Machine e do Exadata Storage Server

A Oracle Exadata Database Machine é uma solução de fácil implantação para hospedagem do Oracle Database que fornece os níveis mais altos de desempenho de banco de dados disponível. A Exadata Database Machine é uma “solução de cloud pronta para uso” composta por servidores de banco de dados, Oracle Exadata Storage Servers, uma malha InfiniBand para rede de armazenamento e todos os outros componentes necessários para hospedar um Oracle Database. Fornece excelente desempenho de processamento de I/O e SQL para o processamento de transações on-line (OLTP), data warehousing (DW) e consolidação de cargas de trabalho mistas. Proporciona desempenho extremo para todos os tipos de aplicações de bancos de dados tirando proveito de uma arquitetura de grid intensamente paralela usando Real Application Clusters e o armazenamento Exadata. A Database Machine e o armazenamento Exadata proporcionam desempenho inovador analítico e de I/O, são simples de usar, gerenciar e fornecem disponibilidade e confiabilidade crítica para a empresa.

O Exadata Storage Server é um componente integral da Exadata Database Machine. O desempenho extremo sem igual é fornecido por vários recursos do produto. O armazenamento Exadata fornece serviços de armazenamento de reconhecimento de banco de dados, como a capacidade de deslocar o processamento do banco de dados do servidor de banco de dados para o armazenamento enquanto permanece transparente para o processamento de SQL e as aplicações do banco de dados. Portanto, apenas os dados solicitados pela aplicação são retornados em vez de todos os dados nas tabelas consultadas. O Exadata Smart Flash Cache acelera consideravelmente o processamento do Oracle Database ao acelerar as operações de I/O. O Flash fornece armazenamento em cache inteligente de objetos de banco de dados para evitar operações físicas de I/O e acelerar o registro no banco de dados. O Oracle Database na Database Machine é o primeiro banco de dados com Flash. O armazenamento Exadata fornece uma tecnologia de compressão avançada, a Exadata Hybrid Columnar Compression, que normalmente fornece 10 vezes mais níveis de compressão de dados. A compressão Exadata aumenta a transferência de dados efetiva de acordo com a magnitude. A Oracle Exadata Database Machine é a máquina para banco de dados mais segura do mundo. Com base nos recursos de segurança superiores do Oracle Database, o armazenamento Exadata fornece a capacidade de

consultar bancos de dados criptografados com quase nenhuma sobrecarga a centenas

de gigabytes por segundo. A combinação desses e de muitos outros recursos do produto é a base do excelente desempenho da Exadata Database Machine.
O Exadata Storage Expansion Rack permite o crescimento da capacidade de armazenamento Exadata e largura de banda das Exadata Database Machines X2-2 e X2-8. Ele é projetado para implantações de banco de dados que exigem quantidades muito grandes de dados além do que está incluído em uma Exadata Database Machine e quando capacidade de processamento analítico de banco de dados adicional não é necessário. Os Standard Exadata Storage Servers, e a infraestrutura de suporte, são agrupados no Exadata Storage Expansion Rack para permitir uma extensão de fácil implantação da configuração do armazenamento Exadata em uma Exadata Database Machine. Todos os benefícios e recursos do armazenamento Exadata ficam disponíveis e podem ser obtidos ao usar um Exadata Storage Expansion Rack.
A Exadata Database Machine também foi projetada para funcionar com ou independente do Oracle Exalogic Elastic Cloud. O Exalogic Elastic Cloud fornece a melhor plataforma para executar o Fusion Middleware e as aplicações Fusion da Oracle. A combinação do Exadata e do Exalogic é uma solução de hardware e software completa que fornece alto desempenho para todas as aplicações comerciais incluindo as aplicações Oracle E-Business Suite, Siebel e PeopleSoft.
O Oracle SPARC SuperCluster incorpora a tecnologia de armazenamento Exadata para melhorar o desempenho do Oracle Database. O SPARC SuperCluster pode ser usado para hospedar Fusion Middleware da Oracle, aplicações Fusion da Oracle, aplicações de propósito geral, bem como o Oracle Database e é uma plataforma integrada de alto desempenho com base em servidores SPARC. É um sistema projetado para hospedar toda a pilha de soluções de software da Oracle. Além dos Exadata Storage Servers incorporados ao SPARC SuperCluster, os Exadata Storage Expansion Racks podem ser usados para aumentar a capacidade e largura de banda do sistema.

Família de produtos Exadata
A base da família de produtos Exadata é a Oracle Exadata Database Machine (Máquina para Banco de dados). A Database Machine é um sistema de banco de dados completo e totalmente integrado que inclui todos os componentes para implantar rapidamente e facilmente qualquer banco de dados comercial para fornecer o melhor desempenho. O Exadata Storage Server (armazenamento Exadata ou células Exadata) é usado como armazenamento do Oracle Database na Database Machine. Ele executa o Exadata Storage Server Software que fornece a exclusiva e poderosa tecnologia Exadata incluindo Smart Scan, Smart Flash Cache, Smart Flash Logging, IO Resource Manager, Storage Indexes e Hybrid Columnar Compression. O Exadata Storage Expansion Rack é um meio simples e rápido de aumentar a capacidade de largura de banda e armazenamento Exadata de uma Database Machine ou implantação de SPARC SuperCluster existente.
Exadata Database Machine
A Database Machine é um sistema pré-configurado pronto para ser ativado no primeiro dia, removendo trabalho, custos e tempo significativos do processo de implantação do banco de dados. Com é uma configuração bem conhecida, o Suporte da Oracle está familiarizado com o atendimento do sistema, resultando em uma experiência de suporte superior com o sistema. O benefício de uma infra-estrutura comum para implantar um banco de dados para qualquer aplicação, seja OLTP, DW, uma mistura de ambos ou como uma plataforma para consolidação de vários bancos de dados, cria grandes oportunidades de eficiência no data center. É verdadeiramente uma “solução de cloud pronta para uso”.

LCM INFORMÁTICA
LCM INFORMÁTICA

Há duas versões de Exadata Database Machine. A Exadata Database Machine X2-2 amplia de 2 servidores de banco de dados de doze núcleos com 192 GB de memória e 3 Exadata Storage

Servers para 8 servidores de banco de dados de doze núcleos com 1.152 GB de memória e 14 Exadata Storage Servers, tudo em um único rack. A Exadata Database Machine X2-8 é composta por 2 servidores de banco de dados de oitenta núcleos com 4 TB de memória e 14 Exadata Storage Servers, em um único rack. A X2-2 fornece um ponto de entrada conveniente para a família de produtos da Exadata Database Machine com o maior grau de expansão em um único rack. A X28 serve para grandes implantações com requisitos maiores de memória ou a necessidade de consolidar vários bancos de dados em um único sistema. Ambas as versões executam o software de banco de dados Oracle Database 11g Release 2.
Exadata Database Machine X2-2
Há três versões da Exadata Database Machine X2-2 disponíveis (aFull Rack, Half Rack, eQuarter Rack ) dependendo do tamanho, desempenho e requisitos de I/O do banco de dados a ser implantado. Uma versão pode ser atualizada on-line para outra garantindo um caminho de atualização suave conforme os requisitos de processamento aumentam. Além disso, a Exadata X2-2 pode ser facilmente ampliada para uma grade de 8 racks com 768 núcleos de CPU e 4 petabytes de armazenamento bruto. Comum a todas as Database Machines X2-2 são:
• Servidores de banco de dados padrão do setor Oracle Database 11g pré-configurados com: dois processadores Intel® Xeon® X5670 de seis núcleos executando a 3,06 GHz, 96 GB de memória, quatro discos SAS de 300 GB e 10.000 RPM, duas portas InfiniBand de 40 Gb/segundo, duas portas Ethernet de 10 Gb/segundo, quatro portas Ethernet de 1 Gb/segundo e fontes de alimentação redundantes duplas com tecnologia hot-swap. A capacidade de memória desses servidores de banco de dados pode opcionalmente ser atualizada de 96 GB para 144 GB. Oracle Linux 5 Atualização 5 e Solaris 11 Express estão pré-instalados nos servidores de banco de dados. Durante a implantação, o sistema operacional da Database Machine é selecionado.
• Exadata Storage Servers pré-configurados com: dois processadores de soquete Intel Xeon L5640 de seis núcleos executando a 2.26 GHz, 24 GB de memória, 384 GB de Exadata Smart Flash Cache, doze discos SAS conectados a um controlador de armazenamento com cache de 512MB com bateria, conectividade InfiniBand de duas portas, Integrated Lights Out Manager (ILOM) incorporado e fontes de alimentação com tecnologia hot-swap e dupla redundância. Os Exadata Storage Servers estão disponíveis com discos SAS de Alto Desempenho de 600 GB e 15.000 RPM ou discos SAS de Alta Capacidade de 3 TB e 7.200 RPM. Todo o software do Exadata Storage Server está pré-instalado na célula do Exadata.
• Switches e cabos InfiniBand Sun Quad Data Rate (QDR) para formar uma malha InfiniBand de 40 Gb/segundo para servidor de banco de dados para comunicação do Exadata Storage Server e entre nós do RAC.
• Switch Ethernet para administração remota e monitoramento da Database Machine.

Hardware de teclado, vídeo ou unidade de exibição e mouse (KVM) para administração local da Database Machine.
• Todos esses componentes são acomodados em um rack personalizado de 42U incluindo as Power Distribution Units (PDU) do sistema.
A relação dos componentes entre si foi escolhida para maximizar o desempenho, fornecer um sistema altamente disponível e fornecer o melhor equilíbrio entre CPU e I/O para todas as aplicações de banco de dados. Os componentes de hardware em cada versão da Exadata Database Machine X22 são apresentados na tabela a seguir.
Database Machine X2-2 Full Rack
Database Machine X2-2 Half Rack
Database Machine X2-2 Quarter Rack
Servidores de banco de dados
8
4
2
Exadata Storage Servers
14
7
3
Switches InfiniBand
3
3
2
Componentes da Database Machine X22
Exadata

Database Machine X2-8
A Exadata Database Machine X2-8 combina uma excelente arquitetura dimensionável ao fornecer uma infraestrutura em grade contendo grandes servidores de banco de dados SMP e uma grade de armazenamento Exadata. Até hoje, um SMP grande exigia um rack completo de equipamentos sozinho e era difícil de dimensionar além disso. A Exadata X2-8 usa dois servidores Sun ultracompactos com processador Intel com 80 núcleos para criar uma grade de banco de dados de alto desempenho altamente disponível. Cada um dos servidores inclui 2 terabytes de memória, InfiniBand de 40 Gb/segundo para conectividade interna e Ethernet de 10 Gb/segundo para conectividade com o data center. A X2-8 possui a mesma arquitetura de grade que a X2-2 com 14 Exadata Storage Servers fornecendo deslocamento inteligente de sobrecarga de consultas, compressão de dados 10 vezes maior, 504 TB de armazenamento bruto e até 1,5 milhão de I/Os por segundo para 5,3 TB de flash PCI de alto desempenho no armazenamento Exadata. A Exadata X2-8 pode ser facilmente ampliada para uma grade de 8 racks com 1.280 núcleos de CPU e 4 petabytes de armazenamento bruto. A nova Exadata X2-8 fornece desempenho extremo para todas as aplicações comerciais e permite a consolidação de banco de dados em larga escala.

A Exadata Database Machine X28 está disponível em uma configuração full rack, executa o Oracle Database 11g Release 2 e inclui a tecnologia a seguir:
• Dois servidores de banco de dados padrão do setor, cada um pré-configurado com: oito processadores Intel® Xeon® E7-8870 de dez núcleos executando a 2,40 GHz, 2 TB de memória, oito discos SAS de 300 GB e 10.000 RPM, oito portas InfiniBand de 40 Gb/segundo, oito portas Ethernet de 10 Gb/segundo, oito portas Ethernet de 1 Gb/segundo e fontes de alimentação redundantes duplas com tecnologia hot-swap. Oracle Linux 5 Atualização 5 e Solaris 11 Express estão pré-instalados nos servidores de banco de dados. Durante a implantação, o sistema operacional da Database Machine é selecionado.
• Quatorze Exadata Storage Servers pré-configurados com: dois processadores de soquete Intel Xeon L5640 de seis núcleos executando a 2,26 GHz, 24 GB de memória, 384 GB de Exadata Smart Flash Cache, doze discos (discos SAS de Alto Desempenho de 600 GB e 15.000 RPM ou discos SAS de Alta Capacidade de 3 TB e 7.200 RPM) conectados a um controlador de armazenamento com cache de 512MB com bateria, conectividade InfiniBand de duas portas, Integrated Lights Out Manager (ILOM) incorporado e e fontes de alimentação com tecnologia hot-swap e dupla redundância. Todo o software do Exadata Storage Server está pré-instalado na célula do Exadata.
• Três switches e cabos InfiniBand Sun Quad Data Rate (QDR) para formar uma malha InfiniBand de 40 Gb/segundo para servidor de banco de dados para comunicação do Exadata Storage Server e entre nós do RAC.
• Switch Ethernet para administração remota e monitoramento da Database Machine.
• Todos esses componentes são acomodados em um rack personalizado de 42U incluindo as Power Distribution Units (PDU) do sistema.
Novamente, a relação dos componentes entre si foi escolhida para maximizar o desempenho, fornecer um sistema altamente disponível e fornecer o melhor equilíbrio entre CPU e I/O para todas as aplicações de banco de dados.
Capacidade de atualização da Database Machine
Cada modelo da Database Machine X22 pode aumentar em capacidade e força, garantindo um caminho de atualização sem problemas conforme os requisitos de processamento aumentam. Uma atualização de campo on-line do Quarter Rack para o Half Rack e do Half Rack para o Full Rack pode ser executada facilmente por funcionários da Oracle.

Atualizações da Database Machine X22
Enquanto uma Exadata Database Machine é um sistema extremamente potente, uma abordagem de blocos modulares é usada, permitindo que as Exadata Database Machines dimensionem para quase qualquer tamanho. Vários racks da Database Machine X22 podem ser conectados usando a malha InfiniBand no sistema para formar uma configuração de imagem de sistema único maior. Vários racks da Exadata Database Machine X28 podem ser conectados de forma semelhante. Esta capacidade é executada ao conectar cabos InfiniBand entre os racks, já que toda a infra-estrutura InfiniBand (switches e cabos de porta) é projetada para fornecer essa opção de crescimento. Até 8 racks podem ser conectados simplesmente conectando os cabos InfiniBand. Configurações maiores podem ser construídas com switches InfiniBand adicionais. Qualquer combinação de Full Racks e Half Racks da X2-2 podem ser conectadas. Quarter Racks podem ser interconectados com outros racks em duas circunstâncias. Dois Quarter Racks podem ser interconectados a cada um ou um Quarter Rack pode ser conectado a qualquer combinação de Full Racks e Half Racks. A capacidade inerente da Exadata Database Machine de crescer permite o suporte dos maiores bancos de dados que qualquer aplicação poderia exigir.

Oito racks Exadata Database Machine X28 conectados formam um único sistema

Além disso, a Exalogic Elastic Cloud se conecta a uma Exadata Database Machine da mesma forma usando a mesma malha InfiniBand. Até oito Full Racks de sistemas Exalogic e Exadata podem ser conectados sem a necessidade de switches externos.
Exadata Storage Server
O Exadata Storage Server executa o Exadata Storage Server Software e fornece a exclusiva e poderosa tecnologia de software Exadata da Database Machine incluindo Smart Scan, Smart Flash Cache, Smart Flash Logging, IO Resource Manager, Storage Indexes e Hybrid Columnar Compression.
Os componentes de hardware do Exadata Storage Server (também chamado de uma célula Exadata) foram escolhidos cuidadosamente para corresponder às necessidades de processamento de banco de dados de alto desempenho. O software Exadata é otimizado para tirar o melhor proveito dos componentes de hardware e do Oracle Database. Cada célula Exadata fornece excelente desempenho de I/O e largura de banda para o banco de dados. Os núcleos de CPU no Exadata Storage Server são dedicados a fornecer recursos como o processamento de SQL Smart Scan que é realizado no armazenamento Exadata.
Com base nos recursos de segurança superiores em cada Oracle Database, o armazenamento Exadata fornece a capacidade de consultar bancos de dados criptografados com quase nenhuma sobrecarga a centenas de gigabytes por segundo. Isto é realizado ao mover o processamento de decodificação do software para o hardware do Exadata Storage Server. O software da Oracle e os processadores Intel 5600 usados no Exadata Storage Server fornecem suporte de Padrão Avançado de Criptografia (AES) que permite isso.

Exadata Smart Flash Cache
Cada célula Exadata apresenta 384 GB de Exadata Smart Flash Cache. Isto significa que na Database Machine X28 e na Full Rack X22 há 5,3 TB de Flash – maior do que a maioria dos bancos de dados. Este armazenamento de estado sólido proporciona vantagens de desempenho significativas com o armazenamento do Exadata. Fornece uma melhoria de dez vezes no tempo de resposta para leitura em disco normal; uma melhora de cem vezes em IOPS para leituras em

disco normal e é uma alternativa de capacidade maior e menos cara para a memória. Em geral, fornece um aumento de dez vezes ao executar uma mistura média de operações de leitura e gravação.
Um dos principais facilitadores do extremo desempenho do Exadata é o hardware do Exadata Smart Flash Cache e o Oracle Exadata Storage Server Software inteligente que o comanda. O recurso Exadata Smart Flash Cache do Exadata Storage Server Software armazena em cache de forma inteligente os objetos do banco de dados em memória flash, substituindo operações de I/O mecânicas e lentas para o disco por operações de memória flash extremamente rápidas. O Exadata Storage Server Software também fornece o recurso Exadata Smart Flash Logging para acelerar as operações de I/O de registro do banco de dados. O Exadata Smart Flash Cache é uma das tecnologias essenciais da Oracle Exadata Database Machine que permite o processamento de até 1,5 milhão de operações de I/O randômicas por segundo (IOPS), e a verificação de dados dentro do armazenamento Exadata a até 75 GB/segundo.
Capacidade, Desempenho, Largura de banda e IOPS do Armazenamento Exadata
Os Oracle Exadata Storage Servers apresentam doze discos SAS de Alto Desempenho de 15.000 RPM e 600 GB ou doze discos SAS de Alta Capacidade de 7.200 RPM e 3 TB. Os Exadata Storage Servers com base em disco SAS de Alto Desempenho fornecem até 3,25 TB de capacidade utilizável não comprimida e até 1,8 GB/segundo de largura de banda de dados brutos. Os Exadata Storage Servers com base em disco SAS de Alto Desempenho fornecem até 16 TB de capacidade utilizável não comprimida e até 1,3 GB/segundo de largura de banda de dados brutos. Quando armazenados em formato comprimido, a quantidade de dados do usuário e de largura de banda de dados fornecida por cada célula aumenta significativamente.
A capacidade de armazenamento de cada modelo de Database Machine é apresentada na tabela a seguir.

Database Machine X2-8 e X2-2 Full Rack
Database Machine X2-2 Half Rack
Database Machine X2-2 Quarter Rack
Exadata Smart Flash Cache
5,3 TB
2,6 TB
1,1 TB
Capacidade de disco bruta
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
100 TB
504 TB
50 TB
252 TB
21,6 TB
108 TB
Capacidade utilizável
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
(sem compressão de dados)
Até
45 TB
224 TB
Até
22,5 TB
112 TB
Até
9,5 TB
48 TB
Capacidade de armazenamento da Database Machine

Observação: ao calcular a capacidade bruta de disco, 1 TB = 1 trilhão de bytes. A capacidade formatada real é menor. A capacidade utilizável disponível para bancos de dados é calculada após espelhar (redundância normal do ASM) e deixar um disco vazio para controlar falhas de disco automaticamente.
O desempenho que cada célula fornece é extremamente alto devido ao Exadata Smart Flash Cache. O software Exadata pode escanear simultaneamente do Flash e do disco para maximizar a largura de banda. O armazenamento em cache automático no Flash permite que cada célula do Exadata forneça largura de banda de até 5,4 GB/segundo e 125.000 IOPS ao acessar dados não comprimidos. Quando os dados são armazenados em formato não comprimido, a quantidade da capacidade de dados do usuário, a quantidade de largura de banda de dados e o IOPS atingível normalmente aumentam até dez vezes ou mais. Isto representa uma melhoria significativa sobre dispositivos de armazenamento tradicionais usados com o Oracle Database.
As características de desempenho de cada modelo de Database Machine são descritas na tabela a seguir.
Database Machine X2-8 e X2-2 Full Rack
Database Machine X2-2 Half Rack
Database Machine X2-2 Quarter Rack
Largura de banda de dados bruta de disco
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
(sem compressão de dados)
Até
25 GB/seg
18 GB/seg
Até
12,5 GB/seg
9,0 GB/seg
Até
5,4 GB/seg
4,0 GB/seg
Largura de banda de dados bruta de flash
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
(sem compressão de dados)
Até
75 GB/seg
68 GB/seg
Até
37,5 GB/seg
34 GB/seg
Até
16 GB/seg
14,5 GB/seg
IOPS de Cache Flash do Banco de dados
Até 1.500.000
1
Até 750.000
Até 375.000
IOPS de Disco do Banco de dados
• SAS de alto desempenho
1
• SAS de alta capacidade
Até
50.000
28.000
Até
25.000
14.000
Até
10.800
6.000
1
Baseado em solicitações de IO de 8K a partir de SQL
Desempenho de I/O da Database Machine

Exadata Storage Expansion Rack Full Rack
Exadata Storage Expansion Rack Half Rack
Exadata Storage Expansion Rack Quarter Rack
Exadata Storage Servers
Inclui:
• Núcleos de CPU para processamento de SQL
18
216
9
108
4
48
Switches InfiniBand
3
3
2
Componentes do Exadata Storage Expansion Rack
Além de atualizar de um Exadata Storage Expansion Rack pequeno para um grande, a Oracle continua a usar uma abordagem de blocos modulares para conectar o Exadata Storage Expansion Rack à Exadata Database Machine usando uma malha InfiniBand integrada para dimensionar facilmente o sistema para qualquer tamanho. O Exadata Storage Expansion Full, Half e Quarter Racks podem ser associados a sistemas Full, Half e Quarter Rack da Exadata Database Machine em praticamente qualquer combinação. Até 8 racks da Exadata Database Machine e Exadata Storage Expansion Racks podem ser facilmente conectados através de cabos InfiniBand. Uma configuração de 8 racks possui uma capacidade de disco bruta de 5.040 TB e 1.680 núcleos de CPU dedicados a processamento de SQL. Configurações maiores podem ser construídas com switches InfiniBand adicionais.
Exadata Storage Expansion Rack Full Rack
Exadata Storage Expansion Rack Half Rack
Exadata Storage Expansion Rack Quarter Rack
Exadata Smart Flash Cache
6,75 TB
3,4 TB
1,5 TB
Capacidade de disco bruta
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
128 TB
648 TB
64 TB
324 TB
28 TB
144 TB
Capacidade utilizável
• SAS de alto desempenho
• SAS de alta capacidade
(sem compressão de dados)
Até
58 TB
288 TB
Até
29 TB
144 TB
Até
13 TB
64 TB
Capacidade do Exadata Storage Expansion Rack

Arquitetura da Exadata Database Machine
Na figura abaixo há um esquema simplificado de uma implantação típica do Half Rack da Database Machine. São mostradas a seguir duas Oracle Databases, um banco de dados Real Application Clusters (RAC) implantado em três servidores de banco de dados e um banco de dados de instância única implantada no servidor de banco de dados restante no Half Rack. (Naturalmente, todos os quatro servidores de banco de dados podem ser usados para um cluster RAC de quatro nós). O banco de dados do RAC pode ser um banco de dados de produção e o banco de dados de instância única pode servir para testes e desenvolvimento. Ambos os bancos de dados compartilham as sete células do Exadata no Half Rack, mas teriam um Oracle home separado para manter a independência do software. Todos os componentes para esta configuração – servidores de banco de dados, células do Exadata, switches InfiniBand e outro hardware de suporte são alojados no rack da Database Machine.

RAC DatabaseSingle-InstanceDatabaseInfiniBandNetworkExadata Cells

Esta Database Machine usa uma interconexão avançada InfiniBand entre os servidores e o armazenamento. Cada servidor do banco de dados e célula do Exadata tem conectividade InfiniBand Quad Data Rate (QDR) de duas portas para alta disponibilidade. Cada link InfiniBand fornece 40 Gigabits de largura de banda, muitas vezes superior às redes tradicionais de armazenamento ou de servidores. Além disso, o protocolo de interconexão da Oracle usa a colocação direta de dados (DMA – direct memory access) para garantir uma sobrecarga muito baixa na CPU, movendo dados diretamente do cabo para os buffers do banco de dados sem precisar de cópias adicionais dos dados. A rede InfiniBand tem a flexibilidade de uma rede LAN, com a eficiência de uma SAN. Ao usar uma InfiniBand, a Oracle garante que não haverá gargalos de desempenho na rede. A mesma rede InfiniBand também fornece interconexão de clusters de alto de desempenho para os nós do Oracle Database Real Application Cluster (RAC).

O Oracle Exadata é projetado para fazer o redimensionamento horizontal para qualquer nível de desempenho. Para obter um alto desempenho e maior capacidade de armazenamento são adicionados servidores de banco de dados extras e células do Exadata à configuração – ex: atualização de Half Rack para Full Rack. Conforme mais células do Exadata são adicionadas à configuração, a capacidade de armazenamento e o desempenho de I/O aumenta quase que linearmente. Não é feita ou exigida comunicação entre as células em uma configuração do Exadata.
A arquitetura da solução Exadata inclui componentes no servidor de banco de dados e na célula do Exadata. A arquitetura do software para uma configuração Quarter Rack é apresentada a seguir

Dois novos recursos do Oracle Database que são oferecidos exclusivamente na Exadata Database Machine são o Oracle Database Quality of Service (QoS) Management e o QoS Management Memory Guard. O QoS Management permite que os administradores do sistema gerenciem diretamente os níveis de application service hospedados em Oracle Exadata Database Machines. Usando uma arquitetura com base em políticas, o QoS Management correlaciona desempenho preciso em tempo de execução e métricas de recurso, analisa esses dados com seu sistema especializado para identificar gargalos e produz ajustes de recurso recomendados para atender e manter os objetivos de desempenho sob condições de carga dinâmica. Se não houver recursos suficientes, o QoS preservará os objetivos comerciais mais críticos em detrimento dos menos críticos. Em conjunto com o Cluster Health Monitor, o Memory Guard do QoS Management detecta nós que estão em risco de falha devido à sobre alocação. Ele responde ao evitar novas conexões automaticamente, preservando desta forma cargas de trabalho existentes e restaura a conectividade quando houver memória suficiente novamente.
Suporte do Enterprise Manager para Exadata Database Machine
O Oracle Enterprise Manager Cloud Control 12c usa uma abordagem holística para gerenciar a Exadata Database Machine e fornecer gerenciamento abrangente do ciclo de vida desde o monitoramento até o gerenciamento e manutenção contínua de todo o sistema projetado.
Monitoramento do Sistema Integrado
O Oracle Enterprise Manager fornece monitoramento abrangente e notificações para permitir que os administradores detectem e reajam de forma proativa a problemas com a Oracle Exadata Data Machine e seus componentes de software e hardware. Os administradores podem ajustar facilmente essas configurações de monitoramento para atender às necessidades de seu ambiente de banco de dados. Quando notificados sobre esses alertas, os administradores podem visualizar facilmente o histórico de alertas e métricas de desempenho associadas do componente do problema, como o desempenho de rede de uma porta InfiniBand ou a atividade em disco de uma célula de armazenamento Exadata, para identificar a causa principal do problema. Com conectividade direta aos componentes de hardware do Exadata, o Oracle Enterprise Manager pode alertar os administradores sobre falhas de hardware e registrar automaticamente solicitações de serviço através da integração com o Oracle Automatic Service Requests (ASR) para análise imediata pelo Suporte da Oracle.
Problemas que exigiriam uma combinação de administradores de banco de dados, sistema e armazenamento para serem detectados em sistemas tradicionais podem agora ser diagnosticados em minutos devido ao monitoramento de sistemas integrado para toda a Exadata Database Machine.

Gerenciar Muitos como Um
O Oracle Enterprise Manager fornece uma vista unificada do hardware e software do Oracle Exadata onde você pode visualizar a integridade e o desempenho de todos os componentes como servidores de banco de dados, switches InfiniBand, células de armazenamento Exadata, bancos de dados Oracle, ASM, etc.

Monitoramento do Exadata usando o Enterprise Manager Cloud Control 12c
Os bancos de dados Oracle são executados de forma transparente na Oracle Exadata Database Machine sem qualquer alteração. Entretanto, há momentos em que um DBA precisa fazer uma pesquisa detalhada do banco de dados até o sistema de armazenamento para identificar e diagnosticar gargalos de desempenho ou falhas de hardware. A vista integrada do Enterprise Manager do hardware e software do Exadata permite que o DBA navegue sem problemas das páginas de desempenho do banco de dados para o servidor de armazenamento Exadata associado para isolar o problema, sejam eles causados por um componente de hardware ou outros bancos de dados executados no mesmo subsistema de armazenamento. O recurso SQL Monitoring que analisa o desempenho das execuções de SQL em tempo real leva em conta o Exadata e pode identificar as operações do plano de execução que estão sendo transferidas para os Exadata Storage Servers, fornecendo aos DBAs visibilidade sobre a eficiência da declaração SQL.
Os recursos de gerenciamento do Exadata no Enterprise Manager são fornecidos de acordo com os recursos de integridade e desempenho do componente específico que está sendo gerenciado.

Por exemplo, além de monitorar o desempenho da rede InfiniBand, os administradores também podem alterar as configurações de porta se o Enterprise Manager detectar degradação da porta. Na célula de armazenamento do Exadata, os administradores podem configurar e ativar planos do gerenciador de recursos de I/O dentro do Enterprise Manager se detectarem consumo excessivo de recursos de I/O por um dos bancos de dados específicos que afetam o desempenho de outros bancos de dados no mesmo conjunto de células de armazenamento.
Planejamento da Consolidação
Conforme as empresas procuram cada vez mais consolidar seus bancos de dados discrepantes na infraestrutura do Oracle Exadata, os administradores podem usar o Consolidation Planner no Oracle Enterprise Manager para determinar estratégias ideais de consolidação para diferentes configurações do Exadata. Usando as configurações de hardware reais e o histórico de carga de trabalho do servidor armazenado no Enterprise Manager, o Consolidation Planner analisa as cargas de trabalho dos sistemas de origem e calcula a utilização esperada para o plano de consolidação nos sistemas Exadata de destino. Equipado com uma rica biblioteca de configurações de hardware, o Consolidation Planner pode orientar administradores para definir os cenários de consolidação para até mesmo para servidores Exadata fictícios, variando entre as diversas versões de X2-2 a X2-8. Agora, as empresas podem tomar decisões mais inteligentes e mais adequadas sobre as configurações exatas do Exadata que atendam às suas necessidades de consolidação de banco de dados.
Para a Oracle Exadata Database Machine, o gerenciamento é feito juntamente com o hardware e o software para fornecer não somente alto desempenho e disponibilidade, mas também facilidade de gerenciamento e consolidação.
Software do Exadata Storage Server
Como qualquer dispositivo de armazenamento, o Exadata Storage Server é um computador com CPUs, memória, barramento, discos, NICs e outros componentes normalmente encontrados em um servidor. Ele também executa um sistema operacional (SO) que, no caso do Exadata, é o Oracle Linux 5.5. O software do Exadata Storage Server, presente nas células do Exadata, é executado sobre o OEL. O OEL está disponível em modo restrito para administrar e gerenciar a célula do Exadata.
O CELLSRV (serviço de célula) é o componente principal do software do Exadata sendo executado na célula e fornece a maioria dos serviços do armazenamento Exadata. O CELLSRV é um software multi-threaded que se comunica com a instância de banco de dados no servidor de banco de dados, e envia blocos aos bancos de dados com base no protocolo iDB. Ele fornece recursos avançados de deslocamento de carga de SQL, envia blocos Oracle quando o deslocamento de carga SQL não é possível, e implementa a funcionalidade de gerenciamento do recurso de I/O do DBRM para medir a largura de banda de I/O dos diversos bancos de dados e grupos de consumidores enviando operações de I/O.

Dois outros componentes do software Oracle na célula são o Management Server (MS) e o Restart Server (RS). O MS é a interface principal para administrar, gerenciar e consultar o status da célula do Exadata. Ele funciona em cooperação com a interface de linha de comando (CLI) da célula do Exadata e o plug-in do Exadata do EM, e fornece o gerenciamento e a configuração de célula do Exadata autônoma. Por exemplo, a partir da célula, os comandos CLI são enviados para configurar o armazenamento, consultar estatísticas de I/O e reiniciar a célula. Também é fornecida uma CLI distribuída de forma que os comandos possam ser enviados a múltiplas células para facilitar o gerenciamento das células. O Restart Server (RS) garante o funcionamento do software do Exadata e de seus serviços associados. Ele é usado para atualizar o software do Exadata. Ele também garante que os serviços de armazenamento estejam inicializados e em execução, e que os serviços sejam reinicializados quando necessário.
Processamento Smart Scan do Exadata
Com armazenamentos tradicionais, incompatíveis com iDB, toda a inteligência do banco de dados reside no software do banco de dados no servidor. Para ilustrar como o processamento de SQL é realizado nesta arquitetura, um exemplo de varredura de tabela é mostrado a seguir.

Modelo de processamento de SQL e I/O de bancos de dados tradicionais
 O cliente emite uma declaração SELECT com um predicado para filtrar e retornar somente linhas de seu interesse. O kernel do banco de dados mapeia esta solicitação para o arquivo e suas extensões que contêm a tabela que está sendo verificada. O kernel do banco de dados envia a operação de I/O para leitura dos blocos. Todos os blocos da tabela que está sendo consultada são lidos na memória. Em seguida, o processamento do SQL é feito contra os blocos brutos, pesquisando as linhas que satisfazem o predicado. Por último, as linhas são retornadas para o cliente.

Como normalmente ocorre com consultas muito grandes, o predicado filtra a maioria das linhas lidas. Ainda assim, todos os blocos da tabela precisam ser lidos, transferidos pelo armazenamento e copiados na memória. Muito mais linhas que o necessário são lidas na memória para concluir a operação de SQL solicitada. Isso gera um grande número de transferências de dados que consomem largura de banda e influenciam no throughput e no tempo de resposta da aplicação.
Integrar a funcionalidade do banco de dados dentro da camada de armazenamento da pilha de banco de dados permite que as consultas e outras operações de bancos de dados sejam executadas de forma muito mais eficiente. Implementar a funcionalidade de banco de dados o mais próximo possível do hardware, no caso do Exadata no nível de disco, pode acelerar drasticamente as operações de banco de dados e aumentar o throughput do sistema.
Com o armazenamento Exadata, as operações de banco de dados são manipuladas de forma muito mais eficiente. As consultas executam varredura das tabelas podem ser processadas no armazenamento do Exadata com somente o subconjunto de dados retornado para o servidor de banco de dados. A filtragem de linhas, a filtragem de colunas e alguns processos de junção (entre outras funções) são realizados dentro das células do armazenamento Exadata. Quando isso ocorre, somente os dados necessários e relevantes são retornados para o servidor de banco de dados.

A figura abaixo ilustra como uma varredura de tabela funciona com o armazenamento do Exadata

LCM INFORMÁTICA
LCM INFORMÁTICA

Processamento de deslocamento de carga de Smart Scan
 O cliente emite uma declaração SELECT com um predicado para filtrar e retornar somente linhas de seu interesse. O kernel do banco de dados determina se o armazenamento Exadata está disponível e constrói um comando iDB representando o comando SQL emitido e o envia para o armazenamento Exadata. O componente CELLSRV do software do Exadata varre os blocos de dados para identificar as linhas e colunas que satisfazem o SQL enviado. Somente as linhas que satisfazem o predicado e as colunas solicitadas são lidas para a memória. O kernel

do banco de dados consolida os conjuntos de resultados através das células do Exadata. Por último, as linhas são retornadas para o cliente.
As operações de Smart Scan são transparentes para a aplicação e nenhuma alteração na aplicação ou no SQL é necessária. O SQL EXPLAIN PLAN mostra quando o Smart Scan do Exadata é usado. Os dados retornados são totalmente consistentes e transacionais e obedecem rigorosamente ao comportamento e funcionalidade de leitura consistente do Oracle Database. Se ocorre uma falha em uma célula durante uma operação de Smart Scan, as partes incompletas do Smart Scan são roteadas de forma transparente para outras células para concluir a operação. As operações de Smart Scan lidam de forma adequada com os complexos mecanismos internos do Oracle Database, incluindo: dados não confirmados e linhas bloqueadas, linhas em cadeia, tabelas comprimidas, processamento de idioma nacional, aritmética de datas, pesquisas com expressões regulares, visualizações materializadas e tabelas particionadas.
O Oracle Database e o Exadata Server executam diversas declarações SQL, cooperando um com o outro. O deslocamento do processamento de SQL para fora do servidor de banco de dados libera ciclos de CPU do servidor e elimina uma grande quantidade de consumo de largura de banda, que fica então disponível para melhor atender a outras solicitações. As operações de SQL são executadas muito mais rapidamente e mais operações podem ser executadas simultaneamente devido à menor disputa pela largura de banda de I/O. Vamos agora analisar as diversas operações SQL que se beneficiam do uso do Exadata.
Filtragem de predicado do Smart Scan
O Exadata habilita a filtragem de predicado para as varreduras de tabelas. Somente as linhas solicitadas são retornadas para o servidor de banco de dados em vez de todas as linhas em uma tabela. Por exemplo, quando o SQL a seguir é enviado, somente as linhas onde a data de contratação do funcionário for posterior à data especificada são enviadas do Exadata para a instância do banco de dados.
SELECT * FROM tabela_funcionarios WHERE data_contratacao > ‘1-Jan-2003’;
Essa capacidade de retornar somente as linhas relevantes para o servidor irá melhorar em muito o desempenho do banco de dados. Essa melhoria de desempenho também se aplica conforme as consultas ficam mais complicadas, portanto, os mesmos benefícios também se aplicam a consultas complexas, incluindo aquelas com subconsultas.
Filtragem de colunas do Smart Scan
O Exadata fornece a filtragem de colunas, também chamada de projeção de colunas, para as varreduras de tabelas. Somente as colunas solicitadas são retornadas para o servidor de banco de dados em vez de todas as colunas em uma tabela. Por exemplo, quando o SQL a seguir é enviado, somente as colunas nome_funcionario e numero_funcionario são retornadas do Exadata para o kernel do banco de dados.

SELECT nome_funcionario, numero_funcionario FROM tabela_funcionarios;
Para tabelas com muitas colunas, ou colunas contendo LOBs (Objetos grandes), a economia de largura de banda de I/O pode ser muito grande. Quando usadas em conjunto, a filtragem de predicado e a filtragem de colunas melhoram enormemente o desempenho e reduzem drasticamente o consumo de largura de banda de I/O. Além disso, a filtragem de colunas também se aplica a índices, possibilitando um desempenho de consultas ainda mais rápido.
Processamento de junção do Smart Scan
O Exadata realiza junções entre tabelas grandes e tabelas pequenas de pesquisa, um cenário muito comum para data warehouses com esquemas em estrela. Isso é implementado usando o recurso Bloom Filters, que é um método de probabilidade muito eficaz para determinar se uma linha é um membro do conjunto de resultados desejado.
Processamento Smart Scan de colunas e tablespaces criptografados
O processamento de deslocamento de carga de Smart Scan de Tablespaces criptografados (TSE) e Colunas criptografadas (TDE) é suportado no armazenamento do Exadata. Isto permite o desempenho aprimorado ao acessar os dados mais confidenciais da empresa.
Indexação de armazenamento
Os índices de armazenamento são um recurso muito poderoso fornecido no armazenamento Exadata que ajuda a evitar operações de I/O. O software do Exadata Storage Server cria e mantém um Índice de armazenamento (ou seja, metadados sobre os objetos do banco de dados) na célula do Exadata. O índice de armazenamento rastreia valores mínimos e máximos de colunas para as tabelas armazenadas naquela célula. Quando uma consulta especifica uma cláusula WHERE, mas antes que qualquer operação de I/O seja realizada, o software do Exadata examina o Índice de armazenamento para determinar se existem linhas com o valor de coluna especificado na célula comparando o valor da coluna com os valores de mínimo e máximo mantidos no Índice de armazenamento. Se o valor da coluna estiver fora do intervalo de valor mínimo e máximo, a varredura de I/O para essa consulta é evitada. Muitas operações de SQL serão executadas mais rapidamente, pois um número grande de operações de I/O será automaticamente substituído por um número pequeno de pesquisas. Para minimizar a sobrecarga operacional, os índices de armazenamento são criados e mantidos de forma transparente e automática pelo software do Exadata Storage Server.
Deslocamento de carga da pontuação de modelo de extração de dados
A pontuação de modelo de extração de dados é descarregada no Exadata. Isso torna a implantação de data warehouses na Database Machine uma plataforma de análise de dados ainda melhor e com maior desempenho. Todas as funções da pontuação de extração de dados (por exemplo, estimativa_probabilidade) têm sua carga deslocada para o Exadata, para processamento

O Exadata Smart Flash Cache também é usado para reduzir a latência do registro de I/O de gravação eliminando gargalos de desempenho que podem ocorrer devido ao registro no banco de dados. O tempo para confirmar as transações do usuário é muito sensível à latência de gravações de registro. Além disso, muitos algorítimos de banco de dados de desempenho crítico como gerenciamento de espaço e divisões de índice também são extremamente sensíveis à latência de gravação de registro. Hoje em dia, o armazenamento Exadata acelera as gravações de registro usando o cache DRAM com bateria no controlador de disco. Gravações no cache do controlador de disco são normalmente muito rápidas, mas pode ficar mais lentas durante períodos de alta IO do disco. O Smart Flash Logging tira proveito da memória flash no armazenamento Exadata para acelerar as gravações de registro.
A memória flash possui excelente latência média de gravação, mas possui ocasionalmente partes externas lentas que podem ser de uma a duas ordens de magnitude mais lentas que a média. A ideia do Exadata Smart Logging é realizar gravações de recuperação para a memória flash e o cache do controlador de discos simultaneamente, e concluir a gravação quando o primeiro dos dois for concluído. Isso oferece literalmente ao Exadata o melhor dos dois mundos. O Smart Flash Logging melhora o tempo de resposta da transação do usuário, e aumenta o throughput geral do banco de dados para cargas de trabalho com grande quantidade de IO acelerando algorítimos de banco de dados de desempenho crítico.

O Smart Flash Logging lida com todas as situações de travamento e recuperação sem exigir qualquer intervenção adicional ou especial do administrador além do que seria normalmente necessário para a recuperação do banco de dados a partir dos registros de recuperação. Do ponto de vista do DBA, o sistema se comporta de maneira totalmente transparente e o DBA não precisa se preocupar com o fato de que o flash está sendo usado como um armazenamento temporário para recuperação. A única diferença comportamental será latências sempre baixas para gravações de registro de recuperação.
A funcionalidade do Exadata Smart Flash Cache é abordada em mais detalhes no artigo técnico “Recursos do Exadata Smart Flash Cache e a Oracle Exadata Database Machine”.
Gerenciamento de recurso de I/O com o Exadata
Com o armazenamento tradicional, a criação de uma grade de armazenamento compartilhado é limitada pela incapacidade de priorizar o trabalho de diversas tarefas e usuários que consomem largura de banda de I/O do subsistema do armazenamento. O mesmo ocorre quando múltiplos bancos de dados compartilham o subsistema do armazenamento. O DBRM e os recursos de gerenciamento de recursos de I/O do armazenamento Exadata podem evitar que uma classe de trabalho, ou um banco de dados, monopolize os recursos em disco e de largura de banda e garante que os acordos de serviço definidos pelo usuário sejam cumpridos ao usar o armazenamento Exadata. O DBRM possibilita a coordenação e a priorização da largura de banda de I/O consumida entre os bancos de dados e entre os diferentes usuários e classes de trabalho. Ao integrar intimamente o banco de dados com o ambiente de armazenamento, o Exadata está

ciente de quais tipos de trabalho e qual quantidade de largura de banda de I/O são consumidos. Os usuários podem, portanto, fazer com que o sistema do Exadata identifique os diferentes tipos de cargas de trabalho, atribua prioridades a essas cargas de trabalho e garanta que as cargas de trabalho mais críticas tenham prioridade.
Em ambientes de data warehousing ou com cargas de trabalho mistas, é interessante garantir que a quantidade relativa de recursos de I/O correta seja alocada aos diferentes usuários e tarefas dentro de um banco de dados. Por exemplo, você pode desejar alocar 70% dos recursos de I/O a usuários interativos no sistema e 30% dos recursos de I/O a tarefas de geração de relatórios em lotes. Isso é simples de ser aplicado através do DBRM e dos recursos de gerenciamento de I/O do armazenamento Exadata.
Um administrador do Exadata pode criar um plano de recursos que especifica como as solicitações de I/O devem ser priorizadas. Isso pode ser realizado colocando os diferentes tipos de trabalho em agrupamentos de serviço chamados de Grupos de consumidores. Os grupos de consumidores podem ser definidos através de diversos atributos, incluindo o nome de usuário, nome do programa cliente, função ou período de tempo pelo qual a consulta está sendo executada. Uma vez definidos esses grupos de consumidores, o usuário pode definir uma hierarquia de qual grupo de consumidores obtém prioridade em recursos de I/O e a quantidade de recursos de I/O alocada a cada grupo de consumidores. Essa hierarquia determinando a priorização de recursos de I/O pode ser aplicada simultaneamente para operações dentro de bancos de dados (ou seja, operações que ocorrem dentro dos bancos de dados) e operações entre bancos de dados (ou seja, operações que ocorrem entre diversos bancos de dados).
Quando o armazenamento Exadata é compartilhado entre diversos bancos de dados, é possível também priorizar os recursos de I/O alocados a cada banco de dados, evitando que um banco de dados monopolize os recursos em disco e a largura de banda para garantir que os acordos de serviço definidos pelo usuário sejam cumpridos. Por exemplo, você pode ter dois bancos de dados compartilhando o armazenamento do Exadata. Os objetivos comerciais impõem que cada um desses bancos de dados tem um valor e um grau de importância relativos para a organização. Foi decidido que o banco de dados A deveria receber 33% do total de recursos de I/O disponíveis e que o banco de dados B deveria receber 67% do total de recursos de I/O. Para garantir que a quantidade relativa de recursos de I/O correta seja alocada para os diferentes usuários e tarefas dentro de cada banco de dados, diversos grupos de consumidores foram definidos.

****************************************************

Dois grupos de consumidores foram definidos para o banco de dados A
• 60% dos recursos de I/O estão reservados para atividades interativas de marketing
• 40% dos recursos de I/O estão reservados para atividades de marketing em lotes
• Três grupos de consumidores foram definidos para o banco de dados B
• 60% dos recursos de I/O estão reservados para atividades interativas de vendas
• 30% dos recursos de I/O estão reservados para atividades de vendas em lotes
• 10% dos recursos de I/O estão reservados para atividades de vendas das contas principais
Essas alocações de grupos de consumidores são relativas ao total de recursos de I/O alocado para cada banco de dados.
A consolidação de vários bancos de dados em uma única Exadata Database Machine é uma solução econômica para os clientes. Com o Exadata Storage Server Software 11.2.2.3 e superior, o Exadata I/O Resource Manager (IORM) pode ser usado para habilitar ou desabilitar o uso do flash para os diferentes bancos de dados em execução na Database Machine. Isto capacita os clientes a reservar o flash para os bancos de dados com desempenho mais crítico.
Em essência, o Gerenciador de recursos de I/O do Exadata resolveu um dos desafios que a tecnologia de armazenamento tradicional não resolve: criar um ambiente de armazenamento de grade compartilhado com a capacidade de equilibrar e priorizar o trabalho de múltiplos bancos de dados e usuários compartilhando o subsistema do armazenamento. O gerenciamento de recursos de I/O do Exadata garante que os acordos de serviço definidos pelo usuário sejam cumpridos para múltiplos bancos de dados compartilhando o armazenamento Exadata. Isso garante que cada banco de dados ou usuário obtenha a quantidade correta de largura de banda do disco para atender os objetivos da empresa.
Quality of Service (QoS) Management com o Exadata
O Oracle Exadata QoS Management é um produto automatizado com base em políticas que monitora as solicitações de carga de trabalho de um sistema. Ele gerencia os recursos que são compartilhados em aplicações e ajusta a configuração do sistema para manter as aplicações em execução nos níveis de desempenho necessários para seu negócio. Ele responde sem problemas às alterações na configuração e demanda do sistema, evitando oscilações adicionais nos níveis de desempenho de suas aplicações.
O Oracle Exadata QoS Management monitora o desempenho de cada solicitação de trabalho em um sistema alvo. Ele começa a rastrear uma solicitação de trabalho no momento da solicitação de conexão com o banco de dados usando um serviço de banco de dados. O tempo necessário para concluir uma solicitação de trabalho ou o tempo de resposta (também conhecido como tempo de resposta end-to-end ou tempo de ida e volta) é o tempo desde quando a solicitação por dados foi iniciada e quando a solicitação de dados é concluída. Ao medir com precisão os dois

componentes do tempo de resposta (o tempo gasto usando recursos e o tempo gasto aguardando pelo uso de recursos), o QoS Management pode detectar rapidamente os gargalos no sistema. Em seguida, recomenda o realocamento de recursos para liberar um gargalo, preservando ou restaurando níveis de serviço. Os administradores do sistema são alertados para a necessidade desta realocação e é implementada por meio de um único clique no painel do QoS Management. Também são fornecidos detalhes completos do impacto do desempenho projetado do cluster nesta ação. Por fim, um log de auditoria de todas as ações e alterações de política é mantido junto com gráficos históricos de desempenho do sistema.
O Oracle Exadata QoS Management gerenciar os recursos no seu sistema de forma que:
• Quando houver recursos suficientes disponíveis para atender à demanda, os requisitos de desempenho a nível comercial de suas aplicações serão atendidos, mesmo que a carga de trabalho seja alterada;
• Quando não houver recursos suficientes disponíveis para atender à demanda, o Oracle Exadata QoS Management tenta atender aos requisitos de desempenho comercial mais críticos em detrimento dos menos críticos;
• Quando as condições de carga excederem a capacidade, os recursos permanecem disponíveis.
Benefícios do uso do Oracle Exadata QoS Management
Em uma empresa normal, quando os tempos de resposta de suas aplicações não estiverem em níveis aceitáveis, a solução de problemas pode ser muito lenta. Normalmente, as primeiras perguntas que os administradores fazem são: “Configuramos o sistema corretamente? Há uma alteração de parâmetro que conserta o problema? Precisamos de mais hardware?”Infelizmente, essas perguntas são difíceis de responder com precisão; normalmente resulta em horas de experimentação improdutiva e frustrada.
O Oracle Exadata QoS Management fornece os benefícios a seguir:
• Reduz o tempo e os requisitos de experiência de administradores de sistema que gerenciam recursos do Oracle Real Application Clusters (Oracle RAC)
• Ajuda a reduzir o número de falhas de desempenho
• Reduz o tempo necessário para solucionar problemas que limitam ou reduzem o desempenho de suas aplicações
• Fornece estabilidade para o sistema conforme a carga de trabalho é alterada
• Efetua a adição ou remoção de servidores transparentes para as aplicações
• Reduz o impacto no sistema causado por falhas do servidor
• Ajuda a garantir que os contratos de serviço (SLAs) sejam cumpridos

diferentes exigências de desempenho ou disponibilidade. As fatias de Disco de grade podem ser usadas para alocar regiões “quentes”, “mornas” e “frias” de um Disco de célula ou para separar os bancos de dados que compartilham discos do Exadata. Por exemplo, um Disco de célula poderia ser particionado de forma que um único Disco de grade resida na parte de maior desempenho do disco físico e seja configurado para ser triplamente espelhado, enquanto um segundo Disco de grade reside na parte de menor desempenho do disco e é usado para dados de arquivamento ou backup, sem qualquer espelhamento. Uma estratégia de Information Lifecycle Management (ILM) poderia ser implementada usando a funcionalidade de Disco de grade.

Virtualização em Disco de grade
O exemplo a seguir ilustra a relação dos Discos de célula com os Discos de grade em uma grade de armazenamento Exadata mais abrangente.
Uma vez que os Discos de célula e Discos de grade estão configurados, os grupos de discos do ASM são definidos através da configuração do Exadata. Dois grupos de discos do ASM são definidos; um através de discos de grade “quentes” e um segundo através de discos de grade “frios”. Todos os discos de grade “quentes” são colocados em um único grupo de discos do ASM e todos os discos de grade “frios” são colocados em um grupo de discos separado. Quando os dados são carregados no banco de dados, o ASM irá distribuir uniformemente os dados e a I/O dentro dos grupos de discos. O espelhamento do ASM pode ser ativado para esses grupos de discos para proteger contra falhas de disco os dois grupos de disco, um deles ou nenhum deles. O espelhamento pode ser ativado ou desativado independentemente para cada um dos grupos de discos.

Por último, para proteger contra falha de uma célula inteira do Exadata, grupos de falha do ASM são definidos. Os grupos de falha garantem que as extensões do ASM espelhado sejam colocadas em diferentes células do Exadata.

Exemplo de espelhamento do ASM e grupos de falha
Com o Exadata e o ASM:
• A configuração dos Discos de célula (criação do LUN) é automatizada pelo software do Exadata.
• Opcionalmente, múltiplos Discos de grade podem co-existir nos discos físicos para adequar o desempenho às necessidades da aplicação de banco de dados ou construir uma estratégia ILM com o Exadata.
• O ASM divide automaticamente os dados do banco de dados pelos discos e células do Exadata para garantir uma carga de I/O equilibrada e desempenho máximo.
• O recurso de adição e remoção dinâmica do ASM permite a alocação, desalocação e realocação não invasiva de células e discos.
• O espelhamento do ASM e o recurso de hot-swap da célula do Exadata fornecem proteção de dados e acesso transparentes nas falhas de disco.
• O ASM fornece espelhamento duplo ou triplo para adequar a proteção ao nível de importância dos dados.
• Os grupos de falha do ASM são criados automaticamente com o Exadata para fornecer proteção de dados e acesso transparentes nas falhas de célula.
Migrando para o armazenamento Exadata
Há várias técnicas para migrar dados para uma Database Machine. A migração pode ser efetuada por meio do Oracle Recovery Manager (RMAN) fazendo backup do armazenamento tradicional e restaurando os dados no Exadata. O Oracle Data Guard também pode ser usado para facilitar a migração. Isso pode ser feito criando primeiro um banco de dados em standby com base no armazenamento Exadata. O standby pode estar usando armazenamento Exadata e o banco de dados de produção pode estar no armazenamento tradicional. Ao executar um chaveamento rápido, em apenas segundos, você pode transformar o banco de dados em standby no banco de dados de produção. Isto proporciona uma rede de segurança incorporada uma vez que é possível desfazer a migração sem problemas em caso de imprevistos. Os Tablespaces transportáveis e a

funciona no Exadata da mesma forma que funcionaria em outro ambiente. Os recursos Flashback oferecem a capacidade de consultar dados históricos, realizar análises de alterações e realizar reparos self-service de corrupções lógicas enquanto o banco de dados permanece on-line. Essencialmente, com os recursos do Oracle Flashback incorporados, o Exadata permite que o usuário tenha recursos do tipo snapshot e restaure um banco de dados para um momento anterior à ocorrência de um erro.
Recovery Manager (RMAN) e Oracle Secure Backup (OSB)
O Exadata funciona com o Oracle Recovery Manager (RMAN) para permitir o backup e a recuperação eficiente do banco de dados. Todos os scripts RMAN existentes funcionam inalterados no ambiente do Exadata. O RMAN é projetado para trabalhar intimamente com o servidor, fornecendo detecção de corrupção no nível de bloco durante o backup e a restauração. O RMAN otimiza o desempenho e o consumo de espaço durante o backup através da muliplexação de arquivos e compressão do conjunto de backup, e se integra com o Oracle Secure Backup (OSB) e produtos de gerenciamento de mídia de terceiros para backup em fita.

Conclusão
As empresas atualmente precisam aproveitar uma plataforma de banco de dados unificada para permitir a implantação e a consolidação de todas as aplicações em uma infra-estrutura comum. Seja OLTP, DW ou uma carga de trabalho mista, uma infra-estrutura comum proporciona a eficiência e reutilização que o data center necessita, além de fornecer a realidade da grid computing interna. Criar e usar sistemas de propósitos especiais para aplicações diferentes é um desperdício, além de ser caro. A necessidade de processar mais dados aumenta todos os dias, enquanto as corporações também encontram orçamentos reduzidos para TI. O exame to custo total de propriedade (TCO) para software e hardware de TI leva a escolha de uma infra-estrutura comum de alto desempenho para as implantações de todas as aplicações. Ao incorporar a Database Machine com base no Exadata na infra-estrutura de TI, as empresas vão:
• Acelerar o desempenho do banco de dados e poder fazer muito mais na mesma quantidade de tempo.
• Lidar com alterações e crescimento por meio de etapas dimensionáveis e incrementais ao consolidar implantações em uma infra-estrutura comum.
• Fornecer disponibilidade e proteção de dados de missão crítica.

GOSTOU DEIXE UM COMENTÁRIO