De onde surgiu a Internet

A tecnologia e conceitos fundamentais utilizados pela Internet surgiram de projetos conduzidos ao longo dos anos 60 pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Esses projetos visavam o desenvolvimento de uma rede de computadores para comunicação entre os principais centros militares de comando e controle que pudesse sobreviver a um possível ataque nuclear. Ao longo dos anos 70 e meados dos anos 80 muitas universidades se conectaram a essa rede, o que moveu a motivação militarista do uso da rede para uma motivação mais cultural e acadêmica. Nos meados dos anos 80 a NSF – National Science Foundation dos EUA (algo como o CNPq do Brasil) constitui a uma rede de fibra ótica de alta velocidade conectando centros de supercomputação localizados em pontos chave no EUA. Essa rede da NSF, chamada de “backbone da NSF”, teve um papel fundamental no desenvolvimento da Internet nos últimos 10 anos por reduzir substancialmente o custo da comunicação de dados para as redes de computadores existentes, que foram amplamente

estimuladas a se conectar ao “backbone” da NSF. O controle da “backbone” mantido pela NSF encerrou-se em abril de 1995, sendo passado em sua grande totalidade para o controle privado. Ao longo dos últimos 5 anos, e especialmente nos últimos 2 anos, o interesse comercial pelo uso da Internet cresceu substancialmente. Muito possivelmente o interesse comercial, ao lado do cultural e acadêmica, constituirá a principal motivação para utilização da Internet nos próximos anos.

 

Por que a Internet é importante?

 

A Internet é considerada por muitos como um dos mais importantes e revolucionários desenvolvimentos da história da humanidade. Pela primeira vez no mundo um cidadão comum ou uma pequena empresa pode (facilmente e a um custo muito baixo) não só ter acesso a informações localizadas nos mais distantes pontos do globo como também – e é isso que torna a coisa revolucionária – criar, gerenciar e distribuir informações em larga escala, no âmbito mundial, algo que somente uma grande organização poderia fazer usando os meios de comunicação convencionais. Isso com certeza afetará substancialmente toda a estrutura de disseminação de informações existente no mundo, a qual é controlada primariamente por grandes empresas. Com a Internet uma pessoa qualquer (um jornalista, por exemplo) pode, de sua própria casa, oferecer um serviço de informação baseado na Internet, a partir de um microcomputador, sem precisar da estrutura que no passado só uma empresa de grande porte poderia manter. Essa perspectiva abre um enorme mercado para profissionais e empresas interessados em oferecer serviços de informação específicos.

 

Quem controla a Internet?

 

A Internet surpreendentemente não é controlada de forma central por nenhuma pessoa ou organização. Não há, por exemplo, um presidente ou um escritório central da Internet no mundo. A organização do sistema é desenvolvida a partir dos administradores das redes que a compõe e dos próprios usuários. Essa organização pode parecer um pouco caótica à primeira vista mas tem funcionado extremamente bem

até o presente momento, possibilitando o enorme crescimento da rede observado nos últimos anos.

 

O que significa “estar conectado” à Internet.

 

Estar ligado ou conectado à Internet, usualmente significa ter uma “conta” em um computador “servidor” que esteja conectado à Internet localizado em uma instituição (ou empresa) que seja provedora de serviços de acesso à Internet. Essa “conta” nesse computador ligado à Internet é usualmente acessada de um microcomputador através de um modem e de uma ligação telefônica comum. Ter essa conta implica em se ter um “endereço eletrônico” na Internet, que funciona de forma similar ao endereço postal. A título de exemplo, um possível endereço na Internet poderia ser: lopes@artnet.com.br onde “lopes” representa uma identificação da pessoa no computador em que tem uma conta e “artnet.com.br” o endereço desse computador na Internet. O “.br” no final do endereço indica que o computador é da rede brasileira.

 

O que é possível fazer na Internet?

 

Se sob o ponto de vista físico a Internet é uma conexão entre redes, para o usuário ela aparece como um grupo de serviços disponíveis para a troca de informações entre computadores ou indivíduos conectados à Internet.

 

Quantas pessoas e computadores estão ligados à Internet?

 

Dado o caráter descentralizado da Internet é muito difícil se conhecer exatamente o número de computadores conectados a ela e o número e perfil das pessoas que a utilizam. Pelas contas atuais, já são milhões de usuários conectados em todo o mundo. Segundo a revista americana Board-watch, uma das mais conceituadas publicações sobre o mundo on-line, essa cifra está hoje na casa dos 45 milhões.

Os recursos da Internet

 

Se sob o ponto de vista físico a Internet é uma conexão entre redes, para o usuário ela

aparece como um grupo de serviços disponíveis para a troca de informações entre computadores ou indivíduos conectados à Internet. Resumidamente são os seguintes:

 

  • Correio Eletrônico

  • FTP

  • Listas

  • Usenet

  • Gopher

  • WWW

  • Telnet

 

 

Correio eletrônico

 

  • correio eletrônico é um dos serviços mais elementares e mais importantes disponíveis na Internet. Basicamente, o correio eletrônico é a troca de mensagens que o usuário da Internet pode mandar para outro usuário.

 

  • conteúdo de uma mensagem eletrônica deve ser um arquivo com caracteres ASCII. Portanto, uma mensagem não pode conter arquivos que contenham caracteres fora da tabela ASCII, como, por exemplo, programas compilados e arquivos codificados de imagens.

 

Emoticons

 

Como é difícil transmitir nuanças e entonação no texto escrito em uma mensagem eletrônica, criaram-se alguns símbolos para denotar algum sentimento nestas mensagens. Essas convenções, denominadas genericamente de emocionas(ícones de emoções), são muito informais, como a Internet em geral o é, e aproveitam as características de as mensagens serem compostas apenas por caracteres. Uma das convenções mais comuns e usar uma caretinha

que deve ser vista rotacionando-se a cabeça em 90° no sentido anti-horário. Existem centenas dessas caretinhas, mas as mais conhecidas são:

 

:-)      – O sorriso básico. É usado para expressar alegria, brincadeira, ou ironia.

;-)      – O mesmo acima, mas com uma piscada.

:-(      – Expressa tristeza ou descontentamento, pelo que foi escrito.

:-)))   – O mesmo que :-), com mais intensidade.

(-:      – O mesmo que :-), mas o usuário é canhoto.

%-)   – É um sorriso de alguém que está bêbado ou cansado do vídeo.

:*)      – O usuário esta bêbado.

B-)   – O usuário está com óculos escuros.

:-{)    – O usuário tem bigode.

:-{}    – O usuário usa batom.

:’-(     – O usuário está chorando de tristeza.

:’-)     – O usuário está chorando de alegria.

:-Q   – O usuário é fumante.

 

FTP (File Transfer Protocol)

 

O FTP é o protocolo usado na Internet para transferência de arquivos entre computadores. Basicamente os programas que implementam o FTP fazem transferência de arquivos entre seu computador local e outro remoto. O FTP é um dos recursos mais importantes disponíveis na Internet, e também responsável por um grande volume de tráfego de dados.

A princípio, o FTP é feito para transferir arquivos de uma máquina remota, conectada a Internet, na qual o usuário deve ter uma conta (login) e uma senha (password) para entrar nessa conta. A partir disso pode-se navegar entre os diretórios dessa conta e transferir os arquivos dela para seu computador local, ou vice-versa. Contudo, uma possibilidade muito interessante e o fato de muitos computadores permitem que você os acesse remotamente (embora de forma restrita) mesmo sem ter uma conta ou senha – o chamado FTP anônimo (anonymous FTP). Existem muitos Gb de informações disponíveis em FTP anônimo nas máquinas da Internet ao redor do mundo. Nesses locais podem-se encontrar programas fontes, programas objetos, sistemas inteiros, documentos, ou seja, todo tipo de informação em

arquivos de computador. Normalmente no FTP anônimo o login e a palavra anonymous.

 

Listas

 

O conceito de lista de distribuição é simples. Um grupo de pessoas com um interesse comum (por exemplo, sexo, vídeo, música) gostaria de trocar mensagens sobre esse assunto. Sempre se pode manter uma lista dessas pessoas e mandar cada mensagem para todas elas, mas isso seria um procedimento tedioso e difícil de manter. Por isso, criou-se o conceito de listas de distribuição. Estas listas funcionam da seguinte forma: em algum computador na Internet, instala-se um programa chamado gerenciador de lista ou listserver. Esse programa mantém uma lista dos assinantes da lista, recebendo e mandando mensagens de forma semi-automática. Esse programa é acionado por um endereço eletrônico virtual, isto é, esse endereço se parece com um endereço de um usuário comum, mas é o programa que recebe as mensagens e as processa. 

Para cada lista existem dois endereços: um para distribuição das mensagens e outro para a administração da lista. Toda vez que alguém envia uma mensagem para o endereço que estão armazenados no seu banco de dados – isto é, para todos os assinantes da lista.

 

USENET

 

A Usenet é uma outra forma de comunicação em grupo de pessoas semelhante as listas de distribuição de mensagens, porém mais poderosa. Imagine poder colocar mensagens em 20 mil quadros de avisos. Cada um sobre um tema diferente. E saber que as pessoas interessadas naquele tema estarão ali para ler e responder as suas mensagens. Isto descreve o que são os 20 mil newsgroups da Usenet. Os quadros de avisos da Usenet existem desde 1979. Na verdade, a Usenet é também uma rede, como a Internet, a qual está tão associada a ponto de muitos acharem ser uma coisa só. Mas, embora quase todo o tráfego de mensagens dos newsgroups da Usenet circulem por máquinas conectadas a Internet, isso não é indispensável.

As mensagens de um newsgroup não são distribuídas como em correio-eletrônico. Neste sentido, são inteiramente diferentes das listas de discussão.

Não é difícil compreender por que cada tipo tem seus admiradores. De certa forma, há um conforto em saber que todas as mensagens do assunto que me interessa chegarão a minha caixa postal, quer eu esteja ou não atento a isto. É assim com uma lista de distribuição.

Já em um newsgroups as mensagens ficam situadas em um mesmo local (uma máquina que sedia determinado número de newsgroups). A mensagem jamais chegará a sua caixa postal. Você precisa ir até uma dessas máquinas por onde os newsgroups circulam. Ali, poderá ler (tendo a opção também de arquivar o conteúdo na sua máquina), responder, criar uma nova mensagem ou reenviá-la para alguém.

Dessa forma, as mensagens de um newsgroup não circulam em desperdício. Ao contrário, são acessadas somente pelos que nelas tem interesse. Muitas vezes, escolhem-se as mensagens de um newsgroup apenas pela descrição do subject. Mais uma vez, vale a recomendação para caprichar na escolha do subject.

 

Gopher

 

O Gopher é uma forma popular de busca de informações na Internet. Quase todos os provedores de acesso disponibilizam seus próprios servidores Gopher. O usuário pode acessá-los, bastando para isso que se escreva GOPHER no menu principal ou diante do prompt de sua conexão via Unix Shell. Também existem programas especiais para Gopher que podem ser instalados no seu computador caso você disponha de conexões TCP/IP e SLIP/PPP para a Internet.

Começando pelos menus, que são numerados, você faz opções e salta de informação em informação, de modo hierárquico e semelhante a uma árvore de diretórios de um PC, podendo mesmo, nessas sessões, utilizar, a partir do Gopher, outros protocolos como o Telnet, o FTP e o IRC, além de outros recursos.

Hoje, o Gopher também pode ser facilmente utilizado a partir do World Wide Web, que, deste modo, não apenas o substitui, como ainda oferece uma plataforma mais atraente para a navegação.

Um dos itens mais populares do Gopher é o Verônica, um sistema de busca por palavra-chave que vasculha constantemente todos os índices dos Gophers no mundo inteiro.

World Wide Web (WWW)

 

A World Wide Web(teia mundial) ou WWW, é a mais recente coqueluche da Internet. Lançada em 1992, a WWW está em crescimento explosivo. Tem registrado recordes de crescimento por volumes de dados transmitidos por mês e tem sido responsável pelo aumento da capacidade de tráfego em muitos canais de comunicação.

A World Wide Web é uma rede virtual (não-física) “sobre” a Internet, que torna os serviços disponíveis na Internet totalmente transparentes para o usuário e ainda possibilita a manipulação multimídia da informação. Assim qualquer usuário pode, somente usando o mouse, ter acesso a uma quantidade enorme de informações na forma de imagens, textos, sons, gráficos, vídeos etc., navegando através de palavras-chaves e ícones.

 

TELNET

 

Telnet é um serviço que permite a um usuário entrar em outra máquina ligada a Internet, transformando a máquina local em um terminal da máquina remota. Para executar o telnet é necessário que o usuário tenha acesso a uma conta nessa máquina, incluindo uma senha. Para isso o usuário deve fornecer o seguinte comando: telnet

Por exemplo, se o Rodrigo Lopes quiser entrar na sua conta na EMBRAPA ele deve fornecer o seguinte comando:

telnet embrapa.cngpl.br

A partir daí, basta o Rodrigo Lopes inserir o login name e a senha. Não esqueça, contudo, que é ilegal tentar obter acesso a contas nas quais o usuário não tenha autorização para tanto. É equivalente a invadir a casa dos outros sem autorização dos moradores.

Os endereços eletrônicos.

 

Nesta seção iremos aprender como são formados os endereços eletrônicos, ou seja, por que  existe esse www, .com, .br, .org etc.

Os endereços eletrônicos.

 

Nesta seção iremos aprender como são formados os endereços eletrônicos, ou seja, por que  existe esse www, .com, .br, .org etc.

 

Veja abaixo.

 

 

Nome da empresa

 

Exemplo.:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Localidade da página

 

 

Protocolo

 

 

http://www.microsoft.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comercial

 

 

No exemplo acima mostramos um endereço (URL) situado na WWW, com fins comerciais, e localizado no Brasil, cujo o nome da empresa é Microsoft.

Simples não?

 

http:// (HyperText Transfer Protocol) Protocolo de transferencia de Hipertexto, é o protocolo utilizado para transferencias de páginas Web.

 

www: Significa que esta é uma página Web ou seja,  aqui é possível visualizar imagens, textos formatados, ouvir sons, músicas, participar de aplicações desenvolvidas em Java ou outro script. Resumindo é a parte gráfica da Internet

 

org :  Indica que o Website é uma organização.

edu:  Indica que o Website é uma organização educacional

gov:  Indica que o Website é uma organização governamental.

com: Indica que o Website é uma organização comercial.

br:   Indica que o Website é uma organização localizada no Brasil, assim como na França é “.fr”  e EUA “.us”

O seu navegador

 

(Internet Explorer 9) da Microsoft

Descubra as partes de seu navegador abaixo.

……………………. bom é isso o resto thá na apostila blz!!………….

por Paulista Postado em Rede Com a tag