DETECÇÃO DE PROBLEMAS E MANUTENÇÃO PREVENTIVA

cooltext1602642829

 Inspeção externa do micro: Verificar se todos os cabos estão conectados em seus devidos locais, se os periféricos estão devidamente conectados, se a chave 110V – 220V está em posição correta e se o estabilizador de tensão está conectado de acordo.

2 – Inspeção interna do micro: Verificar se a instalação física e configuração do fax modem, placa de som, CD-ROM e dos demais periféricos “extras” (impressora, etc.) estão feitas corretamente. Erro mais comuns encontrados neste passo:

• Unidade de CD-ROM IDE instalada como slave do disco rígido ou na porta IDE da placa de som: Instale a unidade de CD-ROM IDE (bem como gravadores de CD) como “master” na porta IDE secundária (IDE 2) da placa-mãe.
• Disco rígido ou unidade de CD-ROM conectada no meio do cabo IDE, fazendo com que haja uma “ponta” solta de cabo. Caso isso ocorra, essa “ponta” funcionará como uma antena, diminuindo a taxa de transferência do disco.
• Se o micro tiver dois discos rígidos, preferencialmente instale um na porta IDE primária e o outro na porta IDE secundária, a fim de aumentar o desempenho do micro. Caso exista uma unidade de CD-ROM, o disco rígido da porta IDE secundária deverá ser instalado como master e o CD-ROM, como slave.
• Conjunto de dissipador de calor solto do processador, especialmente se este utiliza um mecanismo de retenção por pressão.

3 – Edição do Setup: Ligue o micro e edite o seu Setup, conferindo, com o auxílio do capítulo de Setup. Erros mais comuns encontrados neste passo:

• Dispositivos IDE instalados fisicamente sem a detecção no Setup.
• Opções de aumento de desempenho desabilitadas no Setup (como Cache L1 e L2, System Bios Cacheable e Vídeo Bios Cacheable).
• Processador mau configurado. (Obs.: Placas PC-66 não possuem o item CPU PnP Setup no Setup, pois a configuração do processador é via jumper)

4 – Dê boot no micro e instale e execute um bom anti-vírus, o mais atualizado possível.

• Encontrando-se vírus, alerte o usuário sobre tal descoberta, desinfetando também os disquetes que o usuário possui.

5 – Localize a pasta TEMP do diretório Windows e apague todos os arquivos temporários desta pasta ou se preferir edite o arquivo AUTOEXEC.BAT e acrescente as seguintes linhas:

Set temp=c:\windows\temp, Deltree /y c:\windows\temp
Md c:\windows\temp

Explicação: Para editar o arquivo AUTOEXEC.BAT vá até o Prompt do MS-DOS e no prompt – C:|WINDOWS> – digite:
CD..
EDIT (espaço) AUTOEXEC.BAT
Acrescente agora as linhas do item 5.
Para sair do EDIT salvando as modificações feitas, tecle as seguintes teclas uma de cada vez – ALT – A – R – .

Com estas linhas acrescentadas no AUTOEXEC automaticamente toda vez que o usuário ligar o computador a pasta TEMP do Windows será deletada e criada novamente.

6 – Verifique no Gerenciador de Dispositivos (ícone Sistema do Painel de Controle):

• Se há drivers instalados incorretamente (com ponto de exclamação amarelo ou um X vermelho) e/ou dispositivos com drivers não instalados (Outros Dispositivos). Corrija estes problemas, obtendo os drivers dos dispositivos.

7 – Verifique se o sistema está configurado para Desempenho otimizado, clicando no ícone Sistema do Painel de Controle e selecionando a guia Desempenho. Configure o Menu Disco Rígido a opção “Função deste computador” para Servidor de Rede.

8 – Verifique se a placa de Vídeo está configurada no Painel de Controle item Vídeo Menu Configurações.

9 – Caso o usuário esteja utilizando o Windows 98 e ao desligar o Micro não é exibida a tela, “Seu computador já pode ser desligado corretamente” corrija este problema instalando o arquivo “239887up.exe” que está no CD de manutenção ou que está disponível para download no site do Gabriel Torres (www.clubedohardware.com.br).

10 – Teste todos os periféricos (SOM e FAX-MODEM).

11 – Utilize o SCANDISK para procurar por problemas no disco rígido.

12 – Utilize o Desfragmentador de discos para desfragmentar o disco rígido.

13 – Organize os atalhos da área de trabalho.

14 – Organize os itens do menu Iniciar.

MANUTENÇÃO CORRETIVA

O grande macete da manutenção corretiva é executar o roteiro de manutenção preventiva, antes de mais nada! Grande parte dos problemas apresentados pelo micro pode ser resolvida executando-se o roteiro apresentado.
Entretanto, caso o problema do micro persista mesmo após a execução do roteiro de manutenção preventiva, então você deverá adotar o procedimento de manutenção corretiva.
Para executar a manutenção corretiva, além de ferramentas, você precisará de um micro funcionando para testar componentes. A manutenção corretiva hoje em dia é feita basicamente na base da substituição de peças. Em um primeiro instante, o ideal é usar o micro que está funcionando para testar peças “suspeitas” e não o contrário, isto é, utilizar peças boas no micro com defeito.
Nem sempre defeitos são ocasionados por uma só fonte; por exemplo, um micro que não liga pode ter uma placa de vídeo e ou módulo de memória defeituosos; se você colocar uma placa de vídeo boa no micro com defeito, este continuará não ligando, o que poderá fazer você ter a falsa conclusão de que o problema não era da placa de vídeo (afinal, o micro continuou não ligando após sua substituição). Por isso, a recomendação de testas as peças do micro com defeito no micro bom.
Aliás, esse procedimento tornará a manutenção mais rápida (é muito mais rápida testar peças suspeitas uma-a-uma em um micro bom do que ficar tentando colocar um micro defeituoso para funcionar tentando instalar nele peças boas).
Obviamente, no caso do atendimento a domicílio de clientes, na maioria das vezes não há como levar um micro bom; mesmo quando é possível, não recomendamos esse procedimento. A manutenção corretiva deve ser feita em um local apropriado, pois, além de peças à vontade, temos também a liberdade de trabalho que não teríamos em frente a um cliente. Por exemplo, sair trocando peças de um micro bom com um com defeito na frente do cliente muitas vezes fará com que ele pense que você está “chutando” qual é o defeito, diminuindo sua imagem profissional.

MANUTENÇÃO CORRETIVA

É muito comum ocorrerem problemas de mau contato; estes ocorrem mais quando o microcomputador está próximo da praia, por causa da maresia, ou em locais muitos quentes, por causa da dilatação dos corpos metálicos.
Para resolver problemas de mau contato, você deverá utilizar:
• Borracha branca macia para limpeza dos contatos de borda das placas e dos módulos de memória (obviamente tal tarefa deverá ser executada em local afastado do microcomputador).
• Escova de dentes velhas embebida em álcool isopropílico, que poderá ser passada em slots, no soquete do processador, nos soquetes dos módulos de memória e em conectores em geral.

MICRO NÃO LIGA

Retire todas as placas “extras” do micro, bem como todos os flats cables e conectores, deixando-o somente com:

1 – Fonte de alimentação.

2 – Placa-mãe com processador e ventoinha.

3 – Memória (mínimo banco 0 completo).

4 – Placa de vídeo.

5 – Monitor de vídeo.

Essa é a lista mínima de componentes que um micro deve ter para poder ligar. Se o micro não tiver um dos componentes que um micro deve ter para poder ligar. Se o micro não tiver um dos componentes da lista, não ligará.
Confira se há tensão na saída da fonte de alimentação. Basta observar o display e o LED power no painel frontal do gabinete, de modo a verificar se os mesmos estão acesos e se a ventoinha existente na fonte de alimentação está girando. Caso não estejam ligados, a fonte pode estar queimada. Teste-a por substituição.
Não se esqueça de que em placas-mãe e fonte ATX o micro é ligado através da chave Standby do painel frontal do gabinete. Verifique se essa chave está corretamente ligada à placa-mãe.
Reduza o seu microcomputador a somente esses itens, desconectando também todos os flats cables que normalmente são conectados à placa-mãe. Ligue o micro. Se o
mesmo passar a funcionar, o problema está localizado em alguma peça que foi retirada. Recoloque peça por peça, até descobrir qual delas estava ocasionando o micro não funcionar. Nesse caso, tal peça deverá ser descartada. Se, ao remontar o micro, este voltar a funcionar sem ter sido necessário trocar nenhum peça, tratava-se de um problema de mau contato.
Se, por outro lado, o microcomputador não liga, porém apresenta uma série de “bips” no alto-falante, isso poderá significar:

• 2 bips curtos e 8 bips longos: Problemas com a placa de vídeo. Nesse caso, experimente desencaixar a placa de vídeo e encaixa-la novamente (eliminando dúvidas a respeito de mau contato). Teste a placa de vídeo por substituição.
• Série de “bips” longos: Problemas relacionados à memória.

Caso o microcomputador continue não ligando, a maneira mais rápida de descobrir o problema é testando a sua placa de vídeo, seus módulos de memória e seu processador em outro micro que esteja funcionando. Não se esqueça de que você deverá instalar os componentes um-a-um, ou seja, instale primeiro a placa de vídeo. Se estiver OK, passe para o próximo componente e assim sucessivamente, até ter testado todas as peças do micro. Não se esquecendo que esse teste deve ser feito em outra máquina e não na máquina com problemas. Isto é, teste cada peça do micro com defeito em uma máquina que esteja boa, e não o contrário.
Caso as peças estejam OK e o micro continue não ligando, verifique se a placa-mãe configurada corretamente. Se ela estiver configurada corretamente, restam duas alternativas: ou o problema é da fonte de alimentação ou da placa-mãe. Teste por substituição.

cooltext1602638940