ e Cobol, além das aplicações desenvolvidas usando produtos na família de produtos Oracle Fusion Middleware, como o Oracle SOA Suite, o Oracle WebCenter Suite, o Oracle Identity Management, o Oracle Content Management, o Oracle Business Intelligence e as ferramentas de gerenciamento de grade. Essa é a melhor base possível para um portfólio Oracle.
O Oracle SOA Suite fornece um repositório para armazenamento, gerenciamento e proteção dos componentes de SOA com a ajuda de várias aplicações maduras de gerenciamento de sistemas da família Oracle Fusion Middleware. O Oracle Enterprise Manager Grid Control fornece recursos de monitoramento e gerenciamento de ponta a ponta para o Oracle SOA Suite. Juntos, eles ajudam a alinhar os indicadores de negócios e de TI, gerenciar os ambientes de tempo de execução de SOA e administrar componentes de SOA, como componentes de processos de negócios, de serviços da Web, de políticas e de infraestrutura.
O Oracle Enterprise Manager também inclui Management Packs para ambientes de SOA, como o Oracle BPEL Process Manager e o Oracle Service Bus, além de um Management Pack para Oracle WebLogic Server. Complementando essas ofertas principais de gerenciamento, existe um Diagnostics Pack e um Configuration Management Pack que dão suporte a middleware da Oracle ou não, inclusive o JBoss Application Server, o WebSphere Application Server, o Apache Tomcat e o Oracle Tuxedo.
Além disso, o Oracle Management Pack Plus for SOA fornece governança de tempo de execução por meio de modelação e monitoramento de aplicações compostas, além de um recurso abrangente de gerenciamento de infraestrutura e serviço para reduzir os custos de implantação e monitoramento das iniciativas de SOA.
Management Packs para WebLogic Suite e SOA
 Reduz o tempo e o esforço necessários para configurar o gerenciamento de desempenho da aplicação
 Minimiza os erros associados aos processos de gerenciamento manual de desempenho de aplicação
 Acompanha as mudanças de ambiente
 Menor custo total de propriedade
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
11
O pacote Composite Application Modeler and Monitor (CAMM)/Composite Application Performance Management (CAPM) ajuda os administradores de SOA a identificar problemas de desempenho dentro de aplicações complexas com várias camadas. Essas ferramentas melhoram a visibilidade modelando automaticamente o fluxo das transações de negócios para Java e aplicações compostas.
O Oracle Fusion Middleware Real Operations Insight melhora a visibilidade em toda a infraestrutura de aplicações, ajudando as empresas a assegurar a disponibilidade contínua e o desempenho de aplicações e serviços. Real Operations Automation utiliza as métricas fornecidas pelo Real Operations Insight para otimizar o gerenciamento de recursos.
Redimensionamento com grid de aplicações
Os varejistas on-line geralmente provisionam hardware adicional para suas aplicações durante as festas de final de ano, assim como os fabricantes quando enfrentam um grande aumento de produção e engenheiros de software quando desejam testar programas grandes. As organizações que executam sua infraestrutura de SOA no Oracle WebLogic Suite podem utilizar o Oracle Coherence e o WebLogic Operations Control para provisionar automaticamente servidores adicionais e a capacidade de armazenamento para acomodar essas cargas de pico. O Oracle Coherence, um componente valioso do WebLogic Suite, melhora o desempenho e a escalabilidade das aplicações de SOA. Por exemplo, o Coherence usa os princípios da grade de aplicações para tornar essas aplicações mais fluidas e fáceis de ajustar. Os administradores podem provisionar e desprovisionar rapidamente as instâncias de servidor conforme a carga de transação aumenta e diminui.
Ferramentas de gerenciamento de ponta a ponta
Compreender as dependências complexas entre serviços, monitorar as expectativas dos clientes e controlar os custos de propriedade do serviço são as maiores barreiras para gerenciar de maneira eficaz as infraestrutura e as aplicações de arquitetura orientada a serviços (SOA). O alto nível de abstração que faz da SOA tão atraente também mascara as relações entre os principais componentes de aplicações. Essa falta de visibilidade torna difícil para os administradores solucionarem falhas e resolverem problemas de desempenho. Também dificulta a determinação do impacto de atualizações individuais e alterações sobre componentes de aplicação específicos, como os serviços da Web e serviços de aplicação que compõem uma aplicação Java EE moderna. O monitoramento dessa camada de aplicações requer ferramentas especiais, visibilidade e conhecimento.
O Oracle WebLogic Server inclui ferramentas de script, um console administrativo e uma estrutura de diagnóstico para gerenciar e monitorar o ambiente de servidor de aplicações. Esses recursos fundamentais de gerenciamento são complementados e ampliados pelo Oracle Enterprise Manager, que fornece uma estrutura de gerenciamento integrada em toda a linha de produtos da Oracle, inclusive aplicações, middleware e banco de dados.
O Oracle Enterprise Manager Fusion Middleware Control ajuda a gerenciar a camada de infraestrutura, além de monitorar e configurar as aplicações do WebLogic Server por meio de um console unificado. As equipes de operações podem aproveitar o Oracle Enterprise Manager Diagnostics Pack para interromper serviços, monitorar e gerenciar aplicações em todos os domínios e visualizar os componentes mais acessados. Elas também podem usar o Oracle Enterprise Manager Management Pack for WebLogic Server para gerenciar o desempenho, acompanhar ou atualizar as configurações e automatizar as operações para vários Oracle WebLogic Domains. Essas ferramentas detectam automaticamente os pontos de extremidade de serviço para monitoramento e fornecem detalhamento
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
12
contextualizado para identificar gargalos de desempenho e problemas de diagnóstico dentro de todas as aplicações executadas em um ambiente do Oracle WebLogic Server.
O ambiente de gerenciamento de SOA da Oracle inclui o Oracle Enterprise Manager Fusion Middleware Control, um ambiente com base na Web desenvolvido explicitamente para o gerenciamento e o monitoramento do Oracle SOA Suite. Esse software lida com todos os aspectos do gerenciamento de SOA, da associação das políticas de segurança ao acompanhamento de mensagens de identificação e reparo de exceções.
Em um nível mais alto, ao oferecer visibilidade da lógica funcional das aplicações Java EE, o Oracle Enterprise Manager ajuda os administradores a realizar análise das causas raízes, a partir dos URLs do código Java até as declarações SQL, ao mesmo tempo em que acompanha o contexto completo de execução da medição.
Conclusão: uma visão empresarial de SOA
Durante anos, SOA foi saudada como uma maneira certa das empresas reduzirem seus custos de TI por meio da reutilização aprimorada de ativos de tecnologia e terem capacidade de resposta rápida às necessidades do negócio. Hoje, as principais empresas adotam a Arquitetura Orientada a Serviços para simplificar seus ambientes de TI e expandir seus recursos de negócios. As instalações de SOA estão em ampla produção.
Os proponentes de SOA geralmente citam estudos que demonstram que a maioria das organizações de TI gasta três quartos de seus orçamentos na manutenção, restando apenas um quarto para novas iniciativas que geram valor para suas organizações. SOA, dizem, permitirá que a TI reverta essa proporção e gaste mais tempo em novas iniciativas.
A Oracle compartilha o entusiasmo do setor com a SOA, mas opta por uma abordagem mais prática e abrangente que os demais fornecedores. O valor empresarial é claro: uma oferta de SOA completa – do desenvolvimento à implantação e ao gerenciamento – que aumenta a produtividade e reduz os custos totais de propriedade.
Você está pronto para maximizar o retorno dos seus investimentos em Arquitetura orientada a serviços? Descubra com a Oracle Service-Oriented Architecture Readiness Assessment: http://soaready.nvishweb.com/soaready/.
Deseja saber mais sobre grid de aplicações? Obtenha informações adicionais no Enterprise Solution Cookbook, que destaca dez soluções de TI do mundo real: http://www.oracle.com/technology/architect/enterprise_solution_cookbook/index.html.
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite
13
Oracle WebLogic Suite e Oracle SOA Suite

SE GOSTARAM DEIXE UM COMENTÁRIO AI COLOCO MAIS BLZ!!

Como reduzir custos com uma melhor utilização de serviços

Como as organizações de TI atendem a prioridades comerciais em constante mudança e enfrentam pressões econômicas, manter a agilidade do data center é fundamental. Ao consolidar sistemas com a tecnologia mais recente de servidores e beneficiar-se das técnicas de virtualização, as empresas podem otimizar a eficiência do data center, obter flexibilidade e reduzir custos operacionais — sem sacrificar o desempenho ou impactar os níveis de serviço.
Praticamente todos os aspectos de um negócio dependem dos serviços oferecidos por data centers corporativos para se manterem à frente das condições comerciais em constante mudança. Embora os inúmeros recursos e capacidades permitidos por uma grande infraestrutura tenham um valor inestimável, esses sistemas muitas vezes são inflexíveis, impedindo a agilidade de que as empresas precisam para reagir a mercados mundiais em evolução. De fato, o ambiente extremamente competitivo dos dias atuais está forçando empresas a buscarem novas maneiras de se adaptar e inovar para sobreviver e obter lucros. Por outro lado, as organizações de TI lidam com pressões em nível de serviço que exigem reduções de custo e uma maior eficiência operacional. A chave para o sucesso é encontrar o equilíbrio certo.
Este artigo técnico destaca como clientes podem utilizar uma virtualização inovadora e tecnologias consolidadas da Oracle para obter uma economia substancial em seus investimentos em servidores Sun da Oracle.

Otimizar a eficiência do data center com consolidação
Conforme as necessidades das empresas, organizações de TI adicionam novos sistemas para suportar os serviços do data center. Se não forem cuidadosamente planejadas, essas adições podem resultar em uma rede de sistemas desordenada e complexa, que consome um espaço valioso e cria demandas excessivas de potência e refrigeração, além de cara e de difícil gerenciamento. Atualmente, muitas dessas plataformas estão atingindo seus limites de capacidade, fazendo com que seja complicado para os data centers depender de sistemas e soluções de escala para atender a contratos de nível de serviço. A resposta: consolidação. Consolidação de servidores — reunir aplicações, bancos de dados e serviços em menos servidores altamente confiáveis — não é apenas uma tendência, mas uma necessidade. Ao seguir para as tecnologias mais recentes e implementar técnicas de virtualização, as empresas podem consolidar-se em menos sistemas que produzem mais trabalho e custam menos para funcionar.
Prova de que a consolidação funciona
Estratégias de consolidação são importantes aliadas para organizações de TI que buscam oferecer serviços mais inovadores a um custo menor — e nenhuma empresa entende isso melhor que a Oracle. Um exemplo de nossa história pode ilustrar isso melhor. Antes de ser adquirida pela Oracle, a Sun consolidava instalações que suportavam sua engenharia de armazenamento e grupos corporativos e de suporte ao consumidor em um data center de última geração. Ao substituir servidores antigos e sistemas de armazenamento pela tecnologia mais recente disponível da Oracle, a Sun comprimiu salas de data center de nove prédios, que ocupavam 496.000 metros quadrados de espaço, em um data center novo, de última geração, com 126.000 metros quadrados em suas instalações no Colorado. Utilizando uma arquitetura de integração única com técnicas inovadoras de conectividade, potência e refrigeração, o data center praticamente eliminou a necessidade de um maior espaço físico.
Com a tecnologia Oracle Solaris Container e o software VMware ESX Server, a Sun pôde consolidar 63 servidores e 30 dispositivos de armazenamento diretamente conectados a dois servidores Sun Fire X4600 da Oracle. Além disso, um grupo de biblioteca virtual de fita substituiu 19 servidores legados de nível empresarial por dois servidores Sun SPARC Enterprise M5000 da Oracle, utilizando Dynamic Domains e Containers para partição do hardware e para replicar os ambientes de aplicação que estavam funcionando nos sistemas antigos. No final, 88% dos metros quadrados originais foram comprimidos, e a utilização de 5.000 metros quadrados para data center foi evitada, economizando US$ 2,3 milhões.
Ao consolidar as operações do data center e atualizar a infraestrutura do hardware com sistemas Sun de alto desempenho e que consomem menos energia, a Sun pôde evitar um gasto de US$ 4 milhões em custos de construção para pisos elevados, diminuir o consumo de energia em mais de 1 milhão de quilowatts/hora por mês, aumentar a eficiência da refrigeração em 32%, eliminar resíduos de chumbo e de elementos químicos e reduzir custos com refrigeração gratuita por mais de um terço do ano. Essa economia permitiu que a Sun criasse um ambiente menos agressivo ao meio ambiente, implementando um sistema de tratamento de água que economiza 675.000 galões de água por ano. Resultados dessa magnitude podem parecer extraordinários, mas podem ser obtidos por clientes da Oracle em todo o mundo.

Atualize o data center com a tecnologia mais recente de servidores
Ciclos de atualização de tecnologia são necessários e podem ajudar empresas em sua consolidação e a operar em desempenho máximo. A abrangente linha de poderosos sistemas SPARC e x86 da Oracle varia de servidores blade e rackmount a sistemas de larga escala com até 256 núcleos de processador e 4 TB de memória principal, que executam ambientes Oracle Solaris, Linux e Microsoft Windows (veja

Servidores Sun com tecnologia CoolThreads
Servidores Sun com tecnologia CoolThreads oferecem a próxima tendência em design de sistema inovador com desempenho recorde no mundo inteiro e uma ótima relação custo-desempenho. Além disso, fornecem uma eficiência inovadora no uso de energia e espaço, assim como o melhor desempenho por watt do segmento. Combinando o desempenho e a escalabilidade dos servidores médios com designs de chip com multithreading que economizam energia, esses servidores suportam até 64 threads em execução simultânea, alta memória, aceleração de criptografia e tecnologia E/S integrada on-chip para oferecer melhorias dramáticas em relação às arquiteturas de sistema tradicionais. Sistemas escaláveis estão disponíveis — de designs blade e rackmount que consomem menos espaço e energia, com opções de E/S e disco interno, a servidores certificados Network Equipment Building Specification que lidam com as demandas de ambientes de alta confiabilidade. Ventiladores de resfriamento, unidades e fornecimento de energia “hot-pluggable” ajudam a eliminar interrupções e oferecem a mais alta confiabilidade para tempo médio entre interrupções dos serviços e tolerância a falhas.
As medições de espaço, watts e desempenho (SWaP) mostram que os servidores da Sun podem superar sistemas de outros fornecedores que utilizem até os mais recentes processadores IBM POWER6 ou Intel Xeon, consumindo até 30% menos energia e ocupando metade do espaço do data center — tudo isso atingindo ou excedendo os níveis de desempenho. De fato, aplicações baseadas em tecnologia Java podem ser executadas em servidores Sun mais rapidamente, em menos espaço e utilizando menos energia que em sistemas IBM e HP. Por exemplo, o servidor Sun SPARC Enterprise

T5440 com quatro processadores fornece um desempenho até 4,4 vezes melhor e um desempenho por watt mais de 3,5 vezes melhor que os servidores IBM Power 570 e HP Integrity rx6600, além de economizar até metade do espaço de que eles precisam, de acordo com o Standard Performance Evaluation Corporation’s SPECjbb2005 (Referencial Java Server) (veja a Figura 2). 1 Além disso, o servidor Sun SPARC Enterprise T5240 fornece até cinco vezes o desempenho, ocupando a metade do espaço, e um desempenho por watt 2,5 vezes melhor que muitos sistemas x86 — e custa até 30% menos.

Servidores Sun SPARC Enterprise M-Series
Os servidores Sun SPARC Enterprise M-Series são sistemas altamente confiáveis, fáceis de gerenciar e verticalmente, horizontalmente e diagonalmente escaláveis, com todos os benefícios dos mainframes e sem o custo associado, a complexidade ou a dependência de fornecedores. De fato, esses servidores oferecem uma arquitetura de sistema de classe de mainframe a preços de código aberto. Com escalabilidade simétrica multiprocessamento de 1 a 64 processadores, subsistemas de memória de 4 TB e arquiteturas E/S de alto throughput, os servidores Sun SPARC Enterprise M-Series suportam facilmente o peso necessário para cargas de trabalho consolidadas.

1Os resultados são do spec.org em 10/10/08. Servidor Sun SPARC Enterprise T5440 (4 chips, 32 núcleos): 692.736 operações de negócios por segundo SPECjbb2005 (BOPS), 21.648 SPECjbb2005 BOPS / Máquina Virtual Java (JVM). Resultados enviados ao SPEC. IBM Power 570 (4 chips, 8 núcleos) 402.642 BOPS SPECjbb2005, 100.731 BOPS/JVM SPECjbb2005. HP Integrity rx6600 (4 x1.6 GHz Intel Itanium 2 chips, 8 núcleos) 158.174 BOPS SPECjbb2005, 39.544 BOPS/JVM SPECjbb2005. IBM Power 570 (8 x 4.2 GHz IBM POWER6 chips, 16 núcleos, 128 GB RAM) 798,752 BOPS SPECjbb2005, BOPS/JVM SPECjbb2005 = 99.844 IBM Power 570 (2 módulos) especificações de energia calculadas como 80% da potência de entrada máxima relatada em 10/5/08. Potência do HP Integrity rx6660 calculada como 80% da dissipação da energia de entrada máxima relatada em 10/5/08. Consumo de energia do servidor Sun SPARC Enterprise T5440 extraído de medições feitas durante o referencial. Custos estimados com aquecimento, ventilação e refrigeração calculados como 100% além do uso de energia por ano (com base na média mundial de US$ 0,13/quilowatt-hora) de acordo com a World Energy Organization.

Toda a família de produtos — os servidores Sun SPARC Enterprise M3000, Sun SPARC Enterprise M4000, Sun SPARC Enterprise M5000, Sun SPARC Enterprise M8000 e Sun SPARC Enterprise M9000 — possui um design equilibrado e altamente escalável. O design utiliza a última geração de processadores SPARC64 conectados à memória e E/S por um novo sistema de interconexão de alta velocidade e baixa latência, fornecendo um throughput excepcional para aplicações de software. Por exemplo, o servidor Sun SPARC Enterprise M9000, que executava o Oracle Solaris 10, o SAP ERP 6.0 e o Oracle Database 10g, atingiu 39.100 vendas SAP e usuários de distribuição em uma medida padrão de desempenho ERP (Enterprise Resource Planning), de acordo com o referencial SAP 2 Sales and Distribution (veja a Figura 3). Além disso, o servidor Sun SPARC Enterprise M9000 alcançou um novo recorde mundial único em desempenho de sistemas no referencial TPC-H data warehousing no fator de escala 1 TB, demonstrando a eficiência do Oracle Solaris 10 executando o Oracle Database 11g em uma plataforma SPARC com base em processador. Utilizando o mesmo número de núcleos, o servidor Sun SPARC Enterprise M9000 superou o melhor resultado único entre sistemas concorrentes, publicado pelo HP Integrity Superdome, em 69%, com uma vantagem de 18% na proporção custo-desempenho.

Projetados também para reduzir o tempo inativo planejado e não planejado, esses servidores incluem excelentes recursos RAS para evitar paradas e reduzir o tempo de recuperação. Recursos de design, como integração avançada de CPU e integridade de caminhos de dados, além de espelhamento de memória, proteção de dados ponta a ponta, componentes com tecnologia hot-swap, opções de energia tolerantes a falhas e hardware redundante aumentam a confiabilidade desses servidores. Além disso, recursos de reconfiguração dinâmica permitem que as empresas consolidem em servidores Sun SPARC Enterprise M-Series e mantenham total controle sobre os recursos do sistema — para uma primeira reconfiguração on-line de processadores, memória e E/S.

Virtualize para economizar ainda mais
A virtualização está emergindo como uma ferramenta importante para as empresas na busca por consolidar infraestruturas redundantes e antigas e criar um data center mais ágil e que ofereça maior custo-desempenho. De fato, tecnologias de virtualização de servidores podem ajudar empresas a recuperar-se rapidamente de desastres, a melhorar o tempo de entrada no mercado para novos serviços e fazer um melhor uso da infraestrutura para reduzir requisitos de espaço, energia e refrigeração. A Oracle oferece opções e flexibilidade quanto a tecnologias de virtualização de servidores — desde suporte a uma ou mais instâncias de sistemas operacionais (SO) a soluções de pouco ou completo isolamento, que variam quanto a características de flexibilidade e desempenho

Alguns dos recursos e benefícios da tecnologia de virtualização da Oracle incluem:
• O gerenciamento de recursos aprimora os benefícios e a simplicidade de executar várias aplicações no mesmo servidor e instância de SO. Controles administram o uso de CPU, memória e recursos de E/S, além de permitir que os administradores definam e apliquem diretivas que garantam o compartilhamento de recursos disponíveis para as aplicações.
• A virtualização em nível de sistema operacional permite que várias aplicações compartilhem a mesma instância de SO, fornecendo domínios de segurança separados para cada aplicação — com sobrecarga muito baixa. O Oracle Solaris Containers combina gerenciamento de recursos e virtualização em uma solução que funciona em qualquer servidor utilizando o SO Oracle Solaris. Até 8.000 contêineres podem ser criados em um domínio — 32 vezes mais que nas soluções de particionamento da IBM.

O Oracle VM Server para SPARC e o Oracle Solaris Containers oferecem recursos de virtualização incorporados para servidores da Sun com tecnologia CoolThreads, ajudando as empresas a consolidar, virtualizar e economizar como nunca. Execute até 128 máquinas virtuais em um servidor sem pagar por tecnologias de virtualização proprietárias e aumente substancialmente o uso do servidor, a eficiência e o ROI.
• Monitores de máquinas virtuais fornecem maior isolamento, suportando vários tipos e instâncias de SOs na mesma máquina. Cada aplicação pode executar sua própria instância de sistema operacional e um hypervisor dará a cada aplicação a impressão de que ela possui um conjunto de hardware completo e exclusivo.
• Partições rígidas suportam várias instâncias de SO sem a sobrecarga de um hypervisor. Disponível em servidores de nível intermediário e de última geração da Oracle, incluindo os servidores Sun SPARC Enterprise M-Series, o Dynamic Domains oferece o melhor em isolamento com um ambiente eletricamente isolado separado para cada SO. Diferentemente dos recursos de domínio de outros fornecedores, o Dynamic Domains pode ser redimensionado dinamicamente — um soquete por vez.
Sucesso comprovado por clientes
Ao alternar para sistemas mais eficientes e poderosos da Sun, organizações de vários setores diferentes perceberam a enorme economia em custos e recursos, permitindo um excedente de recursos que pode ser utilizado para expandir seus negócios.
Forneça serviços mais rapidamente e a menores custos
A DigiTar, uma inovadora em serviços de mensagens, pôde oferecer serviços de mensagem avançados altamente escaláveis e processar mensagens mais rapidamente a um custo mais baixo. A empresa substituiu oito servidores HP por dois servidores Sun. Os benefícios da troca estão listados a seguir:
• Quatro vezes e meio o desempenho dos sistemas existentes
• Duas vezes a capacidade de processamento dos servidores de banco de dados MySQL
• Melhoria de 10 vezes na relação custo-desempenho
• Redução de 75% nos custos operacionais para aplicações de banco de dados MySQL
• Redução de 83% no uso de energia e dissipação de calor
• Redução de 5% no consumo de energia total

Controle o crescimento e reduza o tempo inativo
A PlanetOut, uma importante empresa de mídia, consolidou 400 servidores Sun mais antigos em 70 servidores Sun Fire T1000. Com essa migração, a empresa obteve o seguinte:
• Reduziu o espaço gasto com servidores em 50%
• Mudou-se para um data center menor
• Percebeu uma maior satisfação dos clientes, com praticamente nenhuma interrupção do serviço
• Obteve retorno financeiro em um ano e meio
Dobre a capacidade reduzindo espaço e custos
Ao atualizar servidores de banco de dados para os servidores Sun SPARC Enterprise M4000 e Sun SPARC Enterprise M5000, a Core Services obteve o seguinte:
• Reduziu o tempo de execução de tarefas de fabricação em lotes em até 67%
• Melhorou o tempo inativo de CPU em 60% em carga média
• Reduziu o número de CPUs necessárias em mais de 35%
• Reduziu o espaço consumido em dois terços com servidores compactos com vários núcleos
• Economizou entre US$ 200.000 e US$ 300.000 em custos de licenciamento
Dobre o desempenho com virtualização e uma sólida consolidação
Ao implantar aplicações de negócios essenciais nos servidores Sun SPARC Enterprise M5000, Sun SPARC Enterprise M9000 e Sun SPARC Enterprise T5220, executando o Oracle Solaris 10, e utilizar a tecnologia de virtualização da Oracle, a Clifford Chance — uma das maiores empresas de advocacia do mundo — obteve o seguinte:
• Dobrou o desempenho de uma aplicação chave para o negócio
• Consolidou o hardware de servidor em 90%
• Planejou a consolidação de 10 data centers globais em 4
• Previu um aumento na taxa de utilização de servidor de 15 a 25% para 85%
• Projetou o retorno sobre o investimento integral em dois anos

Resultados reais e tangíveis para qualquer organização
Mostramos que organizações que migram de servidores HP para servidores Oracle obtêm uma economia substancial. Uma empresa que consolidar 18 servidores HP Integrity Superdome em um único servidor Sun SPARC Enterprise M9000 perceberá mais de US$ 15 milhões em economia em cinco anos apenas com o hardware. A troca reduzirá energia e refrigeração em 90%, requisitos de espaço físico em 95% e trará um ROI de mais de 200%, com retorno em 26 meses.
Ao consolidar sistemas com a última tecnologia em servidores e empregar técnicas de virtualização, empresas podem reduzir custos operacionais substancialmente e aumentar a confiabilidade e a produtividade2
Ao mover aplicações e serviços para dois servidores Sun SPARC Enterprise M8000 com 14 placas de sistema e quatro servidores Sun SPARC Enterprise T5440 utilizando apenas 68 metros quadrados de espaço no data center, uma empresa poderá perceber uma economia de mais de US$ 3,5 milhões em cinco anos apenas sobre o hardware e recuperar cerca de 90% de espaço físico utilizado pelos servidores. Adicionando uma redução de 80% em energia, refrigeração e emissões de dióxido de carbono, a empresa pode economizar mais de US$ 1,3 milhão em custos ambientais. . Por exemplo, uma organização de TI com uma variedade de sistemas da Sun como os servidores Sun Fire 220, Sun Fire 280, Sun Fire V440 e Sun Fire V880 (com um total de 115 placas de sistema localizadas em 618 metros quadrados de espaço em data center) pode consolidar e virtualizar nos servidores Sun SPARC Enterprise M8000 e Sun SPARC Enterprise T5440 para obter uma economia substancial.
Com um investimento inicial de US$ 391.000 para os sistemas e consultoria profissional de implementação de serviços, a empresa pode economizar aproximadamente US$ 2,3 milhões em custos de manutenção e mais de US$ 147.000 em produtividade do administrador de sistema. A empresa pode aumentar a confiabilidade de três 9s para quatro 9s para economizar US$ 291.000 em cinco anos reduzindo o tempo inativo não planejado. Oferecendo uma taxa interna de retorno de 151% e um ROI de 903%, a estratégia de atualização, consolidação e virtualização retornará o investimento em 14 meses (veja a Figura 5).
2 Os dados desse exemplo são fornecidos apenas para fins de informação e não constituem uma proposta ou garantia de resultados por parte da Oracle. Os dados são calculados com uma ferramenta proprietária que ilustra o ROI potencial, o custo total de propriedade e oferece outros resultados financeiros que os clientes podem obter implementando várias soluções de TI. Os resultados mostrados são baseados na aplicação de premissas em uma determinada entrada de dados. Os resultados reais podem variar dependendo de fatores como precisão das premissas e dos dados.

Conclusão
Tecnologias inovadoras e serviços de suporte estão trazendo economias de escala para as empresas. Existe a oportunidade de obter eficácia consolidando a infraestrutura do data center. Com a tecnologia e as estratégias de virtualização mais recentes, as empresas podem agilizar o data center e lidar diretamente com desafios comerciais. A Oracle e seus parceiros podem ajudar organizações a selecionar alvos interessantes para consolidação que ofereçam um ROI satisfatório. Se as empresas buscam reduzir os custos, conservar energia, melhorar os tempos de resposta, aumentar os níveis de serviço, reagir mais rapidamente a novas demandas ou otimizar receitas, a implementação de servidores Sun da Oracle com o Oracle Solaris 10 pode ajudar a trazer resultados bem definidos e mensuráveis.

GOSTOU DEIXE UM COMENTÁRIO.

Oracle Centro de Recursos – Brasil

Oracle
Uma revolução em agilidade: Integração de negócios através de uma arquitetura orientada a serviços

Com o mundo dos negócios de hoje em dia mudando rapidamente, organizações de todos os tipos enfrentam um desafio comum e persistente: como tornar-se e manter-se suficientemente ágil para satisfazer as expectativas cada vez maiores dos clientes e acomodar novos mandatos de conformidade, tudo isso enquanto se mantém à frente da concorrência.
A solução é a integração de negócios. Ao combinar o gerenciamento de processos de negócios (BPM, Business Process Management) e uma abordagem orientada a serviços (SOA, Service-oriented Architecture) para o gerenciamento de TI, a integração de negócios promove a eficiência e a automação através de todos os processos, garantindo que os ativos de TI existentes suportem processos de negócios reais e que os novos investimentos em TI se concentrem em obter o máximo retorno. Embora o conceito seja simples, a integração de negócios tem se mostrado difícil de implementar ao longo dos anos; entretanto, com a abordagem baseada em uma arquitetura orientada a serviços, que coloca as áreas de negócios e TI no mesmo nível, e as soluções e a experiência da Oracle, não precisa ser assim. Ao empregar as estratégias descritas neste artigo técnico, as organizações podem garantir uma transição de sucesso, tranquila e gradual, para realizar a integração de negócios.
Ao combinar o BPM com uma abordagem orientada a serviços para o gerenciamento de TI, a integração de negócios promove a eficiência e a automação através de todos os processos.
O DESAFIO
Cada vez mais, as organizações estão procurando na TI as ferramentas para mapear soluções para os seus problemas de negócios complexos, o que, consequentemente, significa dar a eles os componentes flexíveis de que precisam para suportar esse processo. Entretanto, esse tipo de integração de negócios tem apresentado tradicionalmente dois desafios: fazer a ligação entre os mundos de negócios e de TI e fornecer uma infraestrutura flexível e robusta para suportar essa ligação. As organizações normalmente adotam uma abordagem de cima para baixo (top-down) ou de baixo para cima (bottom-up) para a tarefa, as quais apresentaram um pequeno índice de sucesso. A abordagem de cima para baixo analisa os processos de negócios para obter operações computacionais específicas, muitas das quais são um pouco semelhantes aos recursos de software existentes. A abordagem de baixo para cima, por outro lado, baseia-se em operações computacionais mais abstratas

lcm e o nosso destino

O HP ORACLE EXADATA STORAGE SERVER

O HP Oracle Exadata Storage Server é um produto de armazenamento altamente otimizado para uso com o banco de dados Oracle. O Exadata permite um desempenho excepcional de processamento SQL e I/O para aplicações de data warehousing, tirando proveito de uma arquitetura massivamente paralela para ativar uma grade de armazenamento dinâmico em implementações do Oracle Database 11g. O Exadata é uma combinação de software e hardware usada para armazenar e acessar o banco de dados Oracle. Ele oferece serviços de armazenamento compatíveis com banco de dados, como a capacidade de transferir o processamento de banco de dados do servidor de banco de dados para o armazenamento, fazendo isto de forma transparente para o processamento SQL e suas aplicações de banco de dados. O armazenamento Exadata melhora consideravelmente o desempenho, com escalabilidade ilimitada de I/O. Ele é simples de usar e gerenciar e oferece à sua empresa disponibilidade e confiabilidade para atividades de missão crítica.
O Exadata permite um desempenho excepcional de processamento SQL e I/O para o Oracle Database, tirando proveito de uma arquitetura massivamente paralela para ativar uma grade de armazenamento compartilhado em implementações do Oracle Database 11g.
O Exadata é uma oferta conjunta da Oracle e da Hewlett Packard (HP). A HP está fornecendo a tecnologia de hardware usada no Exadata Storage Server. A Oracle está fornecendo o software para conceder inteligência de banco de dados ao armazenamento, e integra fortemente o armazenamento Exadata com o banco de dados Oracle e todos os seus recursos. A HP contribui com a sua presença em todo o mundo e a liderança em matéria de alto volume dos servidores x86, além da organização de suporte de classe mundial que torna esta parceria tão poderosa. A parceria entre a Oracle e a HP torna possível o oferecimento do Exadata Storage Server e dos recursos revolucionários que ele traz consigo.
LIMITES ATUAIS DE I/O NO BANCO DE DADOS
A base do Exadata é o software de banco de dados inteligente para manipular a análise complexa feita por aplicações de data warehousing. O banco de dados Oracle oferece software inteligente como indexação de bitmaps, indexação de junções, cubos OLAP, views materializadas, caches de resultado, particionamento, etc para permitir uma análise de dados bastante sofisticada e minimizar a necessidade de hardware caro. Contudo, para acessar bancos de dados que contêm centenas de terabytes de dados, o aprimoramento do software inteligente com um hardware robusto para executar varreduras e junções do tipo “brute-force” propicia extraordinárias oportunidades para oferecer à sua empresa um maior volume de processamento de banco de dados, de forma mais rápida. Ter um hardware robusto

para oferecer a largura de banda necessária para aplicações sofisticadas de data warehousing, além de um software inteligente, é a chave para o desempenho excepcional permitido pela família de produtos Exadata.
Os produtos de armazenamento tradicionais oferecem ao banco de dados Oracle uma interface estreita e limitada com o armazenamento de banco de dados. Existem muitos gargalos no caminho de I/O do banco de dados que restringem a largura de banda dos dados e, portanto, limitam o desempenho global do banco de dados. Os servidores de banco de dados precisam de muitos HBAs (“Host Bus Adapters”, Adaptadores de Barramento do Host) da SAN (“Storage Area Network”, Rede de Armazenamento) para fornecer a largura de banda necessária para transferir dados, do armazenamento para o banco de dados, a uma taxa adequada. Com muita frequência, o servidor não suporta o número de HBAs necessários para propiciar um desempenho adequado, ou então o custo é alto demais para permitir a viabilidade. E, para poder oferecer a largura de banda e a redundância necessárias, o custo e a complexidade do switch da SAN aumentam consideravelmente. Além disso, os arrays de armazenamento de grande porte não podem oferecer a largura de banda necessária para as centenas de discos que alojam. Isso faz com que o desempenho potencial dos discos fique bem abaixo do que eles são capazes de oferecer. O desempenho do disco é represado nos FCLs (“Fibre Channel Loops”, Loops Fibre Channel) no que diz respeito ao disco e à capacidade de processamento do array de armazenamento.
Os dispositivos de armazenamento tradicionais também não detectam que um banco de dados está residindo no armazenamento e, portanto, não podem suprir I/O ou processamento SQL compatível com o banco de dados. Quando o banco de dados solicita linhas e colunas, o que é retornado do armazenamento são blocos de dados, em vez do conjunto de resultados de uma consulta ao banco de dados. O armazenamento tradicional não tem inteligência de banco de dados para discernir as linhas e colunas em particular realmente solicitadas. Portanto, durante o processamento de I/O em favor do banco de dados, o armazenamento tradicional consome largura de banda, retornando um monte de dados que não são relevantes para a consulta que foi feita ao banco de dados.
O processamento SQL Smart Scan no armazenamento Exadata leva a inteligência de banco de dados o mais próximo possível do hardware para conseguir um desempenho espetacular de I/O.
Os produtos Exadata endereçam as três principais dimensões da I/O do banco de dados que podem atrapalhar o desempenho do data warehouse.

O Exadata se baseia em uma arquitetura massivamente paralela que oferece mais canais para transferir os dados mais rápido entre os servidores de banco de dados e os servidores de armazenamento.

O Exadata foi construído usando canais mais amplos, que propiciam uma largura de banda extremamente alta entre os servidores de banco de dados e os servidores de armazenamento.

O Exadata está ciente do banco de dados e pode carregar apenas os dados necessários para satisfazer as solicitações do SQL, o que resulta no envio de um menor volume de dados entre os servidores de banco de dados e os servidores de armazenamento.

FAMÍLIA DE PRODUTOS EXADATA
Há dois membros na família de produtos Oracle Exadata. A base da família de produtos Exadata é o HP Oracle Exadata Storage Server. Ele é usado para criar soluções de data warehousing que utilizam servidores e infraestrutura de banco de dados fornecidos pelo cliente. O segundo membro da família de produtos Exadata é o HP Oracle Database Machine. O Database Machine é uma solução completa e totalmente integrada para data warehousing que inclui todos os componentes para disponibilizar de forma rápida e fácil um data warehouse empresarial.
HP Oracle Exadata Storage Server
Um Exadata Storage Server é um dispositivo de armazenamento de banco de dados que executa o Software do Exadata Storage Server fornecido pela Oracle. Os componentes de hardware do Exadata Storage Server (também referidos como uma célula do Exadata) foram cuidadosamente escolhidos para atender as necessidades de processamento de consultas de alto desempenho. O software do Exadata é otimizado para tirar o máximo proveito possível dos componentes de hardware e do Oracle Database. Cada célula do Exadata propicia um desempenho de I/O e uma largura de banda superiores para o banco de dados.
O Exadata Storage Server é a base da família de produtos Exadata. As células são conectadas a servidores de banco de dados e usadas como o armazenamento persistente para o banco de dados.
O hardware da célula se baseia no servidor HP ProLiant DL180 G5. A célula vem pré-configurada com: dois processadores Intel quad-core de 2,66 Ghz, doze discos conectados a um controlador de armazenamento de array inteligente com 512 K de cache não volátil, 8 GB de memória, conectividade InfiniBand de porta dupla, placa de gerenciamento para acesso remoto, fontes de alimentação redundantes, todos os softwares pré-instalados, além de poder ser instalado em um rack típico de aproximadamente 50 cm.

APRENDA HÁ USAR O ORACLE

APRENDA HÁ USAR O ORACLE

Figura 1: Célula de Armazenamento do Exadata
Duas versões de célula Exadata são oferecidas. A primeira se baseia em unidades SAS (Serial Attached SCSI) de 450 GB. Esta versão da célula oferece até 1,5 TB de capacidade para dados não compactados de usuários, e uma largura de banda de dados de até 1 GB/s. A segunda versão da célula Exadata se baseia em unidades SATA (Serial Advanced Technology Attachment) de 1 TB e fornece até 3,3 TB de capacidade para dados não compactados de usuários, e uma largura de banda de dados de até 750 MB/s. Quando os dados são armazenados de forma compactada, o volume de dados de usuários e de largura de banda dos dados oferecido por cada célula muitas vezes dobra ou triplica. A capacidade para dados de usuários é calculada após o espelhamento de todos os discos, e depois que o espaço é

reservado para estruturas de banco de dados como logs, undo e espaço temporário. Os dados reais dos usuários variam de acordo com a aplicação.
O armazenamento do Oracle Exadata usa uma interconexão InfiniBand do mais alto nível de desenvolvimento entre os servidores e o armazenamento. Uma célula Exadata possui conectividade InfiniBand de porta dupla para uma alta disponibilidade. Cada link InfiniBand propicia uma largura de banda de 16 Gigabits – muitas vezes maior do que o armazenamento tradicional ou redes de servidores. Além disso, o protocolo de interconexão da Oracle usa o posicionamento direto dos dados (DMA – direct memory access, acesso direto à memória) para garantir um overhead mínimo da CPU, transferindo os dados diretamente do condutor aos buffers do banco de dados sem a necessidade de fazer cópias extras dos dados. A rede InfiniBand tem a flexibilidade de uma rede LAN, com a eficiência de uma SAN. Usando uma rede InfiniBand, a Oracle garante que a rede não apresente gargalos no desempenho. A mesma rede InfiniBand também oferece uma interconexão de cluster de alto desempenho para os nós RAC (Real Application Cluster) do Oracle Database.
Na figura 2 a seguir, é mostrado um pequeno ambiente de banco de dados baseado no armazenamento Exadata. Dois Oracle Databases, um RAC e uma instância única, estão compartilhando três células Exadata. Todos os componentes desta configuração – servidores de banco de dados, células Exadata, switches InfiniBand, switches Ethernet e outros hardwares de apoio – podem ser alojados, e ocupam menos da metade de um rack típico de aproximadamente 50 cm.
Exadata CellInfiniBand Switch/NetworkSingle-InstanceDatabaseRAC Database

NetworkSingle-InstanceDatabaseRAC DatabaseExadata CellExadata CellExadata CellExadata CellExadata Cell

A arquitetura do Oracle Exadata permite a ampliação de escala para qualquer nível de desempenho. Para obter melhor desempenho e maior capacidade de armazenamento, outras células Exadata são adicionadas à configuração. À medida que mais células são adicionadas, aumentam linearmente a capacidade e o desempenho. Não é necessária nem efetivamente realizada nenhuma comunicação de célula para célula em uma configuração Exadata.
Conforme mostrado na figura 3 a seguir, um rack 42U típico de aproximadamente 50 cm pode conter até dezoito células Exadata. Se você optar por discos SAS, ficarão disponíveis 97 TB de capacidade bruta (216 TB de capacidade bruta com

AINDA CONTINUA EM BREVE EDITAREI O RESTO BLZ!!….