DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

cropped-luii.jpg

Qualidade de Software é uma área de conhecimento da Engenharia de Software que estuda as propriedades da Qualidade de produtos e processos de desenvolvimento de software. A definição mais universalmente aceita para o assunto é que a qualidade é a conformidade a requisitos. Essa definição exige determinar dois pontos: o que se entende por conformidade; e como são especificados – e por quem – os requisitos. As duas vertentes – qualidade de produto e qualidade de processo – são complementares e interdependentes. Espera-se que a qualidade do processo de fabricação tenha um impacto positivo sobre o software obtido. Entretanto, tal objetivo será atingido se houver uma compreensão clara de que os processos devem fornecer todos os mecanismos necessários para especificar o produto e controlar a fabricação. Para um maior esclarecimento da qualidade no processo de desenvolvimento de software, e, por conseguinte do próprio software. Será desenvolvido nesse projeto os seguintes tópicos: requisitos de qualidade; o processo de software; garantia de qualidade de software; controle de versão de software com o cvs; o cmm; o controle de versão de software na cmm; o cvs; ferramentas complementares ao cvs; a qualidade de software e o mercado; padronização dos processos (prós); e a falácia da padronização dos processos (contras)

1 – REQUISITOS DE QUALIDADE Requisitos de Qualidade é um tópico por si dentro do assunto Qualidade. Dentro da ótica desta última, espera-se que os requisitos sejam definidos de maneira a caracterizar completamente o produto a ser construído. Nesse aspecto é evidente que as zonas de sombra dentro de uma especificação abrem margem a todo tipo de problemas de avaliação de produtos. Sommerville distingue requisitos funcionais e não funcionais. O modelo internacional mais recente Square, estabelecido pela norma ISO 25000, adota uma classificação um pouco diferente e utiliza uma descrição hierárquica. Dentro dessa descrição, “funcionalidade” é uma das seis divisões iniciais em que se classificam os requisitos de um produto de software. Idealmente, a especificação de requisitos deve permitir que o processo de fabricação do software seja controlado. Isso significa que idealmente a qualidade de produtos intermediários deve poder ser mensurada e que os dados obtidos devem trazer informação que possa levar ao controle de desvios, localização de defeitos e outras ocorrências negativas. Para permitir a avaliação de produtos finais e de produtos intermediários, a especificação de requisitos deve, idealmente, especificar qualitativa e quantitativamente os objetivos a serem atingidos. Esse objetivo é bastante desafiador. As experiências iniciais indicam que cada empresa deve construir sua base de dados própria, a partir da qual é possível refinar as especificações de novos produtos. Esse caráter localizado dos dados se explica pelo fato de que não há especificações universais de qualidade de software. Os requisitos variam caso a caso, não apenas em função dos clientes mas também dos critérios utilizados pela própria empresa fabricante. 2 – O PROCESSO DE SOFTWARE Nas últimas décadas foram propostas dezenas de metodologias e processos adaptados a diferentes cenários e produtos. Embora se possa justificar essa multiplicidade, é um fato que a situação se mostra confusa. Há dezenas de trabalhos propostos para casos particulares. Exemplos das diversas iniciativas para tratar o assunto são metodologias como XP e Scrum; o

modelo CMM, seguido de toda uma série de adaptações (como SW-CMM, people- CMM, etc.), mais tarde substituído pelo modelo CMMi; e dezenas de artigos e teses de mestrado e doutorado, abordando tópicos particulares em um ou mais de tais métodos, ou propondo ainda novas adaptações a casos particulares. A situação deixa evidente que há um vácuo a ser preenchido – atacar a raiz do problema e identificar uma estrutura suficientemente geral, capaz de explicar o problema de qualidade e ser adaptada a todos os cenários diferentes. Se tal objetivo é possível resta a ser provado – assunto para novos artigos e teses. 3 – GARANTIA DE QUALIDADE DE SOFTWARE A Garantia da Qualidade de Software (GQS) é a área-chave de processo do CMM cujo objetivo é fornecer aos vários níveis de gerência a adequada visibilidade dos projetos, dos processos de desenvolvimento e dos produtos gerados. A GQS atua como “guardiã”, fornecendo um retrato do uso do Processo e não é responsável por executar testes de software ou inspeção em artefatos. Obtendo a visibilidade desejada, a gerência pode atuar de forma pontual no sentido de atingir os quatro grandes objetivos de um projeto de desenvolvimento de software, quais sejam, desenvolver software de alta qualidade, ter alta produtividade da equipe de desenvolvimento, cumprir o cronograma estabelecido junto ao cliente e não necessitar de recursos adicionais não previstos. Para conseguir esses objetivos a área-chave de processo GQS estimula a atuação das equipes responsáveis pelo desenvolvimento de software em diversas frentes objetivando internalizar comportamentos e ações, podendo-se destacar: • o planejamento do projeto e o acompanhamento de resultados; • o uso dos métodos e ferramentas padronizadas na organização; • a adoção de Revisões Técnicas Formais; • o estabelecimento e a monitoração de estratégias de testes; • a revisão dos artefatos produzidos pelo processo de desenvolvimento; • a busca de conformidade com os padrões de desenvolvimento de software; • a implantação de medições associadas a projeto, processo e produto;

a utilização de mecanismos adequados de armazenamento e recuperação de dados relativos a projetos, processos e produtos; e • a busca de uma melhoria contínua no processo de desenvolvimento de software. Para facilitar o trabalho dos desenvolvedores e evitar geração de metodologias diversas, o Serpro desenvolveu o Processo Serpro de Desenvolvimento de Soluções (PSDS). O PSDS foi construído por pessoas das unidades da empresa que procuraram aproveitar as melhores práticas existentes e consagradas. O “CMM – Capability Maturity Model for Software /SEI” é uma estrutura- “framework”, que descreve os principais elementos de um processo de desenvolvimento de software efetivo. O CMM descreve os estágios de maturidade através dos quais Organizações de software evoluem o seu ciclo de desenvolvimento de software através de sua avaliação contínua, identificação e ações corretivas dentro de uma estratégia de melhoria dos processos. Este caminho de melhoria é definido por cinco níveis de maturidade: inicial, repetitivo, definido, gerenciado e otimizado. O Modelo CMM (CMM- Capability Maturity Model) fornece às organizações uma direção sobre como ganhar controle de seu processo de desenvolvimento de software e como evoluir para uma cultura de excelência na gestão de software. O objetivo principal nas transações destes níveis de maturidade é a realização de um processo controlado e mensurado como a fundação para melhoria contínua. Cada nível de maturidade possui um conjunto de práticas de software e gestão específicas, denominado áreas-chave do processo. Estas devem ser implantadas para a organização atingir o nível de maturidade em questão. 4 – CONTROLE DE VERSÃO DE SOFTWARE COM O CVS A qualidade de software é um dos assuntos mais atuais em discussão na comunidade de Engenharia de Software. Embora os primeiros esforços mais amplos no sentido de se produzir software com maior qualidade e produtividade datem da década de 70, foi na segunda metade da década de 90 que uma série de novos conceitos e as abordagens alcançaram maturidade e visibilidade. Neste contexto, destacam-se os modelos de qualidade de processo de software, entre os quais o

SEI-CMM é o mais conhecido e utilizado, e as novas técnicas de desenvolvimento de software, tais como RAD (Rapid Application Development) e as orientadas a objetos. Assim sendo, um dos maiores desafios das organizações de software hoje é justamente aplicar em seus processos de desenvolvimento tanto os novos conceitos de engenharia de software quanto as práticas de qualidade preconizadas pelo CMM e outros modelos. 4.1 – O CVS O CVS é um padrão de fato para no processo de desenvolvimento de Software Livre, sendo utilizado por milhares de desenvolvedores ao redor do mundo no desenvolvimento de software. O site SourceForge.net talvez seja o exemplo mais pujante da utilização do CVS como espinha dorsal ao desenvolvimento concorrente e por equipes distribuídas geograficamente. Atualmente existem mais de 50.000 projetos cadastrados neste site e um volume de mais de 500.000 desenvolvedores. Com o CVS, é possível que grupos de pessoas trabalhem simultaneamente no desenvolvimento de software e outros produtos baseados em arquivos como, por exemplo, manuais, apostilas, dados de configuração, dentre outros. Existe um repositório central com as versões mais recentes dos arquivos. Com isto, é possível criar umas cópias desses arquivos e, caso no futuro esses arquivos sejam atualizados, o CVS se encarregar de atualizar as cópia quando for necessário fazê-lo. Se novas versões destes arquivos forem colocadas no CVS nesse período de modificação, a atualização tentar o máximo possível combinar as alterações do repositório com as feitas localmente. Caso haja coincidência nas alterações e algum conflito seja criado pelas mudanças concorrentes, o CVS notificar o conflito e será necessária alguma intervenção humana para resolver este problema. 4.2 – Vantagens Trazidas Pelo Uso Do Cvs O uso do processo do CVS nos traz muitas vantagens. Dentre as quais podemos destacar as seguintes:

Ajuda a rastrear erros no software. Por exemplo, quando o código é modificado, é comum que o programador introduza erros que somente são detectados muito tempo após a alteração. · Com CVS, é possível recuperar uma versão anterior que funcione para identificar a causa do erro. · Facilita a colaboração entre desenvolvedores, permitindo que dois ou mais desenvolvedores trabalhem de forma independente sobre o mesmo código fonte. · Permite identificar e resolver conflitos nos fontes. · Facilita o gerenciamento de releases do código. · Permite verificar a produtividade de um programador, através do histórico de modificações. · Possibilidade de utilizar as informações do repositório do CVS como fonte de métricas que subsidiem o processo de desenvolvimento de software nas organizações. 4.3 – Ferramentas Complementares Ao CVS No entorno do CVS foram desenvolvidas várias ferramentas complementares que auxiliam processo de controle de versão seja através a integração do CVS à ambientes de desenvolvimentos integrados (IDE), seja pela extensão das funcionalidades oferecidas (por exemplo, integração automática com ferramenta de build) ou então pelo oferecimento de uma interface gráfica multi-plataforma. O CVS é uma alternativa eficiente, escalável e de baixo custo para organizações que necessitam de uma ferramenta de controle de versão de software. Seu uso intenso no suporte ao desenvolvimento de software livre é a prova de sua adequação a grandes projetos e a equipes distribuídas geograficamente. Entretanto, é importante frisar, o CVS é somente a ferramenta de controle de versão e não substitui o processo de Gerenciamento de Configuração de Software (GCS). O GCS é uma considerável mudança cultural nas equipes de desenvolvimento e necessita de outros fatores, além do CVS, para que o resultado seja bem sucedido.

O CONTROLE DE VERSÃO DE SOFTWARE NA CMM Devido ao grande número de elementos, ou itens de configuração, geralmente envolvidos num desenvolvimento de software, torna-se essencial a utilização de ferramentas que auxiliem na realização das atividades de GCS. Dentre as ferramentas destacam-se as de controle de versão, cujos objetivos são: armazenar os itens que são produzidos no desenvolvimento, permitir o acesso de maneira controlada a quaisquer versões destes elementos, armazenar informações de histórico dos itens de forma a estabelecer a base para o controle da evolução do produto de software, e reter informações que permitam automatizar o acesso aos conjuntos de itens de configuração que compõem o produto de software num específico estado de seu desenvolvimento. Apesar de existirem no mercado dezenas de ferramentas de controle de versão, sua utilização é pouco difundida nos desenvolvedores de software nacionais, principalmente nos pequenos desenvolvedores. Esta baixa utilização em parte advém do pouco conhecimento acerca da disciplina de gerência de configuração, mas também é conseqüência do alto custo das ferramentas comerciais, na faixa de US$ 600,00 a US$ 5.000,00 a licença de uso, e do suporte deficitário ou caro provido pelos representantes no nosso país. Ademais, tais ferramentas nem sempre abordam adequadamente aspectos específicos relativos a forma de desenvolvimento dos pequenos desenvolvedores de software nacionais. Existem no mercado diversos produtos disponíveis para o controle de versões de software, variando grandemente entre eles quanto às funcionalidades e preços de licença. Um traço em comum é que todos apresentam custos de licença relativamente altos, e em dólar, para organizações de qualquer porte, muitas vezes desestimulando ou mesmo inviabilizando a adoção destas ferramentas. Por outro lado, há diversas ferramentas de controle de versão de boa qualidade, como o CVS, desenvolvidas sob o conceito de software livre e, portanto, de domínio público. Com a necessidade crescente de ferramentas de controle de versão de software e com os restritivos custos das ferramentas comerciais de controle de versão, o CVS aparece como uma alternativa muito atraente para organizações que necessitam aperfeiçoar o processo de desenvolvimento de software.

O CMM Com a combinação de práticas de engenharia de software, técnicas de gerenciamento de projetos e conceitos mais genéricos do Gerenciamento da Qualidade Total, as organizações de desenvolvimento de software começaram a priorizar o foco das iniciativas de melhoria na definição de melhores processos de gerenciamento de projetos de software. A consolidação destas idéias se deu através do modelo SEI-CMM, da Carnegie-Mellon University. O CMM procura orientar a organização no sentido de implementar a melhoria contínua do processo de software, e o faz através de um modelo de 5 níveis, priorizado de forma lógica as ao invés a serem realizadas. Quanto maior o nível, maior a maturidade da organização, o que se traduz em maior qualidade do produtos final, prazos e custos mais baixos e maior previsibilidade em cronogramas e orçamentos. No nível 1, chamado de Inicial, o desenvolvimento é caótico. Não existem procedimentos padronizados, estimativas de custos e planos de projeto. Cada qual desenvolve como quer, não existe documentação e não há mecanismos de controle que permitam ao gerente saber o que está acontecendo, identificar problemas e riscos e agir de acordo. Como conseqüência, os desvios não são corrigidos e ocorrem os problemas como prazos não cumpridos, orçamentos estourados, software sem qualidade e usuários insatisfeitos. Na verdade, raramente existe um cronograma ou um orçamento. Infelizmente, estima-se que mais de três quartos das empresas norte-americanas encontram-se neste nível, e não há razões para acreditar que a situação seja melhor no Brasil. Para passar ao nível 2, a organização deve instituir controles básicos de projeto, incluindo o Gerenciamento de Requisitos e de Projetos (técnicas para planejar e estimar o esforço em projetos, e controlar o progresso), Controle Gerencial (verificando pela Gerência do progresso do projeto em momentos prédeterminados, incluindo a qualidade dos produtos), a instituição de um Grupo de Garantia de Qualidade e de procedimentos básicos de Gerenciamento de Configuração (para garantir que mudanças no projeto e manutenções solicitadas não destruam o que já foi feito, garantindo um mínimo de estabilidade no desenvolvimento; nada a mais deletério para um projeto do que requerimentos que mudam constantemente e sem controle).

No nível 2 da CMM, surge a necessidade da Gerência de Configuração de Software (GCS), que é uma disciplina de apoio integrante do processo de software, cujo papel é garantir a integridade do produto de software por meio do controle de sua evolução ao longo de todo o seu ciclo de vida, e que é considerada fundamental para o desenvolvimento de software de qualidade. 6 – A QUALIDADE DE SOFTWARE E O MERCADO Desenvolver software de qualidade não é mais um requinte para poucos, transformou-se num fator de competitividade num mercado cada vez mais exigente. O filósofo Nietzsche, no século passado, alertava: “Com o aumento da competição, a qualidade se torna mera propaganda. Vence aquele que melhor engana”. Essa receita é muito simples e fácil de seguir, todavia, quem tomar esse tipo de postura estará fadado ao fracasso. Nos dias de hoje, a qualidade tornou-se requisito imprescindível para garantir a sobrevida de um software no mercado. Portanto, neste contexto, podemos concluir que as empresas mais competitivas são as empresas que trabalham sob a ótica da melhoria contínua dos processos para aumentar a qualidade do processo de desenvolvimento e, conseqüentemente, aumentar a qualidade do produto final. Estima-se que o custo decorrente da correção de um bug cresce dramaticamente à medida em que ele é descoberto em fases mais adiantadas no processo de desenvolvimento de software. No entanto, ainda existe uma forte tendência nas empresas em negligenciar essa realidade e não dedicar o tempo mínimo necessário para a realização das atividades de qualidade e testes de software. Em contrapartida a esse cenário pouco promissor, o novo mantra da indústria é “Faça a coisa certa na primeira tentativa”. Gigantes como a Microsoft, por exemplo, já se deram conta de que os consumidores já não confiam tanto nos seus produtos. O grande desafio dessas empresas é criar produtos tão confiáveis quanto os sistemas de distribuição de eletricidade, gás e telefone. Segundo artigos em sites especializados, a tônica dessa estratégia da Microsoft será a consolidação dos componentes fundamentais dos seus aplicativos. Apesar do ceticismo dos especialistas em TI, a Microsoft no final de Janeiro deste ano, 2006, já admitiu um possível atraso no lançamento do seu novo sistema operacional chamado Windows Vista; conforme a declaração deles o sistema operacional só será lançado se atingir

as expectativas de qualidade. Discussões à parte, devemos admitir que essa é uma atitude madura de uma empresa que quer se manter no mercado. 7 – PADRONIZAÇÃO DOS PROCESSOS (PRÓS) Considerando o que foi exposto, devemos destacar a importância da padronização dos processos – desde a concepção até a entrega do produto final – como uma abordagem viável na introdução sistemática de qualidade. Essencialmente, um padrão estabelece dimensão a todas as tarefas rotineiras e, a melhor forma de executá-las. Todo padrão, por mais rudimentar que seja, oferece um alicerce fundamental ao processo de desenvolvimento de software, garantindo que todas as etapas atinjam resultados previsíveis e de qualidade assegurada. Além disso, uma atividade padronizada poderá ser medida com maior eficiência, fornecendo métricas precisas para determinar a efetividade da abordagem por meio de índices de produtividade, curva de aprendizado, entre outros. Afinal, quem consegue medir o caos? Uma abordagem padronizada estabelece uma linguagem comum entre os membros de uma equipe, estimulando o intercâmbio de conhecimento e, conseqüentemente, otimizando a execução de todas as tarefas. Além disso, os padrões deverão ser renovados, expandidos e aperfeiçoados ao passar do tempo para que não caiam em desuso ou fiquem desatualizados, caso contrário, deteriorarão a ponto de se tornarem inúteis. 8 – A FALÁCIA DA PADRONIZAÇÃO DOS PROCESSOS (CONTRAS) Segundo Watts S. Humphrey, criador do CMM (Capability Maturity Model), a qualidade do produto final é diretamente proporcional a qualidade do processo. Muitos processos de desenvolvimento de software tais como CMM (Capability Maturity Model) ou RUP (Rational Unified Process) são fortemente baseados nessa perspectiva. Esses processos definem quais atividades devem ser executadas e como medi-las, mas, no entanto, não especificam como executar essas atividades, quais as melhores técnicas, ferramentas, etc. A grande falha desses processos é que eles promovem a melhoria do processo de desenvolvimento de software e não na melhoria do produto final, ou seja, o software. A qualidade é baseada em percepções; ou melhor, em alinhamento de percepções. A experiência tem mostrado que apesar dos processos fornecerem

fantásticos frameworks para o a geração de métricas e estimativas formais; assim como, modelos e templates para as mais diversas atividades, existe uma lacuna no ponto de vista de como lidar com a imprevisibilidade do ser humano. Muitas vezes, a principal chaga dos processos é a capacidade de algumas empresas transformarem o processo num limitador, homogeneizando o talento e a criatividade. Assumindo que o processo assegura as “ditas” previsibilidade e qualidade, qual o sentido de termos os melhores profissionais disponíveis no mercado, se profissionais menos experientes ou medíocres podem realizar a mesma atividade obtendo o “mesmo” resultado. “A grama do vizinho é sempre mais verde” também conhecido como “Qualidade é uma questão de percepção” Um dos principais desafios enfrentado pelos profissionais de qualidade e teste de software é definir o que é qualidade no contexto do produto em que se está lidando, na estratégia corporativa da empresa, no orçamento, tempo e recursos humanos disponíveis, entre outras variáveis. Assim como nos eventos cotidianos, a significação do que é qualidade está sujeita à pormenores subjetivos ou ruídos entre o transmissor e o receptor da mensagem. Segundo esse princípio, estamos continuamente lidando com conflitos de percepção de qualidade, seja a qualidade da comida de certo restaurante, o enredo de um filme, o arranjo de uma música e assim por diante. Fundamentalmente, portanto, devemos eliminar esses ruídos e estabelecer uma visão comum entre todos os membros da equipe e usuários. Um exemplo clássico de ruído entre significação e significado pode ser observado na Figura 2. Tente dizer rapidamente o nome da cor da fonte de cada palavra ao invés do nome da cor que está escrito em cada palavra. Você perceberá que apesar do problema estar bem formulado e todas as variáveis claramente definidas, ainda assim, um ruído entre significação e significado criado por um modelo mental seu fará que você cometa alguns erros. É importante compreender que a qualidade não é um estado permanente, mas uma busca constante. Assim, em seu estado mais maduro, os padrões aperfeiçoarão todas as etapas do processo de desenvolvimento de software, aumentando a produtividade e minimizando o trabalho excessivo. No entanto,

assumindo que a qualidade é uma percepção no ponto de vista dos usuários do produto, o desafio dos profissionais da área de qualidade e teste de software é encontrar um ponto de equilíbrio entre a percepção de qualidade dos usuários em relação ao produto considerando os demais recursos disponíveis. Este artigo é uma tradução do artigo original, The New Methodology, escrito por Martin Fowler. A tradução poderá ter alguns erros e partes que não capturem da melhor forma as palavras do autor. No processo de revisão tentarei otimizar a tradução. Agradeço a quem encontrar algumas falhas que me avise, de modo a oferecer melhor qualidade. O artigo ainda não se encontra totalmente traduzido. Irei atualizando esta mensagem também para acrescentar o que falta.

9 – CONCLUSÕES Como a aprendizagem é uma característica importante e contínua, assume-se que os planos e desenhos devem alterar à medida que o desenvolvimento progride. CMM, do acrônimo em inglês de Capability Maturity Model, é uma metodologia de diagnóstico e avaliação de maturidade do desenvolvimento de softwares em uma organização. Ele descreve os principais elementos de um processo de desenvolvimento de software. O CMM descreve os estágios de maturidade através dos quais organizações passam enquanto evoluem o seu ciclo de desenvolvimento de software, através de avaliação contínua, identificação de problemas e ações corretivas dentro de uma estratégia de melhoria dos processos. Este caminho de melhoria é definido por cinco níveis de maturidade: inicial; repetitivo; definido; gerenciado; e otimizado O CMM fornece às organizações orientação sobre como ganhar controle do processo de desenvolvimento de software e como evoluir para uma cultura de excelência na gestão de software. O objetivo principal nas transições desses níveis de maturidade é a realização de um processo controlado e mensurado como a fundação para melhoria contínua. Cada nível de maturidade possui um conjunto de práticas de software e gestão específicas, denominadas áreas-chave do processo. Estas devem ser implantadas para a organização atingir o nível de maturidade em questão. O CMMI (Capability Maturity Model Integration) é uma evolução do CMM e procura estabelecer um único modelo para o processo de melhoria corporativo, integrando diferentes modelos e disciplinas. Um modelo tem como objetivo estabelecer – com base em estudos, históricos e conhecimento operacional – um conjunto de “melhores práticas” que devem ser utilizadas para um fim específico. Existem dois tipos de modelos do CMMI: o “contínuo” e o “em estágios”, que diferem na maneira de implementar, mas basicamente têm o mesmo conteúdo. CIMM é uma paródia, em inglês, de outra sigla, CMM. CIMM é uma tentativa de oferecer um contraponto ao CMM, sigla em inglês para Modelo de Maturidade da

Capacitação (CMM). O CMM tem uma escala, dividida em cinco níveis, de capacitação de engenharia de software de uma empresa que vai de 1, onde os processos não têm controle ou têm controle mínimo, a 5, quando os processos estão completamente definidos, gerenciados e otimizados. Prega-se que a habilidade de uma organização realizar sua missão com qualidade, dentro do prazo e orçamento, cresce conforme seu nível CMM aumenta.

É ISSO AI SE GOSTOU DEIXE UM COMENTÁRIO

Link

cropped-03llpronto.jpg

Computador rede virtual é um software de controle remoto que permite visualizar e interagir com um
computador remoto (chamado de servidor) no seu computador usando um programa simples (chamado
lado do cliente).
A conexão para o computador remoto pode ser feita através de uma rede local ou através
rede de redes, internet ou seja.
Os dois computadores são conectados diretamente não tem que executar o mesmo sistema
em funcionamento. Por exemplo, você pode usar em seu sistema operacional do computador Windows para ver através de
VNC um computador que tenha o sistema operacional Linux.
Virtual Network Computer (VNC) é freeware (distribuição gratuita) e seu uso é difundido em milhões
computadores, tanto pessoalmente, e para o emprego na indústria, academia, etc.
Em uso comercial, VNC pode ser usado para fornecer um ambiente de trabalho flexível para os trabalhadores,
permitindo-lhes acessar computadores do escritório de outros computadores na empresa ou
a partir de outros locais remotos. Também frequentemente usado para gerenciamento remoto de sistemas, onde
por VNC pode dar direitos administradores para assumir o controle do computador
o empregado, a fim de diagnosticar e solucionar estes, ou para acessar e
administrar máquinas de servidor sem ter que ir para o console.
VNC também utilizado em ambientes educacionais, por exemplo, para permitir que um grupo disperso
estudantes simultaneamente ver a tela do computador que está manipulando o professor, ou o
Por outro lado, que o professor assumir os computadores dos alunos.
Claramente estes são apenas ilustrativos, tal como a variedade de aplicações é VNC
diversificada.
Nas páginas seguintes, vamos ver o uso e configuração do “VNC” para sistemas operacionais
Windows.
Importante: Lembre-se de que o Computador de rede virtual precisa ser executado ser corretamente
ter, pelo menos, abriu as portas:
· IN TCP 5500
· IN TCP 5800
· IN TCP 5900
visão global
VNC é composto por dois componentes básicos, um software servidor, VNC Server, que funciona no
computador que você deseja acessar remotamente, e cliente de software, VNC Viewer, que é executado
no computador que você deseja acessar. VNC tem duas características importantes:
· Server e computadores clientes podem ser diferentes de hardware e sistemas diferentes
operando como o protocolo que os liga é plataforma acessível simplista e
independente.
· Nenhuma condição e armazenados no computador do cliente. Assim, quando
cliente interrompe a conexão com o servidor e reconecte não
perda de dados.
Para se conectar a um computador remoto usando o computador de rede virtual precisa aplicar
conexão com o computador host, conectando a ele como um cliente. Este deve ter instalado o
Real VNC software para cada computador.
Real VNC software requer uma conexão TCP-IP entre o computador servidor eo computador cliente.
Este protocolo é o sistema de conexão padrão LANs LANs, WANs, banda larga e
(ISP), de modo que você não deve ter problemas que está instalada em seu computador.
Uma vez que cada computador tem um endereço IP exclusivo, ou DNS apenas de nome, precisa saber o
endereço IP ou o nome DNS do servidor no momento em que você deseja se conectar como um cliente para
mesmo (lembre-se de que o endereço IP pode ser fixo, mas às vezes é atribuído dinamicamente
pelo ISP (Internet Service Provider: telefone, Wanadoo, Terra, etc).
1.2.1 Introdução ao “Servidor”
Ao instalar o servidor, VNC Server, um sistema operacional Windows irá criar um grupo
programas, normalmente RealVNC, no menu do programa do botão Iniciar. Para iniciar vncserver
Modo de Usuário, clique em “Executar VNC Server”, como mostrado.
Se esta é a primeira vez que você usou o software de servidor VNC no computador, você terá uma janela
pop-up de alerta para que você digite uma senha, você precisa entrar mais tarde
que querem se conectar a essa máquina a partir de outro computador remoto
identificar a ligação.
Quando VNC está executando um pequeno ícone aparecerá no “Bar Casa”, e clicando em
sobre ele pode controlar muitos aspectos do servidor.
O endereço IP do computador que está sendo executado como um servidor VNC pode ser conhecido
diretamente, colocando o mouse sobre o ícone do VNC no “Bar Start” (Cuidados
porque se o seu provedor de serviços de Internet atribui um IP dinâmico, que vai variar de cada vez
conectar-se à Internet, ou se a rede é condenada a ver um IP local e não o IP público).
A menos que o computador tem um nome DNS, o endereço IP terá de indicar quando você quiser
conectar-se a ele como um cliente.
Uma vez em execução VNC Server, esta espera por alguém querer
conectar-se a ele como um cliente. Você pode se conectar a este computador a partir de qualquer outro computador
computador remoto como um cliente desse servidor. Quando existe uma ligação, o ícone
computador servidor terá que ter fundo branco sobre fundo preto.
VNC-Server ícone espera ícone VNC-Server transmissão
1.2.2 Introdução ao “Cliente”
Você pode executar o “cliente ou host” no Windows através do grupo que RealVNC
é, geralmente, no menu iniciar “programas”.
Neste caso, ele vai abrir uma janela para inserir os detalhes da conexão que tem como objectivo
executar, isto é, o nome do servidor VNC (ou o endereço de IP do mesmo) e um número de
projeção (se você não entrar em qualquer projeção tomar padrão “0”).
Clique em OK, e pediu a senha para acessar o computador remoto, após o qual o servidor
Eu requira autenticação por senha e se você entrar a direita você pode ver a projeção de
desktop do computador remoto.
Você também pode executar o cliente em um sistema operacional Unix e Windows através do
janela de linha de comando, digitando na linha de comando:
· Ordenata vncviewer: 2
Necessidade de especificar o nome do servidor VNC e do número do número de projecção. No
exemplo, a implantação começará em fevereiro em um computador chamado “ordenata”. Lembre-se que se
conecta a um servidor com o Windows ou em Macintosh, o número de projeção
O padrão é “0” a menos que você mudar, e pode ser omitido.
Lembre-se também que se o computador remoto não tem um DNS (nome DNS), terá que
substituir “ordenata” colocar o seu endereço IP, por exemplo 123.456.78.9.
· Vncviewer 123.456.78.9:2
1.2.3 Introdução através de cliente web.
Os servidores VNC também contêm um pequeno servidor web. Se você se conectar a estes através de um
navegador da Web, você pode baixar uma versão do cliente e, assim, ter acesso ao servidor.
Isso permite que você veja o seu desktop a partir de um navegador em Java capaz, a menos
usando proxy para se conectar à web.
O servidor escuta para conexões HTTP na porta 5800 + projeção número. Assim, para examinar
2 máquina de projeção ordenata irá apontar seu navegador em:
· Http :/ / ordenata: 5802 /
O applet irá pedir a sua senha, após o que deve mostrar a tela principal de um desktop.
VNC software cliente (Viewer 4.0
instalação
VNC Viewer para Windows pode ser instalado como um componente separado dentro do pacote
configuração WinVNC. Será acessível através do grupo criado, Programas menu do botão Iniciar,
durante a instalação normalmente RealVNC.
Você também pode fazer download de um arquivo ZIP que contém apenas “Cliente” e instalar
independentemente. VNC Viewer para Windows é projetado para ser utilizado totalmente
de forma independente, sem necessidade de qualquer outro elemento, para a operação. Neste caso, não
acessá-lo através do menu do programa dem botão de arranque.
2.2 Ligação a um computador remoto.
Para executar o cliente do computador de rede virtual pode entrar de duas maneiras:
· Como mencionado acima, se você instalou o VNC-Viewer através do pacote de instalação pode WinVNC
acessá-lo:
Botão Iniciar à Programas à RealVNC VNC Viewer 4-à-Run VNC Viewer.
· Se você tiver instalado VNC Viewer-individualmente tem que executá-lo clicando duas vezes no ícone
vncviewer.exe programa dentro da pasta onde você instalou, ou por linha
comando.
Em ambos os casos, a caixa de diálogo aparece detalhes de conexão, com uma caixa de texto
em branco para especificar o endereço IP ou nome DNS do computador que você deseja se conectar (e
onde será executado VNC-Server). Aqui será o número de projecção (exibição
Número) do servidor VNC, a menos que seja zero, a ser especificado pela adição de dois pontos e
colocar esse número.
Da mesma forma, se o servidor VNC-Server está usando um número de porta não-padrão para
aceitar conexões, somamos dois pontos para especificar o endereço do servidor ou
DNS, nome e em seguida, colocando o número da porta:
Note-se que, neste caso, mas não o número de posição de projecção se a colocar os dois
pontos, por isso não é interpretado como o número projeção número de porta.
Mensagem -. Normalmente usar a projeção padrão -0 – ea porta padrão, portanto, apenas
deve introdicir endereço IP.
Uma vez selecionado o servidor VNC para conectar, basta clicar
“Ok” ou pressione “Enter” para tentar se conectar a ele.
Se a tentativa de conexão for bem sucedida, os detalhes do servidor são armazenadas no registro, para
eles estão disponíveis para uso futuro, se você quiser a partir do menu suspenso. você pode
selecione Opções para introduzir as definições de conexão padrão, e
modificar o que você quer, antes de tentar se conectar.
Uma vez que a conexão é feita, se o servidor estiver configurado para exigir uma senha, que
janela correspondente aparece para inserir a mesma:
Se a senha é incorreta ocorrerá o corte da conexão, mas se o
senha é válida, podemos ver o desktop do computador remoto.
2,3 Connect usando *. VNC
VNC Viewer 4 suporta correr por ler as configurações salvas em arquivos
* tipo. vnc, que contém as opções de conexão. Embora os formatos de *. Vnc
Visualizador cria-4 diferem daquelas mantidas por visualizador-3, mas podem ler os dois tipos de
formatos.
Para usar um arquivo de opções de conexão a partir da linha de comando, basta executar
VNC Viewer 4 de comando com-config, seguido do nome (com caminho) do arquivo. Vnc.
· Por exemplo: vncviewer.exe – config c: \ drive \ pasta \ Falcato \ antigua.vnc
Se você tiver instalado VNC Viewer, WinVNC pacote, após a instalação interna
olhar para o último arquivo *. vnc utilizados e serão registrados automaticamente, de modo que
basta clicar duas vezes sobre o VNC Viewer para abrir.
Se você já tiver instalado VNC Viewer 3, independentemente de você concordou através de arquivos
*. Vnc ou não, é provável que Viewer 3 já está registrado com o Windows como o aplicativo para abrir
* Arquivos. Vnc.
Portanto, é aconselhável a primeira execução “VNC Viewer 4” para configurações antigas
através de linha de comando-config, assim você pode simplesmente substituir o seu velho VNC Viewer-
com vnc novo e pode ter arquivos. totalmente operacional.
2.4 Opções
VNC Viewer tem várias opções que permitem que o seu comportamento para ajuste personalizado
suas necessidades. Estes podem ser modificados por uma das três formas seguintes:
· Alterar as opções padrão.
VNC Viewer permite que um conjunto de opções do utilizador são armazenados, o que será
usado como padrão ou padrões para todas as conexões de usuários
servidores para executar diferentes computadores (VNC Server). Os padrões
pode ser alterado a partir de detalhes de conexão de diálogo antes de fazer
uma conexão ou durante o mesmo, ou especificando as opções disponíveis no
linha de comando VNC Viewer.
Durante a execução VNC Viewer-entra-Play Mode (Executar Ouvir VNC Viewer,
espera detectar conexão), colocar um ícone na bandeja do sistema. Clicando
Este ícone exibe um menu de contexto com o qual você pode acessar “Opções
padrão ou default “.
As opções são salvas na base de usuários e usado para todas as conexões subseqüentes
VNC.
· Alterar as opções para uma nova conexão / atual.
Quando as opções de diálogo acessíveis através dos Detalhes da conexão de diálogo pressionando
Opções de botão que aparece quando você cria uma conexão VNC novo, ou através de um F8
conexão ativa. Em qualquer caso, a caixa de diálogo pode ser utilizada para substituir a provisão de
configuração através da guia opções padrão.
· Especificando opções utilizando o “Linha de Comando”
VNC Viewer permite a opção de especificar as configurações na linha de comando quando
iniciado através da linha de comando. Opções especificadas na linha de comando
substituir aqueles especificados no diálogo “padrões”. opções
especificado na linha de comando podem ser variados, uma vez de uma ligação activa
usando usando a caixa de diálogo “Opções de conexão”.
As diferentes opções para as linhas de comando estão incluídos neste manual com letras
azul em cada uma das opções:
2,5 Visualizador de Configuração
VNC Viewer permite diferentes configurações:
· Cor / codificação.
· Eventos.
· Miscelana.
· Padrões.
· A tecla F8
Cor / codificação
· Auto-selecção
AutoSelect = true / false
Autoselect VNC Viewer-controla se ou não para medir automaticamente a velocidade de
conexão de rede entre cliente e servidor, e ajustar o seu comportamento.
Se selecionado, o software cliente VNC Viewer irá assumir o controle da compressão
gráfico a ser usado, e apenas para pedir a gama de cores (número de cores a utilizar), se a rede
parece rápido o suficiente para apoiá-los. Se não for marcada, o usuário
que deve definir manualmente o formato de codificação apropriada e colocar
manualmente.
· Preferências Codificação
PreferredEncoding = Raw / Hextile / ZRLE
ZRLE, e gráfico Hextile Raw determinar a codificação utilizada para controle do VNC Viewer-
pelo utilizador. As codificações disponíveis são dispostas por ordem de requisitos
aumentando a largura de banda, diminuindo assim os requisitos de processamento, isto é,
ZRLE é mais eficaz em redes lentas como modems, enquanto em bruto é muitas vezes mais eficaz
em LANs rápido.
A codificação utilizada é determinada automaticamente se a opção VNC Viewer-
eu é marcado.
· Nível de Cor
A janela Cor controla se VNC Viewer irá tentar trabalhar com muitas cores (se o servidor
pode lidar com eles), ou colocar um controle de cor inferior predefinido. Menos cores requerem
menos largura de banda.
· FullColour True Color = true / false
Se não estiver executando em “True Color” VNC-Viewer, então, pediu um dos
modos de cor predefinido menor.
· Média (256 cores) LowColourLevel = 2
· Baixo (64 cores) LowColourLevel = 1
· Muito baixo (8 cores) LowColourLevel = 0
Observação -. Se “Auto Select” estiver marcada, então rotinas automáticas de seleção
formato do pixel pode passar sobre a alienação escolhido pelo usuário e pode causar
a conexão em “True Color”.
2.5.2 Eventos de Entrada
· Enviar eventos para o cursor de servidor
SendPointerEvents = true / false
Por padrão, todos os cliques de mouse que são feitos dentro da janela do VNC Viewer-
são enviados para o servidor VNC. Se esta opção não for selecionado, então já não ser
enviado eventos ponteiro, este é um dos passos para se preparar para o VNC Viewer-
atuar como “Olha-Only” e deve fazer o mesmo com eventos de teclado se isso é
como visualizadores VNC deseja trabalhar.
· Enviar eventos de teclado para servidor
SendKeyEvents = true / false
Por padrão, pressionando qualquer tecla for pressionada dentro da janela “VNC Viewer” vai
enviado para o servidor VNC. Se esta opção não estiver marcada, esses pulsos não são mais `
enviada. Isto, juntamente com a função anterior será permitir que o formulário “Ver-Only”.
· Enviar alterações da área de transferência do servidor
SendCutText = true / false
Por padrão, qualquer texto copiado para a área de transferência serão enviados para o servidor VNC, para
que pranchetas locais e remotos são sincronizados. Se você não marcar esta caixa de seleção
modificação da área de transferência não será enviado, garantindo que as ações tomadas no
cliente prancheta (visualizadores VNC) não afetam o computador servidor para a área de transferência.
· Aceitar as mudanças prancheta do servidor
AcceptCutText = true / false
Por padrão, qualquer texto copiado para a área de transferência remota serão enviados por “vncserver”
a “VNC Viewer”. Se você desmarcar essa caixa de seleção modificações
prancheta servidor recebeu será ignorado, garantindo que as ações
feita na área de transferência do servidor não afetará a área de transferência de host.
· Ativar emulação de 3 botões do mouse
Emulate3 = true / false
Quando a emulação terceiro botão é ativado, apertar botões simultaneamente
mouse esquerdo e direito será interpretado como se fosse um evento de botão “pressionado
Central. “Isto é usado para acessar um servidor que precisa usar três botões de uma
cliente cujo rato do computador tem apenas dois botões físicos disponíveis.
· Limite de velocidade do mouse
PointerEventInterval = <(milissegundos)
Em redes muito lentas e conexões através de modems, e eventos de mouse
reconhecimentos eventos de mouse para emular por exemplo, o movimento do mouse
pode reduzir drasticamente a largura de banda. Para evitar VNC Viewer pode ser configurado
implementação de um intervalo mínimo entre o movimento eventos consecutivo
mouse para ser gerenciado, que irá reduzir significativamente o tráfego “de e para o servidor.”
Se o movimento é zero rato PointerEventInterval fielmente enviado para o servidor
assim que elas ocorrem. Por padrão esta opção é colocado para uma série de
200ms.
· A chave para exibir o menu
MenuKey (nome do tipo)
Por padrão, pressione a tecla F8 dentro de uma janela do VNC Viewer-causa do menu
F8 aparece, mas se você precisar, por exemplo, que a chave é reservado para algum outro
evento em algum outro aplicativo, a opção MenuKey permite escolher uma chave diferente.
MenuKey pode ser ajustado para qualquer uma das teclas de função F1 a F12, ou para a esquerda
vazia para desligar a “chave de menu”.
Compartilhamento de Conexão
Shared = true / false
Na conexão a um servidor-servidor VNC, o cliente solicita a conexão
pode pedir-lhe para desligar todos os outros clientes conectados antes de a ligação é
até a conclusão. Isso ocorrerá somente se o Compartilhamento de Internet não é verificado, uma vez que
VNC Viewer-grávida não vai pedir os outros clientes estejam desligados.
Note que o servidor pode optar por ignorar ou recusar o pedido de VNC Viewer e
que estará disponível quando configurar as opções ou para configurar uma conexão
novo, mas não quando a conexão já está ativa.
Modo de tela cheia
FullScreen = true / false
Se você selecionar tela cheia software VNC-Viewer tentará assumir a
completar projeção local para exibir o desktop remoto, ou seja, usar todo seu desktop
para exibir a área de trabalho remota.
Tenha cuidado se você marcar esta opção, pois pode pensar que está trabalhando em sua mesa
quando, na verdade, está fazendo na área de trabalho remota.
A opção de tela cheia pode ser definido como o padrão, quando você vai para
fazer novas conexões, ou alterado uma vez que a conexão está ativa. Mesmo através de
Menu F8 pode ter um atalho para alternar para o modo de tela cheia.
· Cursor Randerizar localmente.
UseLocalCursor = true / false
VNC Viewer 4 realiza uma interpretação cursor VNC-Server localmente. Isto significa
isto é, o cursor do rato responde movimentos mais rápidos e faz
VNC através de conexões de rede lentas são exibidos mais rapidamente. Em redes mais rápidas, ou
por preferência pessoal, esta interpretação local pode ser desabilitada desmarcando a
caixa de seleção “Retorna cursor localmente”.
· Permitir área de trabalho dinâmica (mudam de tamanho)
UseDesktopResize = true / false
“VNC Viewer 4” suporta redimensionamento dinâmico da janela mostrando o desktop
servidor “VNC server”. Mas não outro redimensionamento dinâmico apoiar tanto
mudanças equipes de clientes, e de tamanho do servidor pode causar desktop remoto
VNC conexão com o fecho. O redimensionamento desktop dinâmico pode ser
desativado se o sistema acusa este problema.
· Use somente a versão do protocolo 3,3
Protocol3.3 = true / false
“VNC Viewer 4” protocolo original suporta VNC 3.3, como novas versões do
VNC mesmo 3.7 e 3.8. Alguns softwares de terceiros com números de versão diferentes do padrão
VNC pode causar problemas de incompatibilidade. “VNC Viewer 4” pode ocasionalmente
uma vez configurado para usar a versão original do protocolo VNC 3.3, garantindo
apoiar “servidor VNC” fora do padrão.
Nota -. Esta opção está disponível como uma opção padrão, ou para fazer uma conexão
novo, mas não pode ser alterada depois que a conexão está ativa.
· Tocar som quando solicitado servidor
AcceptBell = true / false
Por padrão, o VNC Viewer 4, jogado no servidor padrão do sistema emite um sinal sonoro
Ao enviar um evento de campanha no VNC Server. Este sinal sonoro pode ser desativado
colocar esse controle em branco, AcceptBell = false.
· Utilizar o menu F8
O chamado menu F8 fornece uma maneira rápida de acessar um conjunto de
funções que são comuns durante o uso do VNC Viewer. Menu F8 é chamado, porque é
padrão, você pode acessá-la pressionando a tecla F8 quando a janela VNC
Viewer é a janela ativa.
Menu F8 também pode ser acessado clicando na barra
títulos de janela VNC Viewer, ou para a esquerda, clicando no botão Menu no em
o topo sob a barra de título da janela do VNC Viewer.
Clique em qualquer lugar da área de trabalho fora do menu F8 janela para a janela.
2.5.4 Padrões
Aqui podemos recuperar ou salvar as configurações para ter a consideração por
defeito ou padrão. Também ser recuperado ou salvo em um arquivo.
Como você deve ter adivinhado, aqui é onde você pode restaurar as configurações da versão
VNC 3.
F8 menu 2.5.5
O chamado menu F8 fornece uma maneira rápida de acessar um conjunto de funções
que são usuais para o uso do VNC Viewer.
Menu F8 é chamado padrão porque ele pode acessá-lo pressionando F8
quando VNC-Viewer janela é a janela ativa (janela com foco).
Menu F8 também pode ser acessado pelo botão direito do mouse sobre a barra de título da
VNC Viewer-janela, ou clicando com o botão esquerdo no menu no topo
sob a barra de título da janela do VNC Viewer.
Clique em qualquer lugar da área de trabalho fora do menu F8 janela para a janela.
Vemos que, para além das funções disponíveis no menu regular de uma janela (restaurar
minimizar, maximizar, mover ou fechar), tem ações específicas Visualizadores VNC.
Visão Total (Fullscreen)
O item de menu “Tela cheia” nos permite alternar entre a exibição
Completo / Normal janela (Sim / Não, On / Off) diretamente sem ter que ir para o diálogo
Opções. Veja a descrição da “tela cheia” na página “Opções”
para mais informações.
· Ctrl e Alt
Certas combinações de teclas com a tecla Ctrl e / ou Alt são interceptados localmente por
Windows, impedindo a passagem para o servidor via “VNC Viewer”. O Ctrl opções
menu e Alt emular como se o servidor, independentemente do seu estado
local de teclado “VNC Viewer”. Se um item é marcado, em seguida a tecla pressionada, se
contraste é se (liberado).
· Enviar F8
Porque tecla F8 padrão é usado para acessar o menu F8, não enviado para “vncserver”
quando pressionado. Para enviar um pressione a tecla F8 para o servidor, você pode
acessar o menu F8 do seu computador e escolha o item “Enviar F8”. Se uma tecla de menu separado
F8 foi selecionado, este menu vai se comportar adequadamente.
· Enviar Ctrl-Alt-Del
A sequência de teclas “Ctrl + Alt + Del” é interceptado pelo sistema operacional como uma seqüência
“Segurança de Acesso” e, portanto, não pode ser interceptada por VNC Viewer para transmissão
o servidor remoto. Se necessário, você pode acessar o menu F8 e clique em “Enviar
Ctrl + Alt + Del “, que irá produzir este efeito Jan servidor remoto.
Em algumas versões do sistema operacional, pressione “AltGr + Del” fará com que a seqüência
“Ctrl + Alt + Del” é interpretado VNC-Viewer, sem o sistema operacional de interceptação. este
ocorre principalmente nos sistemas de exploração das versões europeias.
Em todas as versões testadas, pressionando “Shift + Ctrl + Alt + Del” faz com que o servidor
na verdade, recebe a seqüência de teclas “Ctrl + Alt + Del” sem ser interceptado sistema operacional.
· Atualização de Tela (visão atualizada).
A “Tela Refresh” causa “VNC Viewer” pedir uma cópia atual do Estado
tudo desktop do computador do servidor atual. Isso é útil para “VNC Server” s que têm
imperfeitos atualizações na rede da conexão.
· Nova Conexão.
O “New Connection” faz com que ele para exibir um novo diálogo “Detalhes
Conexão “facilmente fazer uma outra conexão para outro” servidor VNC “.
Note-se que “VNC Viewer”, assim, começar realmente a mesma janela em que
“VNC Viewer” começou. O “VNC Viewer” que o processo não pára até que ambas as janelas são
fechada. Isso pode afetar o comportamento de scripts que o lançamento “VNC Viewer”.
· Opções
Isto levará a ativar o diálogo “Opções de conexão”, permitindo que
opções para a conexão atual pode ser alterada. Ver a descrição das opções
“VNC Viewer” para mais detalhes.
· Informações de Conexão
A caixa de diálogo “Informações da Conexão” apresenta informações sobre o host
remoto, pixel, versão, a velocidade da linha estimado e protocolo, etc.
Se você não sabe o que qualquer um desses conceitos significam não se preocupe – você pode ignorar
tudo com segurança! O principal uso do diálogo “Informações da conexão” é ajudar
diagnosticar os problemas que podem ocorrer durante o uso “VNC Viewer”.
Software VNC servidor (Server 4.0)
instalação
Bem como em todas as instalações têm uma série de telas em que dizemos
“Avançar” (Next) até que o programa está instalado. Tente por aqui que pelo menos você
configurar o principal dessas telas a seu gosto, e não com as opções padrão.
A primeira janela interessante para instalar tanto para instalar o VNC Server e VNC Vierwers, é a
escolha da pasta ou diretório onde deseja instalar o aplicativo.
VNC Server pode ser instalado de forma independente, como um pacote opcional
instalação WinVNC. Esta marca apenas a caixa.
Se a instalação é feita através de instaladoir RealVNC, em seguida, no menu do programa
Vou começar conjunto ícone do botão para a gestão dentro do grupo que tem
especificado durante a instalação (RealVNC padrão).
VNC Server para Windows é projetado para funcionar de duas maneiras, no modo de usuário
como um servidor personalizado ou no modo de serviço como um serviço de sistema
disponível para uso por qualquer pessoa, seja ou não um usuário cadastrado.
O que é mais, o usuário pode optar por fazer um trabalho registradotambién de qualquer forma,
Você só precisa configurar as duas oportunidades de servidores para trabalhar nos portos
rede diferente.
Publicar. Note-se que no grupo de programas tem a capacidade de configurar VNC-Server Modo
usuário eo servidor modo, com duas opções diferentes, mas as janelas de configuração
são os mesmos.
Em passos sigientes deve ser claro, se você quiser instalar no modo usuário ou em
Modo de serviço. Nem se preocupe muito para mudar isso de uma forma ou outra lata
subsequentemente realizado sem problemas. Por outro lado, uma vez que a ligação é estabelecida
confiabilidade de resultados, e velocidade da conexão é completamente independente da instalação ou
está sendo executado no modo de usuário ou no modo de serviço, mas apenas o
condifuración ter estabelecido.
3.1.1 Instalação Modo de Usuário
Se você só precisa de acesso remoto ao desktop do seu computador de vez em quando, para dar
apoio ou outra colaboração que tem em mente, é preferível usar o VNC-Server-Mode
Usuário.
Por conseguinte, durante a instalação, ignorar as caixas que se relacionam com o serviço
VNC Server System (como mostrado na figura a seguir VNC Server opções
configuração) e desta forma evitar VNC Server é instalado como um serviço em seu sistema
Modo de serviço. Se você precisar usá-lo como um serviço, por qualquer motivo, você pode
posteriormente ativados.
Assim, quando você quer executar VNC Server, vá para o grupo de VNC-Server programas, entre
no item-VNC Server 4 (modo de usuário) e clique em “Run VNC Server”.
Uma vez que ele está sendo executado, na barra “Iniciar” ou “Sistema” ícone aparece vncserver,
que têm fundo branco para indicar que está em execução e pedidos pendentes
ligação. Quando um cliente de acesso ao seu computador, o ícone mudará para fundo preto.
Este é um bom momento para configurar o modo de VNC-Server usuário, tornando
Clique no ícone da barra de inicialização do sistema, com o botão direito do mouse e selecionando
“Opções”. Modificar o que deseja e clique em “OK” ou “Aplicar”.
Lembre-se, é altamente recomendado que você deve pelo menos definir o ID tag, porque
não pode se conectar a ele como um servidor (às vezes isso é feito intencionalmente para
evitar acidentalmente abrir o seu computador para atacar).
Quando você quiser terminar “VNC Server”, selecione “servidor VNC Fechar” na barra de ícones
sistema (barra superior).
3.1.2 Serviço de Instalação Modo
Se você precisa usar no computador onde você está instalando o VNC continuamernte
fornecer acesso remoto constante para o computador, então é aconselhável instalar vncserver
Modo de serviço.
Desta forma, o computador irá aceitar conexões remotas, mesmo quando o computador
está bloqueado ou não em usar qualquer usuário (log off). Logicamente, o servidor deve
logicamente ser configurada anteriormente, em vez de ter que fazer o utilizador e as opções
ter assimilado pelo cliente, se a plataforma host suporta.
Para colocar em modo de serviço, durante a instalação, verifique cada uma das caixas referem-se
para “servidor VNC” como “Service System” (como mostrado na figura).
Desta forma, o instalador mostrará diálogo para iniciar o servidor VNC, e, ao mesmo
registrar o tempo para trabalhar a seguir como um serviço do equipamento ou sistema.
IMPORTANTE -. Lembre-se que você deve pelo menos configurar tag autenticação, caso contrário
não pode se conectar ao computador (isso é feito intencionalmente para evitar, por vezes
abrir para atacar o computador acidentalmente).
Depois de instalar o VNC Server está sendo executado como um servidor e deve ser capaz
conectar de outro como um cliente usando VNC Viewer.
Se você precisa reconfigurar seu servidor ou serviço de balcão modo, o acesso do grupo de programas
correspondente (normalmente RealVNC) e clique no item VNC-Server (Service-Mode) para
obter.
Server Configuration
É muito importante notar que ao configurar o software do servidor VNC tem de notar-se que:
Embora as opções ea janela de opções em si é o mesmo para configurar VNC-Server
a operar no modo de operação em modo de serviço do usuário, mas pode
diferentemente configurados, de modo a que os clientes que se conectam trabalho lá
diferente entre Service-Mode ou modo de usuário.
VNC Server oferece uma série de opções para adaptar o seu comportamento ao
atender às necessidades de cada usuário. Eles podem ser configurados através do diálogo
VNC Programa de Opções-Configurações, mas também pode ser especificado diretamente
começou a correr através winvnc4 comando do console.
A janela de Opções consiste de um certo número de páginas, agrupadas por função. a seguir
documentação descreve cada opção e linha de comando equivalente parâmetros.
“OK” ou “Aplicar” guia das opções, as opções modificados são armazenados no
registo e, salvo indicação em contrário, com efeito imediato.
3.2.1 Identificação da ligação
A página de autenticação ou autorização para configurar o nível desejado de segurança para
validar as solicitações de conexão do cliente VNC Viewer.
Neste momento, existem apenas dois níveis de segurança: “Nenhum ID” ou “id VNC” que
VNC é clássico.
No ID ou criptografia
SecurityTypes = VncAuth
Se o servidor VNC-Server opera em um ambiente protegido, como uma rede de área ampla
Local ou rede protegida por um firewall, você pode querer configurá-lo para aceitar
conexões sem a necessidade de um nome de usuário ou senha são indicados. Este
poderia ser útil para um túnel através do VNC sobre um protocolo seguro, tais como
SSH, por exemplo, a fim de evitar um nível de autenticação redundante.
Importante. Recomenda-se cuidado para desativar a identificação. Não
desligá-lo, a menos que você esteja absolutamente certo de que a rede do host é totalmente
seguro.
· Identificação VNC 3.3 e não criptografada.
SecurityTypes = None
Na maioria das vezes, recomenda-se que as ligações para o seu servidor VNC-Server
eles são, pelo menos por uma senha, que é necessário para identificar o cliente remoto
o servidor. Assim, o usuário cliente deve fornecer a senha correta
Quando você se conectar, mas o resto da sessão VNC é realizada sem criptografia.
A senha pode ser alterada no botão Digitar senha e digite o
nova senha duas vezes, uma para entrar e outra vez como verificação.
Se o seu Sisteme operacional persevera, senha e outras configurações são
protegidos por sistemas de segurança interna ao sistema, de modo que o
senha não pode ser lido ou alterado por outros usuários.
· Notificar o usuário local para aceitar conexão de entrada
QueryConnect = true / false
Se esta opção for selecionada quando um cliente tenta se conectar ao servidor,
Uina mostrar pop-up na área de trabalho local, solicitanbdo o servidor para aceitar ou
conexão deniege. Se não houver resposta a partir do servidor enquanto o utilizador
janela está mostrando a conexão será automaticamente rejeitado, em
qualquer tentativa de ligação é feita enquanto o diálogo está mostrando.
Obviamente, essa opção não deve ser ativado quando você configurar o PC host para
que conecta o cliente com ninguém para autorizar a conexão, ou seja, quando você quer usar
Modo de serviço próprio prestador.
· Insira a senha
Pressionar este botão terá acesso a uma janela onde você deseja inserir a senha para o
servidor.
Importante: Forneça a senha apenas para aqueles que querem autorizar o acesso a
VNC-Server computador como eles precisam para entrar quando você tenta acessá-lo. lembrar
através do VNC pode ter controle total sobre o computador se conecta com qualquer um
privilégios idênticos aos que você tem.
Aceitar conexões na porta
PortNumber = (número da porta)
VNC Server permite que vários pedidos de insumos de conexão de clientes em um porto
protocolo de controle concreto de transmissão. Por padrão, esse é o número 5900,
(Assumindo projecção VNC é o número 0 de zero), mas, na prática, qualquer
número de porta disponível pode ser utilizada. Digite aqui o que você deseja usar, é auque
Recomenda-se deixar o padrão.
Lembre-se de que as portas de portas abertas oferecendo o uso se você usar roteador ou firewall.
· Desligue clientes inativos a (s)
IdleTimeout = (segundos)
Um cliente inativo é aquele que transmite eventos de teclado ou mouse depois de um certo
período.
VNC-servidor para configurar esse limite de tempo, em segundos, após os quais
desconecta automaticamente clientes inativos de preservar recursos. Se
especifica “segundo zero” nunca não iniciar conexões contrariar este intervalo
inatividade, e, portanto, nunca será desconectado por este motivo. Intervalo
padrão de inatividade é de uma hora.
Publicar. Embora VNC Server é configurado para ignorar eventos e ponteiro do mouse, o
um cliente receber o evento irá repor o tempo limite para a inatividade.
· Java cliente via HTTP na porta
HTTPPortNumber = (número da porta)
Se esta caixa estiver marcada eo número da porta é zero, indicando que não, então “servidor VNC”
aceitar pedidos HTTP de entrada, ou seja, permitir o acesso a clientes
utilizar o Java VNC Viewer para trabalhar através de um navegador de Internet.
A interface VNC Server Configuration apor a porta HTTP para o tipo 1
VNC sob o número de porta especificado, mas isto não é levada em conta quando
necessária uma porta personalizada.
Publicar Dica -. Especialmente se for um usuário avançado para desmarcar essa caixa
impedir o acesso indesejado.
· Controle de Acesso (clientes / hosts Lista empregador)
Hosts = (padrão)
Tentativas de conexão VNC-Servidor pode filtrar com base em outros endereços IP que o
origem da conexão (por exemplo, uma mensagem em uma rede local que acessa o servidor para
através de um roteador). Endereços IP que podem se conectar ou não é determinado pela
padrão de host (lista de clientes).
O padrão de host ou lista de clientes é uma lista de especificações de endereços IP,
separados por vírgulas. Cada especificação consiste de endereço IP e máscara de sub-rede
comunicação.
A primeira especificação é determinada no padrão de resposta em que
comportar conexão (duas especificações podem existir com a mesma direcção
Alterar IP e sub-rede com especificações diferentes, permitindo a conexão só
que corresponde ao primeiro, que recebe o padrão ou a “lista de clientes”.
· Exemplo: host = +192.168.0.1 / 255.255.255.255, +192.168.1.0 / 255.255.255.0, –
O padrão discutido acima permite que o computador se conecte a abordar 192.168.0.1 e
como qualquer 192.168.1.xxx sub-rede do computador de comunicação
Nota – Os endereços IP e máscaras são especificados como:. Tipo A (xxx.yyyyyyyyy)
Tipo B (xxx.yyy.zzzzzz) ou Tipo C (xxx.yyy.zzz.www). A especificação de 192.168
192.0.0.168, portanto, ser entendidas como em vez de 192.168.0.0 como seria de esperar.
A lista de clientes de hosts ou padrão pode ser editado mais facilmente através da
“Controle de Acesso”, que permite que os endereços IP especificados são verificados
individualmente e alterar a sua posição na lista de envio, (para colocá-lo antes), ou
baixá-los (para eles mais tarde).
· Só permitirá conexões de hosts locais
LocalHost = true / false
Se o servidor está configurado para aceitar apenas conexões de hosts (clientes)
então a opção de Controle de Acesso anrterior é ignorado, e VNC-Server vontade
completamente inacessível a todas as redes, exceto aquele ao qual ele pertence. este
opção é geralmente útil apenas para tunelamento sessões VNC através da
servidor através de um exemplo seguro (SSH).
Admita cliente eventos ponteiro
AcceptPointerEvents = true / false
Se essa opção for selecionada, o ponteiro se move todos os clientes de entrada
ser aceito, e será refletido no mouse servidor.
Alternativamente, desmarque esta caixa e todas são rejeitadas, impedindo qualquer
VNC Viewer-ciliente ponteiro ato em VNC-Server desktop. Isto pode ser usado
para configurar um servidor de olhar apenas.
Lembre-se que um cliente vai estimada de ativos para fins de clientes inativos
envio de eventos ponteiro para o servidor, ou não aceito.
Admita cliente eventos de teclado
AcceptKeyEvents = true / false
Se essa opção não for marcada teclas de entrada de todos os clientes
ser ignorado, impedindo qualquer VNC Viewer remoto na área de trabalho de digitação
VNC Server. Isto pode ser utilizado para configurar um servidor para ser solomirar modo.
Lembre-se que um cliente vai estimada de ativos para fins de clientes
inativa o envio de eventos de teclado para o servidor, ou não aceito.
· Prancheta Admita cliente eventos
AcceptCutText = true / false
Se essa opção for selecionada, os eventos de entrada da área de transferência atualizações
de todos os clientes serão aceitas, ou seja, modificando a área de transferência do cliente,
impacto sobre a área de transferência do servidor.
Esta opção deve ser desativada se você acessar um servidor-servidor VNC em um único modo de olhar
mas pode ser útil para prevenir as alterações feitas pelo
Clientes efeitos indesejáveis ??da área de transferência na área de transferência local (vncserver).
· Envie clientes atualização prancheta
SendCutText = true / false
Este é o inverso do acima, agora, se a opção for selecionada, o vncserver
comunicar aos clientes que modificaram o conteúdo da área local,
de impacto com as mudanças nos mesmos.
Isto pode ser útil quando os clientes não confiar naqueles que têm permissão para se conectar,
que impede que acidentalmente cualquiereas dados privados são filtrados pelo
prancheta.
· Permitir protetor de tela desativar eventos de entrada
Esta opção determina se os eventos de teclado ou mouse recebeu um vncviewer servidor
pode resultar em desativar a tela do servidor saver.
Esta opção é realmente uma opção e nenhum sistema é implementado pela VNC-Server
si, de modo nenhum comando equivalente opção de linha. Alguns
Win32 plataformas superiores não suporta essa opção.
Recomenda-se que esta caixa de seleção está marcada para que o Protector
tela pode ser desativado por um evento de entrada de VNC Viewer.
· Desativar eventos de entrada locais com o servidor em uso
DisableLocalInputs = true / false
Se esta opção estiver marcada, então o teclado e mouse console local vontade
ignorado enquanto uma ou mais sessões ativas VNC. A área de trabalho permanece visível,
mas o utilizador local não pode interagir com ela de qualquer maneira.
Trate sempre novas conexões como compartilhado
AlwaysShared = true / false
Se for selecionado fará com que todas as ligações recebidas são tratadas como compartilhada, e
portanto, não desligar qualquer conexão não é existente, o que quer
a solicitação do cliente (que a conexão foi compartilhada ou não).
· Nunca tente novas conexões compartilhadas
NeverShared = true / false
Se esta opção for selecionada, todas as ligações recebidas serão tratadas
e não compartilhado. Nesse caso VNC-Server desconecta antes de ligar
qualquer ligação existente, ou, eventualmente, recusar a ligação de entrada, de acordo com a
não compartilhados links são configurados para substituir a (existente ou não ver
abaixo).
A partilha é escolhido pelo cliente estabelecido
AlwaysShared falsa, falsa NeverShared
Quando você se conectar, o VNC Viewer-se estabelecer a conexão deve ser compartilhada ou não. se
esta opção estiver marcada, então a preferência VNC-Viewer será honrado.
· As conexões não compartilhados substituir o existente
DisconnectClients = true / false
Se uma conexão de entrada é compartilhada (ou por opção ou porque é AlwaysShared
selecionado), então as conexões permanecem ativos. Se uma conexão
entrada não-compartilhada (por escolha ou porque NeverShared é selecionado)
em seguida, a nova conexão é negada, ou clientes existentes estão desconectados.
Bem, se esta configuração é em clientes existentes será desconectado quando
uma conexão não-compartilhada novo é aceito. Se esta opção é selecionada, o
Os clientes atuais não serão desconectados e a conexão de entrada será rejeitada
Durante a ligação
· Remover screensaver
RemoveWallpaper = true / false
Esta opção faz com que o protetor de tela ativo está desativado desde que pelo menos
sessão VNC ativo. Após a conclusão da última sessão está terminada.
· Retire o fundo do desktop
RemotePattern = true / false
Esta opção significa que o papel de parede é suspenso enquanto um
ativo conexão VNC. Quando a última sessão termina, o papel de parede é
partes.
· Efeitos Desativar interface de usuário
DisableEffects = true / false
Esta opção faz com que a maioria dos efeitos de interface do usuário como
mistura alfa, menus desbotados, menus animados, e antialiasing
janelas animação é colocado fora de serviço (inoperante), desde que o
pelo menos uma conexão VNC ativo. Quando a última sessão termina, estes efeitos são
restaurada.
Nota -. A extensão dos efeitos diretos a partir da versão do sistema
aplicações operacionais e ativo.
· Quando desligar o último cliente
· Não fazer nada
DisconnectAcción = None
Não faz nada de especial quando o último cliente desconecta.
· Bloquear estação de trabalho
DisconnectAcción Bloqueio = true / false
Feche a estação de trabalho quando o último cliente desconecta. este
funcionalidade está disponível apenas para Windows 2000 e
acima.
· Usuário Sair (logoff)
DisconnectAcción Logoff = true / false
Ele vai apresentar o usuário atual do sistema (logoff) para o cliente
desconectado passado.
Usando VNC para acompanhar atualização interconexão gráfica
UseHooks = true / false
VNC Server Support diferentes técnicas de rastreamento para detectar mudanças no ambiente de trabalho local
(Servidor). Esta edição suporta a técnica clássica de ligação interligação ou VNC.
VNC Server pode ser configurado para interligar usando o VNC, ou continuamente levantamento
mudanças de tela.
· Consola de sondagem para atualizar
PollConsoleWindows = true / false
A ligação técnica HOOK VNC não pode monitorar o console Windows
limitações do sistema operacional. Em vez disso, as janelas do Windows pode ser
rastreados para ver as mudanças. Se esta opção for selecionada, então VNC-Server
irá acompanhar as partes visíveis da pista para baixo as janelas para detectar áreas de mudança.
Observe. Se você preferir desabilitar ligação VNC então você também deve desativar a chamada
seletivos janelas do console.
· Atualizações filtro sem influência (recomendado)
CompareFB = true / false
Monitorização utilizando heurística, como os usados ??para a interligação VNC, a
queixa freqüentemente mudou áreas que mudaram minimamente. Mesmo os sistemas
rastreamento totalmente precisa pode relatar que algumas áreas foram alteradas mesmo se
simplesmente foi atualizado e, portanto, não foram realmente muito afetada.
Habilitar esta opção permite VNC-Server transmite apenas as partes da tela
que realmente mudou para clientes que irá melhorar drasticamente a interligação.
Configurações de importação VNC 3.3.
Se você tivesse usado VNC Server 3 versão WinVNC irá recuperar automaticamente
VNC Server Configuration-4. Neste caso, tomar as opções que melhor corresponda
com as opções que eu tinha em WinVNC 3,3, e alertá-lo se ele não pode corresponder
opções existentes completamente, ou se estes já não são importantes.
Se você preferir configurar o modo de importação de configurações do usuário, em seguida, VNC-Server
tentativas de importar as suas escolhas pessoais de WinVNC 3.3. Se preferir importar configurações
configurar o servidor VNC em modo de serviço-WinVNC 3,3 em seguida, tomar o mesmo
Padrões de ter que usar o computador local.
Mensagem -. Independentemente WinVNC deve desinstalar 3,3 como se isso importasse o serviço
VNC Server-opções-4, ou configurar VNC-Server-4 para rodar em número de porta
diferente.
· Só uso versão do protocolo 3,3
Protocol3.3 = true / false
VNC-Server-4 suporta tanto a versão do protocolo, o original (VNC 3.3) e novo
versões de protocolo (3,7 e 3,8 VNC). Alguns software de terceiros VNC com números
versões diferentes do padrão pode causar incompatibilidades aparecer. VNC-Server-4
portanto, às vezes, ser configurado com o original VNC protocolo 3.3,
ainda garantir a compatibilidade com Vierwers fora do padrão VNC.
Publicar. Esta opção é aplicável a toda a operacionalidade e reduz conexões VNC
disponíveis para a conexão VNC Viewer.
Alterar modo de usuário de serviço
Para alterar o servidor no modo de modo de serviço do modo de usuário e nós só vivceversa
parar e reiniciar no novo modo selecionado.
Se estamos em modo usuário não terá nenhum problema como simplesmente fechar a
servidor e vá para:
Iniciar -> Programas -> RealVNC -> VNC Server 4 (Service-Mode) -> Iniciar VNC Serviço
assim vai iniciar o servidor no modo de serviço. Mas tenha em mente que só
agir de modo de serviço nesta sessão, como a sessão vai parar de atuar em modoservicio.
Se você quiser mantê-lo funcionando adiante no modo de serviço, você deve reguistrarlo como
modo de serviço, a ser seguido pela sequência eñllo
Iniciar -> Programas -> RealVNC -> VNC Server 4 (Service-Mode) -> Register VNC Serviço
Então registar-VNC Server como Servidor modo de serviço, e essas definições permanecerão
para sessões posteriores.
Da mesma forma, se você quiser apenas para se deslocar de servidor para o modo servidor de modo-usuário do serviço,
tenerpresente deve ser a primeira coisa a fazer é parar o serviço do servidor de modo
combinando:
Iniciar -> Programas -> RealVNC -> VNC Server 4 (Service-Mode) -> Parar VNC Serviço
Agora, se você só quer trabalhar em modo de usuário para esta sessão só deve arracarlo
ou como tal. Se em vez você quer em sessões sucessivas VNC servidor não irá inicializar
como serviço de modo, você deve remover do registro como tal por:
Iniciar -> Programas -> RealVNC -> VNC Server 4 (Service-Mode) -> Unregistre VNC Serviço
Então da próxima vez você não terá a sessão ibnicie VNC-Server inicializado como um serviço.
Agora você só precisa começar a VNC-Server user-mode, como mostrado:
Iniciar -> Programas -> RealVNC -> VNC Server 4 (User-Mode) -> Run VNC Server
Notas sobre S.O. diferente
Windows NT 3,11 Windows 3.51
VNC-Server-4 é projetado para trabalhar com versões de 16 bits do Windows. Portanto, não
pode ser utilizado em Windows 3.11 ou anterior. Também não é para trabalhar no Windows NT v3.51.
Apenas versões anteriores à 3.3.7 VNC pode ser utilizado com o Windows NT 3.51.
Windows 95
VNC-Server-4 foi concebido para intervir com 95 sistemas que possuem apenas versões Winsock
2.0 ou superior instalado.
Windows 98, Windows Me
No Windows 98 e Windows Me não são possíveis em algumas opções de VNC (incluindo
servidor de senha) para que você não pode garantir o mesmo. Esta é uma limitação
intrínseca a estas plataformas.
Windows NT 4.0
Há um problema não resolvido com o software no Windows NT 4, antes do Service Pack 3, como o
sistema operacional fatal falha com a conhecida tela azul se VNC é usado em serviço de modo.
Esse problema afeta todas as versões de software de VNC, eo único problema é
atualizar sua versão do Windows com o Service Pack 3 ou superior.
Windows XP
A troca rápida de usuário e recursos de desktop remoto do Windows XP pode
evitar o “servidor VNC” para funcionar corretamente, devido a limitações no dispositivo
Windows Service. Recomendamos evitar estas opções no Windows XP.
Windows 2003 Server
“O servidor VNC” 4 é projetado para ser compatível com o Windows Server 2003.
GOSTOU!! DEIXE UM COMENTÁRIO